CRÍTICA: MORTAL KOMBAT X

Nesta semana que começa a aliança entre o 42 Bits e o Contador de Causos começamos falando de games, em especial Mortal Kombat X.

POR 42 BITS

mortal 01
Nota do game: 4,5 / 

Mortal Kombat X | 2015
Playstation 4, Xbox One e PC

Vamos resumir dessa forma: Mortal Kombat X é o melhor Mortal Kombat já feito, ponto. É mais profundo, mais rico mecanicamente, e mais cheio de recursos que qualquer um dos nove jogos antes dele. Além disso, a desenvolvedora Netherrealm Studios foi ousada acrescentando oito personagens inteiramente novos ao elenco, enquanto traz variações distintas para os personagens que retornam – não inflando assim a tela de seleção. Cada um destes riscos compensa em graus variados, mas também servem para destacar algumas das maneiras em que a franquia está presa ao passado.

Em primeiro lugar, temos um número considerável de personagens vem variados: Nada de repetecos no gameplay – apesar de alguns servirem como sucessores espirituais (Kung Jin e Nightwolf, por exemplo). Takeda, que foi apresentado nas HQs é um dos mais interessantes: Filho de Kenshi e treinado por Scorpion, é fácil de torná-lo um personagem interessante.

PORRADA DA NOVA GERAÇÃO

mortal 02

Killer Instinct já tinha nos mostrado como essa nova geração pode ser prolífera em relação a gráficos para games de luta, mas Mortal Kombat X foi quem realmente trouxe o grande passo. O game de 2009 já trazia um pulo gigante de Mortal Kombat Armageddon (Vamos esquecer Mortal Kombat Vs.DC) e Injustice melhorou ainda mais a engine usada pela Netherrealm, com Mortal Kombat X temos um dos melhores aproveitamentos com a Unreal Engine 3 – Street Fighter V, estamos olhando pra você com cara feia.

Outra coisa que retorna é o Modo História, que apesar de mais curto que o do game de 2011, nos entrega uma ótima história. Nos apresenta os novatos e nos mostra o que aconteceu com todos os personagens com quem nós ficamos preocupados na parte nove. Com essa onda de DLCs fica a pergunta se a Netherrealm Studios possui algum plano de um “Story Pack” via DLC, já que o game acaba mais uma vez com um gancho enorme.

EU VOU EQUALIZAR SUA CARA!

mortal 03

Mortal Kombat X é um jogo que arranha o quinto controle por causa de um grande defeito (pra nós brasileiros): Sua dublagem. Não é apenas o fato de terem escalado Pitty, uma não dubladora, para viver Cassie Cage no game mas toda direção é equivocada. Nós temos traduções erradas, falas indecifráveis entre outros problemas – Não dá pra culpar a Pitty, provavelmente se tivesse tido uma direção mais cuidadosa esses problemas não teriam ocorrido.

E AÍ, PRESTA?

Eu disse no primeiro parágrafo que esse era o melhor Mortal Kombat, né? Vá logo jogar Mortal Kombat X! Fatality.

PRÓS

  • Novos Personagens
  • Sistema de Variações
  • Gráficos
  • Jogabilidade inovadora para a franquia

CONTRAS

  • Dublagem brasileira
  • DLCs, DLCs e mais DLCs

Você pode conferi o blog 42 Bits por aqui.

Lembre-se que toda sexta-feira tem matéria do 42 Bits no Contador! Fique de olho! Até a próxima!

Autor: Ailton Rodrigues

Técnico em Informática (IFRN), que adora esportes e jornalismo, estando sempre disponível para bons papos. Coordenador de Comunicação do clube de futebol TEC (Tabua Esporte Clube), membro do Conselho do Coletivo de Direitos Humanos, Ecologia, Cultura e Cidadania (CDHEC), comunicador da Mostra de Cinema de Gostoso. Atualmente aluno de Licenciatura em Pedagogia (UFRN).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s