VAI LÁ E FAZ AMIZADE COM A DOR

POR FÁBIO CHAP

ilustrac25cc25a7a25cc2583o-de-homem-carregando-corac25cc25a7a25cc2583o-de-pedra

A vida nos aperta pelo pescoço. Ameaça nos devorar e engolir em cada sonho mais ousado. ‘Se ponha no seu lugar’, diz a vida. E pra que a gente não dê passos a mais, ela nos afoga.

Minutos sem respirar. Dias sem respirar. Anos sem respirar. Mais mortos do que vivos, aguentamos. Prendemos a respiração e encaramos a porra toda. Dá medo, mas a gente abre mais uma porta e dá mais um passo. Uma porta, um novo passo. Outra porta, mais um novo caminho todo.

O boleto nos preocupa, o amor nos preocupa, a família nos preocupa, a política, então… Mas em meio a todo o caos, eu existo. É preciso que eu me preocupe, também, comigo. Nessa gigantesca jornada, existe você, é preciso que você se preocupe, também, com você.

Não podemos nos anular em nome de boleto, do amor ou da família. Se não dá pra gente saber nosso lugar no mundo, pelo menos dá pra gente saber nosso lugar na nossa própria vida. E não esquecer que ela – a tal vida – aperta o pescoço mesmo. Não se deixe morrer, há muito pra viver, então vai lá e faz amizade com a dor.

**