Processo seletivo tem concorrência por oferta divulgada

Processo seletivo tem concorrência por oferta divulgada

 

A Pró-Reitoria de Ensino do Instituto Federal do Rio Grande do Norte, através da Coordenação de Acesso Discente, publicou na tarde desta quarta-feira, 15, os dados referentes a concorrência por oferta para o Edital 39/2017 PROEN/IFRN, que rege o Exame de Seleção, processo seletivo destinado aos estudantes concluintes do 9º ano do ensino fundamental que desejam cursar o ensino médio integrado a um curso técnico no IFRN.

O Exame de Seleção 2017 contou com mais de 22 mil inscrições. Entre os cursos ofertados, alguns se destacaram por atingirem média bastante diferenciada das demais ofertas do campus. No Campus Natal-Central, os cursos de Administração e Informática para internet, ambos do turno matutino, atingiram média de concorrência 20,78% e 18,69%, respectivamente, enquanto os demais cursos da unidade tiveram médias entre 6 e 12%. Em Parnamirim, o curso de Informática no turno matutino, alcançou média de 14,47% e os demais cursos do campus tiveram médias entre 4 e 8%. Já no Campus Apodi, o destaque é para o curso de Agropecuária, tanto no turno matutino quanto no vespertino, que chegou aos níveis respectivos de 7,64% e 8,64% enquanto os outros cursos ofertados tiveram média de 4%.

As provas do processo seletivo serão aplicadas no próximo dia 8 de outubro, mas os candidatos devem ficar atentos também para emissão do seu cartão de inscrição que estará disponível para impressão a partir de 25 de setembro.

Os alunos de São Miguel do Gostoso também concorrerão a uma das vagas nos Cursos de Eletrotécnica, Administração e Informática, ofertados pelo IFRN de João Câmara. Infelizmente, o Curso Preparatório destinado a preparação dos alunos foi cancelado pela atual Gestão, o que vai dificultar mais ainda o acesso aos cursos, pois de uma uma forma geral, as provas do IFRN dão ênfase para o português e procuram pessoas com uma formação generalista. Não adianta pensar que se você quer fazer Informática, basta entender das matérias de exatas. É bom que o aluno mantenha aquilo que domina e crescer o seu aprendizado nas demais matérias, para chegar na prova com um conhecimento equilibrado.

Lembrar que, assim como no Enem, a redação é extremamente importante em qualquer vestibular. Portanto, treine! Essa é a chave do sucesso.

Exame de Seleção – Concorrência por oferta

Exame de Seleção – Edital 

Fonte: IFRN

PREVISÃO DE REPASSE PARA PREFEITURAS EM OUTUBRO E NOVEMBRO SERÁ MENOR, AVISA FEMURN

Queda será de pouco mais de 2% no Fundeb e 40% do FPM em novembro, se comparado com o mesmo período de 2016.

POR HEITOR GREGÓRIO
DA TRIBUNA DO NORTE

sede-da-femurn-rua-maria-auxiliadora2c-756-tirol2c-natal-rn

A Secretaria do Tesouro Nacional divulgou nesta terça-feira, 12, as previsões de repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) para os meses de outubro e novembro. Além deles, também há previsões do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) para os próximos repasses de setembro. Os números indicam diminuição de recursos para as prefeituras, em comparação com os mesmos repasses de 2016.

A Federação dos Municípios do Rio Grande do Norte – FEMURN orienta aos gestores municipais atenção redobrada com os recursos municipais, devido à queda dos valores. Para o Presidente da Federação, Benes Leocádio, o momento é delicado: “A situação das Prefeituras é muito difícil. As gestões já não têm mais de onde cortar. Com as previsões de quedas de repasses, o que já está ruim tende a se manter ruim, e os prefeitos vão precisar de muita atenção e cuidado para que a coisa não se agrave”, comentou Benes.

Para Benes, a crise econômica afeta fortemente as Prefeituras municipais: “Os custos para manter as cidades funcionando e sanar os mais diversos problemas dos municípios se mantêm. Mas os repasses diminuem. Hoje, quase 90% dos municípios do Nordeste se mantêm do repasse do FPM. Fica evidente que é uma conta que não fecha, e prejudica demais as nossas cidades”, afirmou o Presidente. 

FPM

Historicamente, os repasses do FPM no segundo semestre são inferiores em relação aos resultados obtidos no primeiro semestre, influenciados pela restituição do Imposto de Renda – que compõe o FPM. As previsões são nominais e, por isso, não consideram os efeitos da inflação.

  • OUTUBRO – Para o mês de outubro a estimativa é de menos 2,6% em relação a outubro/2016.
  • NOVEMBRO – Para novembro, estima-se uma queda de 40,7% em relação a novembro/2016. 

FUNDEB

As previsões do Fundeb e a comparação em relação ao mesmo decêndio de 2016 são:

  • 2º Decêndio de setembro: queda de 19,67%
  • 3º Decêndio de setembro: queda de 15,20%
  • Mês de setembro inteiro: queda de 2,35%.

A MATEMÁTICA É CLARA
Por Ailton Rodrigues

Nenhuma prefeitura deve esperar apenas pelos repasses federais, isso já deveria estar claro para todos os gestores que assumiram neste ano. Óbvio que os recursos provindos de Brasília são os que mantêm os municípios funcionando, mas com esta notícia de cortes o que resta aos prefeitos e prefeitas será ‘aprender’ a arrecadar.

Uma reorganização financeira, principalmente para cidades turísticas como Touros, Caiçara do Norte, São Miguel do Gostoso, etc. O recebimento de grandes eventos e o incentivo ao turismo são alguns dos ingredientes que podem deixar as prefeituras com uma gordura a ser queimada para enfrentar estes momentos turbulentos de finanças.

Todos os munícipes das suas cidades têm que ter consciência do momento delicado,  mas como já mencionado acima, dá para ver soluções no horizonte. As grandes empresas pagam para se instalar ou promover algum tipo de evento nas cidades, com isso elas atraem centenas de turistas e junto com eles, muito dinheiro. Não se pode nem pensar em ‘perdoar’ impostos nessa hora, afinal, a matemática é clara e os funcionários sabem bem do que estamos falando.

ORIGINAL: http://blog.tribunadonorte.com.br/heitorgregorio/previsoes-de-repasses-em-outubro-e-novembro-indicam-diminuicao-de-recursos-para-prefeituras/

COM ALICIA KEYS E JUSTIN TIMBERLAKE, ROCK IN RIO TEVE SEU DIA MAIS ANIMADO

No Palco Sunset, os encontros entre Nile Rodgers e Chic, e Johnny Hooker, Liniker e Almério somaram ao line-up do último domingo, 17.

POR ANNA MOTA E LUCAS BRÊDA
DO SITE ROLLING STONE

img-1045796-alicia-keys-e-justin-timberlake

A diferença foi clara para quem visitou a Cidade do Rock no terceiro dia, após passar por lá na data anterior: o evento estava muito mais agradável para o público. O domingo, 17, estava menos cheio que o último sábado, 16, apesar de os ingressos estarem igualmente esgotados há tempos. O clima também decidiu dar uma trégua e, quando o sol se escondeu, foi possível até mesmo tirar a jaqueta da mochila.

Mas, às 16h30, a temperatura do Palco Sunset atingiu as máximas. Com um macacão de paetês que remetia a Freddie Mercury, Johnny Hooker entrou cantando performaticamente “Touro”, antes de convidar Liniker para se juntar a ele. Em dueto, os dois uniram vocais e bocas, com um beijo marcando a política “Flutua”, que arrancou lágrimas da plateia ao exibir no telão que “uma pessoa LGBT morre no Brasil a cada 25 horas”. A mensagem que ficou da necessária apresentação compartilhada pelos três artistas, Hooker, Liniker e Almério, foi: “Amar sem temer”.

Justin Timberlake faz pop sem apelação para público difuso do festival

E este não foi o único show épico do Sunset. Às 18h, a lenda do groove, Nile Rodgers, entrou já dedicando a apresentação à amiga Lady Gaga, que cancelou a participação às vésperas do festival. Acompanhado pelo Chic, grupo com o qual ganhou notoriedade, o guitarrista colocou a plateia lotada para dançar de maneira sem precedentes no festival, ostentando um “pouco” do currículo dele: “Like a Virgin” (Madonna), “Let’s Dance” (David Bowie) e “Get Lucky” (megahit do Daft Punk), entre muitos outros hits cocompostos por ele.

Já no Palco Mundo, Frejat intercalou momentos mais roqueiros e acústicos. No começo, ele disse que mostraria um show inédito, mas se baseou em hits mais que conhecidos do público, como “O Poeta Está Vivo”, “Por Você” e “Amor Pra Recomeçar”. De novo mesmo, apenas uma música recém-lançada, o pop rock “Tudo se Transforma”. O final foi estrondosamente celebrado, com “Exagerado” e “Pro Dia Nascer Feliz” gritadas pelas dezenas de milhares de vozes no Parque Olímpico.

Rock in Rio 2017: com discurso de repúdio à exploração da reserva amazônica, Alicia Keys esbanja talento em show de gingado brasileiro

Alicia Keys foi simplesmente estonteante no palco principal. A cantora esbanjou não só talento, mas também pluralidade em uma performance cheia de hits – os maiores foram “Girl On Fire”, “No One” e “Empire State of Mind”, originalmente uma parceria com Jay-Z – e com discursos coerentes sobre as mulheres e a causa ambiental. A apresentação contou também com participações nacionais: Pretinho da Serrinha na percussão e a líder indígena Sonia Guajajara, que comandou o grito contra a extinção da reserva mineral na Amazônia em “Kill Your Mama”, além do Dreamteam do Passinho, que apareceu na hora de “In Common”. Teve também homenagem ao finado Prince, com “How Come U Don’t Call Me Anymore?”.

Fechando o dia, Justin Timberlake dominou o palco em outra apresentação impecável em termos de produção. Carisma foi a palavra principal, já que ele fez questão de conversar, descer na plateia para tirar foto e, enrolado em uma bandeira do Brasil, ficar com os olhos cheios de lágrimas no encerramento. Mas, assim como aconteceu durante a apresentação de Alicia, o público heterogêneo do Rock in Rio, que busca mais uma experiência que um show, não respondeu à altura. Apesar do peso de faixas como “Summer Love” e “Señorita” na carreira de Timberlake, as músicas que realmente levantaram gritos foram as mais recentes: “Can’t Stop the Feeling” e “Mirrors”.

Original: http://rollingstone.uol.com.br/noticia/rock-rio-2017-com-shows-carismaticos-de-alicia-keys-e-justin-timberlake-terceiro-dia-e-o-melhor-do-fim-de-semana-do-pop/#imagem0

SEGUNDO DIA É MAIS CHEIO E VIBRANTE COM FERGIE E REPETECO DE MAROON 5

Shawn Mendes, Skank, Grandmaster Flash, Miguel com Emicida e Elza Soares com Rael, entre outros, também se apresentaram no evento no sábado, 16.

POR ANNA MOTA E LUCAS BRÊDA
DO SITE ROLLING STONE

img-1045768-maroon-5-e-fergie

Depois de um primeiro dia entristecido pela ausência da atração principal, Lady Gaga (que cancelou o show na véspera), o Rock in Rio enfim respirou. Só a primeira apresentação do palco Mundo, do Skank, teve um público mais numeroso e atuante que o principal show do dia anterior, o “tapa-buraco” Maroon 5.

O headliner era o mesmo, mas o público era outro. Em vez de fãs murchos de Lady Gaga, o Parque Olímpico recebeu as típicas plateias facilmente agradadas, que fazem todo tipo de festa sempre que um hit (novo ou completamente desgastado) sai das caixas de som. As filas estavam longas desde mais cedo e a locomoção foi muito mais difícil, apesar de a saída, que apresentou problemas no dia anterior, ter sido aperfeiçoada.

Rock in Rio 2017: “tapa-buraco”, Maroon 5 canta “Garota de Ipanema” em show esforçado

Até mesmo o palco Sunset teve mais vida: Elza Soares, no auge nos seus 80 anos, emocionou em show com Rael. Mesmo a performance de Miguel, bastante esvaziada para o horário, ganhou um gás com a participação de Emicida e foi interessante por apresentar a uma plateia mais ampla sons novos e muito pouco explorados pelo Rock in Rio.

Antes dos headliners, o palco Mundo também recebeu o vastamente celebrado Shawn Mendes, com uma performance doce para um contingente jovem e deslumbrado quanto ele. A lenda Grandmaster Flash fez um boogie afiado com um set focado na disco music e nos anos 1970, incluindo a catártica “The Message”, um pedaço de história lançado por ele em 1982.

Fergie fez um estardalhaço ao trazer ao palco Pabllo Vittar para cantar uma música dela mesma (com Anitta, “Sua Cara”) e ainda convocou Sergio Mendes para a “catarticamente carioca” “Mas Que Nada”. O show em si não foi dos mais inspirados, com Fergie abusando do playback e sofrendo com problemas no microfone, mas o público estava ali (quase exclusivamente) pelos hits, que lá estiveram.

Enfim com uma plateia “própria”, o Maroon 5 foi esperto. Garantiu uma exclusividade para cada um dos dois shows seguidos da banda no festival. Na sexta, 15, a versão de “Garota de Ipanema”, e, no sábado, 16, uma música inédita. Na prática, foi exatamente a mesma apresentação, do setlist às brincadeiras entre integrantes. Sem muito esforço, o Maroon 5 “funcionou” na véspera e dominou o dia seguinte, nos dois casos com a proposta mais infalível do Rock in Rio: a chuva de hits da FM.

Original: http://rollingstone.uol.com.br/noticia/rock-rio-2017-segundo-dia-mais-cheio-vibrante-fergie-repeteco-maroon-5/#imagem0