FILMES QUE RETRATAM ADOLESCÊNCIA SÃO TEMAS DO DEBATE DA SEGUNDA (16)

Anos 80, ‘Geração das Selfies’ e sexualidade foram os assuntos que rolaram no Debate.

POR AILTON RODRIGUES
FOTOS: ARICLENES SILVA
CENTRO DE CULTURA, S.M. DO GOSTOSO/RN.

_DSC8854.jpg
Público veio ao Centro de Cultura acompanhar debate

O Debate com os Realizadores desta segunda-feira (15) abordou o tema da adolescência em suas diversas vertentes e gerações. Com mesa cheia, diretores e elenco descontraíram os espectadores com abordagens técnicas e específicas das obras exibidas.

_DSC8844.jpg
Mesa do debate desta segunda (16)

Estavam presentes os diretores Pedro Medeiros (José Bezerra), Anita Rocha da Silveira (Mate-me Por Favor), Marcus Curvelo (Feio, Velho e Ruim), Marina Person (Califórnia) e José Priciano (Flôzinha). Além dos atores Bernardo Marinho (Mate-me Por Favor), Clara Gallo (Califórnia) e Caio Herowicz (Califórnia).

O Contador resume aqui os principais pontos do debate de hoje:

A INTENÇÃO ERA ESSA

_DSC8807
José Priciano fala sobre a “Flôzinha”.

O curta gostosense “Flôzinha” foi questionado pelo final abrupto onde deixava para os espectadores pensarem a conclusão da trama, em resposta a indagação Priciano falou que com um tema como esse vários finais poderiam ser escritos e que deixar aberto foi o melhor.

“Tínhamos quatro finais diferentes, mas decidimos optar pelo final aberto, outra coisa foi o pouco tempo que tivemos, por exemplo, gravamos tudo da Flôzinha em dois dias” – José Priciano.

DA TERRA

_DSC8811
Pedro Medeiros dirigiu “José Bezerra”

José Bezerra é um potiguar de Mossoró, o próprio Pedro Medeiros é fotógrafo e admitiu que sempre teve desejo de retratar a fotografia de modo documental. O curta nasceu da parceria entre o Coletivo que surgiu no Vale do Assú e Mossoró.

“A fotografia tem um poder histórico incrível” – Pedro Medeiros.

TUDO EU

_DSC8814
Marcus Curvelo, diretor de “Feio, Velho e Ruim”

A proposta de Marcus Curvelo ao pegar um celular, fotos do seu tempo de criança e um gravador foi gastar o mínimo de dinheiro para produzir “Feio, Velho e Ruim”, o curta trata de relacionamento virtual e solidão, onde o próprio diretor faz as honras de ser ator.

Apesar da simplicidade, até o barulhinho das mensagens do Facebook no final da trama se casaram com o filme.

“Foi incrível! O público e a recepção, enfim o festival está muito bom (…) Quando ouvimos o barulhinho do Face, chega a aquecer o coração, mesmo que não seja quem você está querendo” – Marcus Curvelo.

TOTALMENTE JOVEM

_DSC8820
Anita Rocha da Silveira, diretora de “Mate-me Por Favor” e ator Bernardo Marinho.

O primeiro longa de Anita Rocha da Silveira tratou justamente da adolescência, tendo como o plano de fundo uma série de assassinatos na Barra da Tijuca-RJ, partindo de lembranças da própria diretora.

Outras curiosidades do filme foram explanadas por Anita:

  • Por conter jovens ainda com idade abaixo dos 18 anos, o filme foi todo gravado em férias escolares.
  • Mate-me “namora” com o horror, mas traz um fato marcante na vida de Anita que é o assassinato de Daniela Perez.

Além disso, sobre os trechos que contém poesia de Augusto dos Anjos, ela declarou:

“É difícil encaixar poesia em filme, mas foi uma questão do roteiro. Tem também a citação da música do Claudinho e Bochecha” – Anita Rocha da Silveira.

MÚSICA TRABALHOSA

_DSC8830
Marina Person, diretora de “Califórnia”

“Califórnia” tratou da juventude de Marina Person remetendo aos anos 80, para isso ela resolveu abusar das músicas, incluindo artistas como Paralamas, Titãs e até artistas internacionais como David Bowie e The Cure. O detalhe foi conseguir os direitos autorais.

“Demoramos cerca de dois anos para conseguir toda a liberação dos direitos autorais de música. Foi caro, difícil, mas no fim deu tudo certo” – Marina Person.

_DSC8839
Debate teve duração de duas horas.

O Contador de Causos é a casa da Mostra de Cinema de Gostoso e nós continuamos de olho! Até qualquer hora!

6 PASSOS PARA CRIAR UM CURRÍCULO ESTRUTURADO

Por: Paulo E. Silva

Resultado de imagem para Currículo

Vamos a mais uma dica de currículo para vocês Leitores do Canal do Ensino!!!

O Currículo Vitae é um dos documentos mais antigos na hora de fazer seu marketing pessoal, em busca de uma nova vaga na carreira.

E por incrível que pareça não existe um consenso do melhorcurrículo, pois para cada área, momento da carreira ou até mesmo para as preferências do avaliador da vaga, alguns pontos são necessários e outros não. Como saber?

Claro que quando se fala de vaga, carreira, oportunidade, entrega de CV todos nós temos a tendência de escrever, escrever e escrever, isto é, vender o melhor de nós que chega a ultrapassar duas páginas os documentos. Porém, está prática pode criar um currículo cansativo ou até confuso e para evitar essas situações, vamos dar 6 dicas para implementarem na estrutura do CV e o que não estiver no documento saiba, você terá oportunidade de falar na entrevista!

Estrutura de Currículo

1 – Cabeçalho ou Topo

Dados pessoais e contatos atualizados, número de documentos são desnecessários.

2 – Objetivo

É muito importante você saber o que quer, do que realmente se trata a vaga a qual se candidata para que seu objetivo seja claro e seu CV não passe por descarte à primeira vista.

3 – Formação Acadêmica

Este dado é de suma importância, não omita datas de conclusão, o nome do curso correto e suas especialidades.

4 – Experiência Profissional

Neste campo é sua chance de demostrar suas habilidades e resultados, capriche para não perder oportunidades! Sempre as 3 últimas são as mais importantes e a cada empresa descreva suas atividades e ou responsabilidades de forma objetiva, busque os termos corretos para as descrições.

5 – Qualificações e Atividades Profissionais

Neste campo você poderá demonstrar os cursos que tem, mas não coloque datilografia, por exemplo, ainda que tenha se para a vaga almejada isso não é relevante.

6 – Informações Adicionais

Utilize este campo para fornecer alguma informação que julgue necessária para concorrer a vaga ou a evolução da carreira.

Espero que tenham curtido e até a próxima!!!

Fonte: Canal do Ensino

FOTOGRAFIA, SELFIE E BEIJOS: CONFIRA PACOTÃO DO 3º DIA DA MOSTRA DE CINEMA

Com filmes bem leves, mas cheios de significado, Mostra atravessa 30 horas de programação e curta gostosense é destaque.

POR AILTON RODRIGUES
FOTOS: ARICLENES SILVA
PRAIA DO MACEIÓ, S.M.DO GOSTOSO/RN.

_DSC8660.jpg

Foi uma noite bem calma e leve na Mostra de Cinema de Gostoso neste domingo (15), filmes bem descontraídos e com temas bem importantes foram exibidos na Praia do Maceió.

Destaque absoluto da noite foi o terceiro curta gostosense “A Flôzinha” que tratou de outra lenda bem peculiar do município. O Contador fez um resumão dos principais fatos da noite:

QUE SUCESSO!

_DSC8698
Curta gostosense “Flôzinha” foi dirigido por Priciano Barbosa do Coletivo Nós do Audiovisual

O curta gostosense da noite foi o grande destaque, na trama de “A Flôzinha” a lenda local que trata de um ser que não deixa os caçadores pegar os bichos se não levarem oferendas, teve o distrito do Novo Horizonte como plano de fundo.

Na obra, uma senhora da comunidade chamada Dona Liquinha roubou a cena e “pegou” a trama para ela. Além de ser uma das atrizes, ainda canta e narra a história.

O POUCO VIRA MUITO

_DSC8700
Marcus Curvelo do curta “Feio, Velho e Ruim”

Com várias fotos, uma selfie e uma narração engraçada, Marcus Curvelo montou o curta “Feio, Velho e Ruim”, o filme apesar de simples instigou a imaginação de todos que estavam assistindo.

ATRAÇÃO A PARTE

O céu ontem realmente contribuiu com a sessão, foi mais de cinco estrelas cadentes e ainda a queda de um meteorito que iluminou o céu gostosense em um tom esverdeado por dois segundos. Muitos diretores já disseram que a exibição em Gostoso é diferente de tudo o que já viram.

ARTE POTIGUAR

_DSC8707
Pedro Medeiros dirigiu o curta “José Bezerra”.

No documentário “José Bezerra” a arte do fotógrafo potiguar é esmiuçada em uma das sessões dele pelo sertão do estado. Absolutamente tudo no preto e branco a sua sensibilidade mostra de forma única a realidade local e sua evolução.

BEIJO, BEIJO, BEIJO, BEIJO

_DSC8720.jpg
Anita Rocha da Silveira é diretora de “Mate-me Por Favor”

Uma onde de assassinatos leva uma menina a se perguntar se ela realmente está viva, assim foi brevemente resumido “Mate-me Por Favor”, mas outra palavra que descreve com maestria a trama é “beijo”. As cenas longas e em grande quantidade foram muito usadas pela diretora Anita Rocha da Silveira.

VOLTANDO AO PASSADO

_DSC8736.jpg
Marina Person e elenco de “Califórnia”

Em “Califórnia” a descoberta da adolescência e os anos 80 foram a grande tônica, temas como sexualidade e Aids foram enfatizados e fechou a noite com chave de ouro.

O Contador de Causos segue na cola da Mostra, até lá!