ELEIÇÕES 2020: JUÍZA DA 14ª ZONA ELEITORAL APROVA CANDIDATURA DE RENATO DE DOQUINHA (PSD)

Documento de nove páginas com decisão da juíza Lydiane Maria Lucena Maia foi veiculado nas redes sociais por apoiadores do atual prefeito.

POR AILTON RODRIGUES

Renato de Doquinha (PSD) tenta reeleição em 2020.

Um documento de nove páginas com a decisão da juíza Lydiane Maria Lucena Maia da 14ª zona eleitoral sobre o deferimento da candidatura do atual prefeito Renato de Doquinha (PSD) que tenta reeleição em 2020 foi veiculado nas redes sociais nesta última segunda-feira (19).

Na decisão a juíza alega que o processo ao qual Renato havia sido julgado em 2018 por contas rejeitadas pelo TCE-RN referente ao primeiro bimestre de 2010 não faz menção a perca dos seus direitos políticos e por isso entende que ele está apto para a disputa do cargo de prefeito.

Além disso, o documento ainda diz que a irregularidade julgada em questão foi sanada com o pagamento da multa e a publicação tardia da prestação de contas em novembro de 2011.

A decisão é mais um episódio de uma disputa jurídica que começou antes mesmo da corrida eleitoral. No último dia 05 de outubro, o Ministério Público já havia enviado para a Justiça Eleitoral um documento de 29 páginas recomendando a impugnação da candidatura do atual prefeito.

O julgamento em si foi encerrado em 11 de outubro de 2018, após o pedido de reconsideração da primeira sentença. Por fim, em fevereiro de 2019 foi publicado que o processo estaria com o status de trânsito em julgado, ou seja, que não caberia mais nenhum tipo de recurso.

No site oficial de divulgação de candidaturas do Tribunal Superior Eleitoral nesta terça-feira (20) ainda consta todas as 62 candidaturas dos três cargo em disputa com o status de aguardando julgamento.

Nós continuamos de olho. Até qualquer hora!

22 GOLS, VITÓRIA NO TALENTO E GOLEADA: O FINAL DE SEMANA DA COPA DO SÍTIO

Cinco jogos agitaram o final de semana da competição e teve direito a goleada de 8 a 0. No feminino, vitória veio no finalzinho da partida.

POR AILTON RODRIGUES

Leeds (de vermelho) venceu por 3 a 0 o jogo contra os Guerreiros (de azul).

O final de semana da Copa do Sítio foi agitado, com cinco partidas e 22 gols os destaques foram variados, mas não dá para não mencionar a grande goleada aplicada pelo RB Leipzig em cima do Atlético por 8 a 0 e a vitória no último minuto da equipe feminina do Vitória em cima das Tops.

Veja os destaques do Contador:

O HOMEM DAS SOBRAS

Fabrício do Leeds foi o nome do jogo contra os Guerreiros. Na vitória por 3 a 0 ele fez dois gols, ambos após completar passes dados pelos companheiros dentro da pequena área e sem goleiro.

O gol que completou a vitória foi dado após uma belíssima arrancada de Ivanildo que cortou para o meio e bateu na saída do goleiro Alan.

EMPATE COM SABOR DE VITÓRIA

Vitória e PSG de São Bento empataram em 2 a 2 em um jogo marcado pela ausência de atletas por parte do Vitória. Eles chegaram em campo com sete atletas contados e contaram com a chegada de apenas mais um no decorrer da primeira etapa.

Para completar o drama, Alexandre ainda saiu machucado e o rodízio tão usado por todos os clubes ficou praticamente impossível de realizar. O Vitória abriu o marcador com Gleissinho antes do 1º minuto de jogo, o empate se deu com Edvan em chute do meio da rua.

No segundo tempo, Ricardo virou o jogo, mas no finalzinho Messias arrancou o empate com sabor de vitória para o rubro negro dos Morros.

O MASSACRE DO LEIPZIG

RB Leipzig aplicou sonora goleada em cima do Atlético.

Foi um verdadeiro atropelamento a goleada de 8 a 0 do RB Leipzig em cima do Atlético. A avalanche com rodízio de três grandes jogadores fizeram a tarde do Atlético ser muito triste.

Felipe Mateus e Jean fizeram 3 gols cada e o cardápio terminou com Diógenes marcando mais 2 gols. Ainda teve os ameaços de Jaemerson que fizeram o goleiro Albert trabalhar bastante.

UM SOL PRA CADA UM

A partida entre RB Brasil e Schalke foi debaixo do sol das 10h no Sítio, mas o RB em si parece não ter sentido o efeito. Miguel, Ailton e Joniedson marcaram para o RB Brasil, enquanto Edson fez o gol de honra do Schalke.

Nesse grupo específico são apenas três clubes disputando duas vagas, por isso cada gol pode ser importante.

TEVE QUE SER NO TALENTO

Vitória e Tops só foi decidido no último minuto.

A partida feminina entre Tops e Vitória foi decidida no último minuto com uma jogada plástica de Mariana. Ela driblou três jogadoras e bateu na saída da goleira.

Antes disso, a partida vinha amarrada e sem muita criatividade. No primeiro tempo, Andressa havia aberto o marcador para o Vitória em toque de cabeça e na sequência Luciana empatou no chute forte do meio da rua. Placar final, 2 a 1 para o Vitória.

Nós continuamos de olho na Copa do Sítio. Até qualquer hora!

COVID-19: GOSTOSO REGISTRA 26 CASOS NOS PRIMEIROS 16 DIAS DE OUTUBRO

Secretaria Municipal de Saúde diz que ampla maioria são de casos já curados, uma pessoa segue em recuperação e alerta permanece.

POR AILTON RODRIGUES

A Secretaria Municipal de Saúde registrou nesta última sexta-feira (16) um número que liga o alerta sobre o aumento dos casos confirmados de Covid-19 no município. Foram 26 casos nos primeiros 16 dias do mês de outubro.

Se comparado com o mês de setembro, onde o município apenas registrou dois casos, o menor número desde o início da pandemia, a diferença chega a ter um aumento de mais de 100%.

O restante do boletim trazia 10 casos suspeitos e mais 279 casos descartados. Entre os confirmados 149 pessoas estão curadas, 01 segue em tratamento e 10 gostosenses perderam a vida em decorrência de complicações da doença.

CAMPANHAS ELEITORAIS PROMOVEM AGLOMERAÇÕES

As campanhas eleitorais podem ser um fator para o crescimento da incidência da Covid-19. O Ministério Público já havia emitido alerta para os partidos dos município de São Miguel do Gostoso e Touros no início da campanha para que evitem eventos e cumpram regras sanitárias durante o período eleitoral.

Apesar disso, caminhadas com grandes concentrações de pessoas na sede e distritos, além do acontecimento de duas carreatas com grande volume de público descumpriram todos os protocolos de segurança estabelecidos pelas próprias entidades sanitárias.

Na ocasião, após a recomendação do MP, três – Jubenick (Solidariedade), Tiquinho (MDB) e Miguel Teixeira(PL) – dos quatro candidatos a prefeitura gostosense afirmaram ao Contador que cumpririam as recomendações, apenas Renato de Doquinha (PSD) não respondeu aos contatos da nossa redação. Mas não é o que foi visto na prática por nenhum deles.

Apesar disso, todos acabam sendo resguardados pela própria prefeitura que publicou o decreto 111 no dia 05 de setembro permitindo eventos de até 1000 pessoas já a partir do dia 03 de novembro. No dia 20 de outubro serão permitidos eventos com 700 pessoas.

Há também o alto fluxo do turismo, as pessoas estão mantendo uma alta rotatividade nas praias e na própria sede durante os finais de semana. Durante os últimos feriadões foram registrados volumes grandes de aglomerações de veículos e pessoas.

O Contador continua alertando que a pandemia não acabou. Use a máscara, o álcool gel e evite aglomerações.

Nós continuamos de olho.

MAGIC THE GATHERING: CAPÍTULO 1 – DRAGÕES E PRÉ-HISTÓRIA

POR IASLAN NASCIMENTO

Esta é uma linha do tempo da história de Magic: The Gathering. É um documento não oficial, mas todas as informações sobre ele foram retiradas de fontes canônicas oficiais. Todas as histórias que podem ser datadas, ou não podem ser datadas, mas podem ser colocadas em algum ponto da linha do tempo por causa de sua conexão com outras histórias, foram incorporadas ao máximo possível. Observe que este cronograma não é totalmente preciso e alguns eventos têm uma data estimada ou um intervalo de datas em que poderiam ter ocorrido.

As datas nesta linha do tempo estão em A.R .: Reckoning Argiviano( é o calendário principal usado em Dominária. Ele define o ano 0 como o ano em que Urza e Mishra nasceram. Só entrou em uso muitos anos depois da época dos Irmãos, e foi usado informalmente por vários milhares de anos antes de se tentar esclarecer fatos históricos.), com o ano 1 começando com o nascimento de Urza. Outros cálculos conhecidos são Penregon Founded, começando com a fundação da cidade Penregon em ~ 912 AR, e o Reckoning dos Sábios de Minorad, começando com a reunião dos referidos sábios em 3000 AR. Um ano Dominarian tem 420 dias e é dividido em doze meses de 35 dias. 

A maioria das datas pré-revisadas foram fornecidas no cálculo do Minorad, mas a maioria delas não pode ser verdadeira na continuidade pós-revisionista. O cálculo de minorias é apenas incorporado na linha do tempo e traduzido para A.R. se ainda pode ser verdadeiro na continuidade atual.

Pré história 

-100.000

Os Equilorianos começam sua busca pela iluminação. Equilor era um dos planos mais antigos e distantes do Multiverso. De acordo com Urza (mais a frente conheceremos sua história) , era o plano mais antigo, da “extremidade do tempo”. Tudo naquele plano parece “sem cultivo” e “gasto”. Não se sabe muito sobre este plano, já que o único relato dele foi a visita de Urza. 

O plano era habitado por seres poderosos, que eram aparentemente humanos. Não se sabe se eles eram planeswalkers ou apenas uma civilização que desenvolveu magia poderosa. Eles alegaram que Urza os encontrou apenas porque eles permitiram que ele fizesse isso. Supostamente, sua magia poderia esconder o plano. Eles também tiveram muitas percepções sobre outros planos do Multiverso. As pessoas de lá também parecem ter superado seu desejo de grandeza e até o próprio tédio. Os Equilorianos supostamente começaram sua busca pela iluminação em -100.000 AR. As montanhas em Equilor são mais planas do que a maioria das montanhas e parecem ter sido achatadas apenas com o tempo. Uma névoa que nunca se levanta, conhecida como Névoa Eon, existe no plano, além de um local notável que é Bloodhill Bastion, uma cidade em uma colina que aparentemente foi criada com tecido vivo. Criaturas semelhantes a esfinges o estão guardando.

Névoa de Eon

Carta que representa Bloodhill Bastion

A história do Mito

-20.000 – -15.000

O UR-Dragon  gera os primeiros dragões em Dominária. Eles se tornam coletivamente conhecidos como Dragões Anciões.  O Ur-Dragon, Progenitor do Fogo, é um dragão Avatar enorme e extremamente poderoso. Uma entidade desde o alvorecer dos tempos, é a essência primordial de todos os dragões do Multiverso. Com suas asas, que se estendem por todas as eternidades, ela agita o tecido do cosmos. Sua respiração sopra sobre os mortais, roubando a essência da vida. Com garras que rastelam o éter, ele rompe os laços antigos. Graças aos seus olhos, o Ur-Dragon percebe as verdades mais profundas escondidas nos poços do tempo. Seu rugido berrante convoca sua ninhada, ecoando pelo sangue de toda a espécie de dragão, pois o Ur-Dragão é o progenitor do qual os dragões do Multiverso se originaram. 

Ur Dragon

O Ur-Dragon é descrito como uma sombra enorme, escura e assustadora. É um ser que vive entre e entre, em um lugar e em nenhum lugar: é aparentemente cego. Em sua viagem pelos planos, ele cria tempestades com o bater de suas asas: dessas tempestades nascem outros dragões. Seus “filhos” incluem os gêmeos Elder Dragons Ugin e Nicol Bolas, bem como seus irmãos e primos. 

Como dito, o espírito do Ur-Dragão sente através de todos os dragões, concedendo-lhes poder físico, magia poderosa e inteligência incomparável. Entre os dragões, o Rebento do Ur-Dragão sente esse vínculo visceral mais próximo do que a maioria, e ele acredita em si mesmo para ser o sangue de seu poderoso ancestral.  No entanto, ele não está sozinho em seu poder. Os Dragões Primitivos de Dominária, na verdade, cada um carrega uma das características do Ur-Dragão.

Os Dragões Anciões eram dragões ancestrais de Dominária. Dizia-se que seu vasto poder rivalizava com o dos planeswalkers. Um dos contos cronologicamente mais antigo da tradição mágica que temos é sobre a Guerra do Dragão Ancião, um conflito que abalou o plano de Dominária e matou a maioria de sua espécie. Os vencedores da guerra se tornaram os ancestrais de todos os dragões e drakes, enquanto os perdedores foram despojados de suas asas, membros e a maior parte de seu poder e se tornaram os Vormes Ancestrais da Terra, que geraram todas as outras espécies de verme.  Viashino também são descendentes deles, embora não se saiba como.

Os Dragões Anciões diferiam dos outros dragões por estarem conscientes no momento em que eclodiram, sabendo instintivamente seu nome. Sua hierarquia interna derivou originalmente do tempo que custou para eclodir. Segundo Nicol Bolas, eles têm vários corações.

Nicol Bolas

Como os outros Dragões Anciões, Nicol Bolas era a cria do Ur-Dragão, nascido de uma Pedra-ovo das asas do Ur-Dragão, que caiu do céu como um meteoro. Nascido simplesmente como Nicol, ele emergiu de sua gema de ovo junto com seu irmão Ugin. Enquanto todos os outros ovos de Dragão Ancião geraram apenas um dragão, Nicol e Ugin acordaram juntos, nomearam-se juntos e tocaram o solo de Dominária no mesmo instante.  Ambos tinham apenas metade do tamanho de seus outros irmãos. Quando eles testemunharam sua irmã recém-nascida Merrevia Sal sendo morta por humanos e seus cães, Nicol expressou indignação, mas Ugin o convenceu a não ajudá-la – para preservar suas próprias vidas, buscar mais conhecimento e encontrar seus irmãos. Inspirado pelo sol – que ele descreveu como brilhante e destemido – e por seu sucesso em matar um dos cães, Bolas adquiriu a noção de que este multiverso é um lugar de “caçadores e perseguidos”. Originalmente, Bolas era visto como o menor dos Dragões Anciões, zombeteiramente chamado de Last Fallen, tendo compartilhado seu nome com Ugin e sendo menor e mais fraco do que seus irmãos.

Ao contrário dos dragões normais, o Bolas é de pele dourada fica em duas pernas, usando sua longa cauda para se equilibrar. Seu rosto é achatado e largo, com uma boca e características humanas. Seus chifres se curvam para cima, emoldurando uma orbe pairando entre eles, e suas enormes asas se espalham atrás dele. Quando Bolas respira fogo, é tingido de preto com a magia da morte. Seu vôo é deselegante.

Em um ponto, Bolas era o planinauta mais poderoso do Multiverso. Junto com seu gêmeo Ugin, eles são possivelmente os seres vivos mais velhos. Dizia-se que ele já estava velho antes mesmo de Dominária nascer. Ele gerou raças inteiras, povoou planos inteiros e então os perseguiu até a extinção para sua diversão. A marca registrada de Bolas é seu toque, uma habilidade inata que causa um efeito de estilhaçar a mente com a menor carícia.

Ugin é um dragão de grande estatura, com asas emplumadas e escamas de um azul cintilante. Ele é o irmão gêmeo de Nicol Bolas e irmão de Arcades Sabboth, Chromium Rhuell, Merrevia Sal e Palladia-Mors. Ao contrário de seu irmão gêmeo, Ugin não tem interesse no poder por si mesmo, preferindo, em vez disso, a busca pelo conhecimento na esperança de desvendar os segredos da criação. Em sua busca por conhecimento, Ugin aprendeu a transcender as cores do mana e agora está centrado no mana incolor, embora mantenha a capacidade de usar todas as 5 cores.

Como seu irmão gêmeo, Ugin é um dos planeswalkers mais poderosos que existem. Suas capacidades vão desde a transmutação de energia em matéria até a manipulação do tempo e do destino, e em várias ocasiões, ele provou ser capaz de retornar dos mortos. Sua respiração é uma chama invisível conhecida como fogo fantasma, que pode incinerar quase tudo no multiverso. 

Quando Chromium apontou que os gêmeos compartilhavam seus nomes, um para cada, Nicol escolheu o segundo nome de Bolas para se sentir igual a seus irmãos maiores. Depois que Palladia-Mors zombou de seu tamanho e suas técnicas de caça, os gêmeos passaram anos aperfeiçoando várias técnicas de caça em conjunto.  Após este tempo, eles conheceram e viveram com Arcades Sabboth, que fixou residência como dragonlord em um assentamento humano. Aqui Nicol aprendeu sobre a natureza dos humanos e como eles podem ser facilmente manipulados para atingir seus próprios objetivos. Tendo aprendido o suficiente, ele levou Ugin em busca de vingança pelo assassinato de sua irmã. Depois de enganar os caçadores de dragões em uma briga entre várias facções, ele assumiu como líder supremo. Depois disso, ele tentou usar seu irmão para seus próprios fins, e Ugin percebeu que Balls nunca tinha realmente se importado com ele. Este choque mental fez com que a centelha do planinauta de Ugin se acendesse. 

Ugin

Guerra dos Dragões 

Início da guerra

A guerra começou quando sete descendentes de Vaevictis Asmadi invadiram as terras de Nicol Bolas. Depois de derrotá-los com seu exército, usando táticas anteriormente empregadas por seus súditos caçadores de dragões, Bolas foi confrontado por Vaevictis e seus três irmãos Rubra, Ravus e Lividus. Embora Rubra tenha sido morto por uma flecha envenenada, o exército de Bolas sofreu uma derrota devastadora e teve que recuar nas montanhas. Lá, eles foram novamente confrontados por Ravus e Lividus. Agora, os feiticeiros do exército de Bolas conseguiram matar Ravus. O próprio Balls dominou a mente de Lividus e o virou contra Vaevictis. Isso foi o suficiente para escapar.

 Vaevictis Asmadi

As manipulações de bolas

Após esses eventos, Bolas mudou de tática. Manipulando os muitos clãs de dragão, ele os colocou um contra o outro. Palladia-Mors foi facilmente influenciado para entrar na briga. Os dragões de um clã atacaram as fortalezas de um clã primo nas montanhas. Em meio aos picos cobertos de neve, os dragões lutaram em batalhas trovejantes, garra com garra, fogo com fogo. Carne carbonizada choveu dos céus. Ossos quebrados na base dos penhascos. Aqueles cuja fome nunca poderia ser saciada abriram caminho através dos moribundos, banqueteando-se com a carne sangrenta de sua própria espécie.

Palladia – Mors

Envolvimento de humanos

Os dragões voltaram sua gaze sobre os campos e rebanhos dos assentamentos humanóides. Alguns desejavam meramente devorar os humanóides como eles haviam caçado e devorado rebanhos selvagens. Outros desejavam gerenciá-los como gado, pronto para o abate quando sua fome aumentasse. Alguns desejavam ensinar e guiar os humanóides, mas seus esforços freqüentemente eram recebidos com ingratidão e incompreensão. Até mesmo o esperto Chromium Rhuell passou a se esconder enquanto fingia ser algo que não era, para não ser desprezado pelos humanos que afirmava que o amava ou comido pelos dragões que desprezavam sua filantropia mesquinha.

Chromium Rhuell

A propagação da guerra

Os dragões cruzaram os mares poderosos para encontrar novas terras nas quais alimentassem sua fome de carne e poder. Quando mesmo aquelas costas distantes se tornaram muito lotadas, os dragões lutaram entre si com dentes e garras, com fogo e gelo. Sob os padrões do dragão, eles formaram orgulhosos bandos de guerra entre os humanóides que os adoravam ou temiam. Feiticeiros que buscavam um poder semelhante ao de um dragão através do domínio de seus dons mágicos vieram rastejando para oferecer seus serviços, pois em todo o mundo nenhuma criatura é tão poderosa quanto um dragão, nem no início dos dias e nunca durante todo o período interminável eternidade. Até mesmo o sábio Arcades Sabboth jogou sua força na grande guerra enquanto ouvia os sussurros de Bolas que passavam por sua mente.

Assim, a guerra começou enquanto Bolas assistia de uma distância segura, confiante de que seria o vencedor final.

O último confronto

A guerra durou muitas gerações humanas e, no final, Balls governou metade de Dominária. O último confronto da guerra ocorreu em Jamuraa, entre as tropas do próprio Nicol Bolas e Arcades Sabboth. Apenas a intervenção inesperada de Ugin evitou a derrota final de Sabboth. A guerra terminou ali e então, porque na raiva e na inveja de Ugin, Bolas o “planeswalker” se acenderam e ele partiu. 

Arcades Sabboth

Consequências 

Apenas sete Dragões Anciões parecem ter realmente sobrevivido à guerra. Eles são os irmãos Chromium Rhuell, Arcades Sabboth, Palladia-Mors, Nicol Bolas, Ugin (os dois últimos são na verdade gêmeos), seus primos Vaevictis Asmadi, e Piru, amante de Chromium. No entanto, apenas as cinco Lendas do Dragão Ancião foram lembradas como sobreviventes, porque depois que Piru foi morto por Dakkon Blackblade no passado, apenas uma vaga lembrança dela permaneceu. Atualmente, Nicol Bolas e Ugin são os únicos Dragões Anciões conhecidos que ainda vivem. 

Um oitavo Dragão Ancião, Merrevia Sal foi morto no passado, logo após seu “nascimento”. Outros foram Rubra, Ravus e Lividus.

Por volta dessa época, os Dragões Anciões, que governaram Dominária por muito tempo, estavam envolvidos na Guerra dos Dragões Anciões. Os vencedores dessa guerra foram Nicol Bolas (que ascendeu), seus irmãos Ugin, Arcades Sabboth, Palladia-Mors e Chromium e seus primo Vaevictis Asmadi. Aqueles que perderam a guerra foram derrubados no chão, despojados de seu título, para nunca mais voar, tornando-se Wurms. 

RELEMBRE O QUE ACONTECEU NA COPA DO SÍTIO, COMPETIÇÃO VOLTOU NESTE DOMINGO (11)

Após sete meses e dois dias da pausa por causa da pandemia, competição voltou com duas partidas neste domingo (11).

POR AILTON RODRIGUES

Cruzeiro perdeu para os Pedreiros por 1 a 0

A Copa do Sítio foi reiniciada neste domingo (11), após sete meses de pausa por conta da pandemia de coronavírus que parou o mundo em 2020.

Duas partidas deram reinicio a competição: PSG 0 x 3 Guerreiras abrem a competição feminina às 09h e Cruzeiro 0 x 1 Pedreiros concluíram a 1ª rodada do grupo A da categoria masculina às 10h.

Apesar da notícia da retomada, a competição perdeu cinco clubes ao longo da quarentena (PSG, Intertouros, Brazuca, Barcelona e Tomate FC), o que fez os grupos da competição serem modificados, mas mantendo os que permaneceram nos mesmos grupos. Antes os 20 clubes eram divididos em cinco grupos de cinco clubes, agora são três grupos de quatro clubes e um grupo com apenas três.

Os grupos A e B que já haviam aberto a competição no dia 08 de março, mantiveram os mesmos jogos. A diferença é que os clubes que desistiram e estavam nestas chaves foi dado o W.O e os demais clubes ganharam os 3 pontos. Para o grupo C foi remontada as partidas com os quatro clubes e no grupo D foi organizado um triangular. Dois clubes por grupo passam para as quartas de final.

Agora, será que você lembra o que rolou na competição antes da pausa da pandemia? Vamos relembrar!

TORNEIO ABERTURA

No dia 01 de março o Torneio Abertura reuniu 22 clubes, apenas Cruzeiro e Galo Doido não participaram e por isso começaram a competição com zero pontos.

A final do Torneio foi entre Pedreiros e Espartanos e o clube de Gostoso venceu os tabuenses por 2 a 0. Com isso, Pedreiros abriram os trabalhos com 3 pontos enquanto os Espartanos tiveram 2 pontos. Os demais clubes que participaram tiveram 1 ponto na classificação.

GALO E IF FC COMEÇARAM VENCENDO

Dois jogos abriram a Copa do Sítio no bem passado domingo de 08 de março. O Galo Doido venceu o PSG do Antônio Conselheiro por 3 a 2, já o IF bateu o Espartanos por 4 a 2.

Alisson do IF continua como artilheiro da competição com 3 gols marcados justamente nesse dia.

GUERREIRAS E PEDREIROS VENCEM NA RETOMADA

Guerreiras golearam PSG por 3 a 0.

Os jogos finalizados neste domingo (11) acabaram com vitória das Guerreiras por 3 a 0 contra o PSG na abertura da categoria feminina. Gols de Avaline, Joyce e um gol contra da Amanda.

Já no masculino, os Pedreiros venceram o Cruzeiro do Baixio por 1 a 0. O gol de Júlio César deu a vitória para o time que venceu o Torneio Abertura e deixa o time tranquilo na classificação com 9 pontos.

Continuamos acompanhando a Copa do Sítio. Até qualquer hora!

CONTOS DE MAGIC: THE GATHERING (MTG)

Oi, Eu sou o Iaslan Nascimento do Contador de Causos e do Nerd atrasado e esse é o meu novo projeto!

Muitos de vocês não devem conhecer o Magic the gathering, mas esse Card game é um dos jogos mais famosos do mundo, além de ser o primeiro Trading Card Game (TCG) ( que significa basicamente que é um card game que você pode jogar, trocar e colecionar) .

A minha ideia é publicar em forma de capítulos a lore (pra quem não sabe lore de jogos são as histórias do mundo, as mitologias e informações que normalmente ficam em background da história que vem sendo jogada).

Uma das coisas que mais me motiva é a minha curiosidade sobre a lore do jogo Magic the Gathering. O magic é o card game mais jogado no mundo e um dos jogos que possuem um game de histórias incríveis, mas que infelizmente são difíceis de se encontrar e às vezes você não consegue nem uma consistência na linha do tempo.  Não estou dizendo que vou conseguir, principalmente porque são mais de 25 anos de jogo vocês não teriam nenhuma paciência de acompanhar, entretanto eu gostaria de contar muito essa história, principalmente porque eu adoraria poder ler, Mas como já dito acima, não seria legal se eu contasse do zero, pois seria muito tempo e muitos episódios , então eu decidi por um formato um pouco diferente. Vou abordar a origem de 5 dos principais personagens do jogo e fazer um resumo da história até mais ou menos meados de 2015 que a partir daí farei história por história, isso não é um projeto simples, vai levar bastante tempo para que eu chegar na história de 2020 isso pq eu quero lançar estar lançando capítulos semanais

Mas para começar a dar um gostinho do que você vão encontrar nas histórias eu vou trazer alguns conceitos importantes.

Se você não está familiarizado com a história ou cenário de Magic: the Gathering, estes são alguns conceitos que você precisa saber antes de prosseguir:

Plano – Basicamente, um mundo. Pense em cada plano como um planeta, embora não necessariamente redondo, e estão mais em dimensões diferentes do que separados pelo espaço. A maioria dos habitantes do Multiverso não está ciente da existência de outros planos.

Multiverso –  é um termo usado para descrever o conjunto hipotético de universos possíveis, incluindo o universo em que vivemos. Juntos, esses universos compreendem tudo o que existe: a totalidade do espaço, do tempo, da matéria, da energia e das leis e constantes físicas que os descrevem.

Planeswalker – Alguém com a habilidade inata de viajar entre planos. Os planeswalkers são o ponto central da história. Os planeswalkers são considerados “um em um milhão”. A capacidade de andar pelos planos é conhecida como a “centelha” do planinauta, que normalmente é ativada / acesa por meio de traumas intensos. Com apenas algumas raras exceções, apenas os seres vivos de origem biológica têm uma centelha (sem construções, mortos-vivos, anjos ou demônios)

Dentro do Magic, as cartas existem em cinco cores distintas: Branco, Azul, Preto, Vermelho e Verde. Existem ainda cartas incolores (artefatos e terrenos), assim como multicoloridas que são as cartas que têm mais de uma identidade de cor. Como explicarei mais abaixo essas cores possuem diversos significados tanto dentro do jogo quanto na lore, um dos principais significados das cores refletem na personalidade e no modo de agir dos personagens. 

Branco

A mana Branca retira o seu poder das planícies, cuja teoria segue rigidamente. Representa a ordem, a justiça, proteção, a cura, a luz e a lei. No jogo, a cor branca apresenta-se como o equilíbrio, por possuir muitos recursos, muitos deles encontrados nas outras cores. Tem como sua grande fraqueza a quase completa falta de compras de cartas efetiva, o que a pode enfraquecer sem uma boa combinação com outras cores. Pode-se encontrar grandes criaturas e cartas com efeitos de controle, por exemplo, sendo a cor onde as mais poderosas remoções de campo se localiza. No entanto, esta é a cor típica onde também encontra-se cartas de proteção, prevenção e também ganho de vida.

Azul

A mana Azul retira o seu poder das ilhas e representa o controle dos elementos da água e do vento, o conhecimento, a ilusão e a astúcia. É também a magia do embuste, da enganação e da trapaça. A mana azul é conhecida como ‘a cor de controle’.

A sua mecânica de controle passa pela permissão e manipulação, ou seja, pela capacidade de permitir ou não as jogadas do adversário. Azul é ainda a cor com mais capacidade de comprar cartas, retornar permanentes em jogo para a mão do seu dono, “millar” (enviar cartas diretamente do baralho para o cemitério) o adversário e tomar controle de permanentes do oponente.

Seu ponto fraco é a dificuldade para lidar com permanentes que já foram jogadas, não tendo forma de as destruir diretamente, podendo no entanto retorná-las a mão do seu dono, que é a sua única forma de remoção de campo efetiva.

As cartas dessa cor também são conhecidas pela capacidade que possuem de tomar o controle da partida, chegando ao ponto de fazer pressões psicológicas ao oponente. Normalmente, baralhos azuis conseguem apenas chegar ao seu objetivo muitos turnos após o início do jogo, por isso é uma cor de paciência e estratégia

Preta

A mana Preta retira o seu poder dos pântanos, representa as trevas, a cobiça, a morte, a ambição desmedida e a busca pelo poder a qualquer preço. A cor preta tem a maior seleção de cartas dedicadas à destruição de criaturas do jogo. É também a cor típica de descarte e a capacidade de reutilizar criaturas no cemitério.

O jogador preto não olha os meios para atingir os seus fins, pelo que muitas das suas cartas mais poderosas exigem um sacrifício de vida ou de criaturas por parte do próprio. É uma cor autodestrutiva que procura apenas destruir o adversário ligeiramente mais depressa que a si mesma. A magia negra é muito poderosa, tendo em um de seus pontos fortes criaturas com a habilidade de “amedrontar”, criaturas tão horrendas, que somente criaturas negras podem confrontar diretamente com elas. Tome muito cuidado ao manipular a magia preta, pois apesar de destruir seus oponentes muito rápido, ela pode destruir igualmente a mão que a manipula.

Vermelho

A mana Vermelha retira o seu poder das montanhas. Representa o fogo, a destruição, a impulsividade, a paixão, a liberdade e o caos. A cor vermelha é a mais rica em dano direto, na destruição de terrenos e artefatos e em criaturas que tem a habilidade de “ímpeto”, e não sofrem o “enjoo de invocação”, podendo atacar no mesmo turno em que são invocadas. O vermelho é a cor mais agressiva por natureza. Procura ganhar através da velocidade do seu ataque. A sua capacidade de se defender é como tal praticamente inexistente. É considerada a magia do mago impetuoso: sem pensar, sem medir, sem tempo de pena. Pode se dizer como se fosse o fogo queimando e consumindo seu oponente rapidamente a cada turno. A magia vermelha é simples: basta apenas gerar mana e mandar dano direto. Um bom exemplo são mágicas vermelhas que usam apenas uma mana para serem conjuradas e em seguida usam “X”, sendo “X” o número de dano que o mago vai causar em seu oponente, ou seja, o mago usa uma mana para conjurar a magia e a quantidade de mana que ele puder, sendo essa quantidade o número de dano direto ao oponente.

Verde

A mana Verde retira o seu poder das florestas. Representa a natureza, a vida, o crescimento e a força bruta. Entre as cartas verdes encontram-se a maioria dos aceleradores de mana, assim como conectores para criar mana de outras cores, criaturas com grande poder e a habilidade de deixar suas criaturas mais fortes. Geralmente, a magia verde é usada por magos, que visa o poder da força que cresce a cada instante. O deck verde é considerado também como o deck dos “esmaga crânios”, criaturas monstruosas e gigantescas, que crescem a cada turno. Com extrema habilidade, o mago verde faz com que suas pequenas criaturas se tornem verdadeiros gigantes, uma magia um pouco lenta no começo, mas que se torna forte a medida em que a batalha se desenvolve. Força bruta é a base desse deck. Na magia verde, a estratégia quase sempre se resume a esmagar seus oponentes como se fossem nada.

A medida que a história for sendo contada podemos ir adicionando um glossário para que vocês possam ir consultando as informações 

Em breve passarei trazendo novidades e mais informações, agora vou voltar para o resumo das histórias. Até a próxima!!!

MP PEDE IMPUGNAÇÃO DA CANDIDATURA DE RENATO (PSD); EM NOTA, EQUIPE JURÍDICA DELE DISCORDA

Documento de 29 páginas foi veiculado nas redes sociais com recomendação do Ministério Público, decisão está nas mãos da Justiça Eleitoral.

POR AILTON RODRIGUES

Foto: André Correia

Um documento de 29 páginas com a recomendação do Ministério Público Eleitoral pedindo a impugnação da candidatura de Renato de Doquinha (PSD) ganhou as redes sociais na tarde desta última segunda-feira (05).

A recomendação é baseada em um julgamento de 2010, nele o Tribunal de Contas do Estado (TCE/RN) havia condenado o atual prefeito de São Miguel do Gostoso em 2017 por irregularidades financeiras na época em que ele exercia a função de Presidente da Câmara dos Vereadores. A condenação inclusive envolveu uma multa que deveria ser paga por Renato e cujo valor voltaria aos cofres públicos.

O julgamento foi encerrado em 11 de outubro de 2018, após o pedido de reconsideração da primeira sentença. Por fim, em fevereiro de 2019 foi publicado que o processo estaria com o status de trânsito em julgado, ou seja, que não caberia mais nenhum tipo de recurso.

Em nota, a equipe jurídica de Renato de Doquinha afirmou que a lei eleitoral aprovou a sua candidatura e que a sua documentação está em dia com a legislação. A nota ainda diz que a condenação não deveria estar na lista do Tribunal de Contas do Estado (TCE) por não haver configuração de dolo para pena de improbidade administrativa.

Apesar do MP discordar da nota publicada, a decisão parte agora para a Justiça Eleitoral que vai julgar o deferimento das 62 candidaturas entre prefeito, vice e vereadores.

Na tarde desta terça-feira (06) no site DivulgaCandContas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ainda mostra todos os candidatos com o status de “aguardando julgamento”.

Nós continuamos acompanhando as eleições 2020. Até qualquer hora!

O CONTADOR VIU: THE PROMISED NEVERLAND (1ª TEMPORADA)

Netflix disponibilizou em sua plataforma o anime que já era sucesso no Japão.

POR AILTON RODRIGUES

The Promised Neverland leva os espectadores a grandes aventuras.

Se tem uma obra que a gente recomenda assistir todo o primeiro episódio sem saber de nada, é The Promised Neverland. O anime chegou a Netflix após ter grande repercussão no Japão e ter sido disponibilizado pelo resto do mundo com a Crunchyroll.

Por isso atenção, na nossa resenha a partir de agora terá spoilers. Assiste o primeiro episódio e depois volta pra ler!

Dica do escritor

A trama foi originalmente desenhada por Posuka Demizu e escrito por Kaiu Shirai, além disso a história foi divulgada em capítulos semanais pela Shonen Jump, a mesma que veiculou Dragon Ball e Naruto. Na série animada a primeira temporada foi dividida em 12 episódios com cerca de 25 minutos cada.

Normam, Ray e Emma são os protagonistas de The Promised Neverland.

A história faz questão de nos ambientar em um orfanato cheio de crianças que recebem números no pescoço e convivem neste espaço até no máximo 12 anos. Nisso os protagonistas Norman, Emma e Ray descobrem que na verdade todos estão em um celeiro humano no qual virarão alimento para monstros e a partir daí começa uma luta pela fuga.

O detalhe que deixa a história encantadora são os jogos mentais entre a responsável pela fazenda, chamada pelas crianças de Mamãe, e as crianças que estão arquitetando a melhor maneira de escapar. Esse dinamismo sombrio e fantasioso fazem com que esse jogo de gato e rato peguem o espectador na medida certa.

É possível perceber referências de várias outras obras no dinamismo de The Promised Neverland, esse detalhe dos jogos mentais é claramente visto em Death Note e até Yu-Gi-Oh! A tríade de protagonistas tão famosa em clássicos como Pokemon, Três Espiãs Demais e Naruto também é marcante. Além da temática do humano exercendo outra função na cadeia alimentar, já visto em Parasite.

Os plots twists são emocionantes e a direção de Mamoru Kanbe conduz os espectadores a grandes reviravoltas, por isso analiso que o anime deixa uma boa expectativa para a segunda temporada (prometida pela Crunchyroll em janeiro). Não dá para prever nada do que vai acontecer.

Depois de tudo isso, só posso dizer que vale a pena você maratonar The Promised Neverland!

MP RECOMENDA AÇÕES PREVENTIVAS DA COVID-19 PARA CAMPANHA POLÍTICA EM GOSTOSO E TOUROS

Recomendação ocorreu depois que atos de aglomeração foram registrados em vários municípios do estado.

POR AILTON RODRIGUES

Ministério Público do RN recomenda ações para candidatos de Gostoso e Touros.

O Ministério Público do Rio Grande do Norte emitiu recomendações preventivas da Covid-19 para os candidatos de São Miguel do Gostoso e Touros seguirem durante a campanha política deste ano.

Dentre as recomendações, o MP pediu para que os prefeitos em exercício adotem medidas fiscalizatórias e preventivas e que cumpram ações higiênicos-sanitárias. Aos dirigentes dos partidos políticos foi dada a mesma orientação.

Além disso, foi alertado que os candidatos e seus assessores evitem promover eventos como carreatas, comícios, caminhadas e reuniões com grande número de pessoas, preferindo usar os meios virtuais. Caso façam eventos presenciais optar por lugares amplos, com ventilação natural, sem aglomeração e obedecendo protocolos sanitários.

Pedimos respostas as quatro coligações gostosenses que disputam o pleito. Tiquinho (MDB), Jubenick (Solidariedade) e Miguel Teixeira (PL) disseram a nossa redação que seguirão as recomendações do Ministério Público. Apenas Renato de Doquinha (PSD) não se pronunciou até o fechamento desta matéria.

No último boletim divulgado no dia 01 de outubro pela Secretaria Municipal de Saúde foram 370 notificações com 134 casos confirmados, 215 casos descartados e 21 casos suspeitos.

Nós continuamos de olho.