Arquivo da categoria: Entrevista

ENTREVISTA: PADRE JECIONE FALA SOBRE A CONSTRUÇÃO DA NOVA IGREJA DE SÃO MIGUEL ARCANJO

Chegado a pouco mais de 7 meses o novo Pároco de São Miguel do Gostoso deu segmento a missão da construção da nova Igreja Matriz, e já colhe resultados.

POR RICARDO ANDRÉ
SÃO MIGUEL DO GOSTOSO/RN

Na última quinta-feira (02) foi realizada a última missa no prédio da antiga Igreja Matriz de São Miguel Arcanjo. Foi uma celebração semanal de cura e libertação, e as ofertas do dia foram alimentos não perecíveis, que serão destinadas a famílias carentes, além disso foi um momento histórico na cidade e os fiéis aproveitaram para bater as últimas fotos.

OFERTORIO ALIMENTOS
Ofertório de alimentos na Missa de Cura e Libertação da última quinta (02)

O Padre Jecione da Silva Melo, natural de Ielmo Marinho/RN é o atual pároco da Paróquia de São Miguel Arcanjo em São Miguel do Gostoso e conversou com a gente sobre a construção da Nova Igreja Matriz.

Contador – Padre você chegou na paróquia faz algum tempo e  já é muito claro que a sua primeira missão aqui foi a construção da paróquia  – uma coisa que Dom Jaime já cobrava dos outros párocos – e estamos vendo que vamos ter um primeiro passo concreto nesta construção.

Pe Jecione – Eu estou aqui precisamente a 7 meses e com a graça de Deus, dando continuidade aos trabalhos já iniciados pelos padres que aqui passaram, e eu também estou nessa perspectiva. A realidade exige, e é visível aos nossos olhos, não é mistério para ninguém, também é um fato já conhecedor de todos, de que a igreja matriz de São Miguel Arcanjo em São Miguel do Gostoso está na situação que não temos mais o que fazer muito por ela (estruturalmente). De nossa parte precisamos unir forças dar as mãos e trabalhar para que com a graça de Deus, possamos construir uma nova Matriz dedicada a São Miguel Arcanjo aqui na nossa cidade

Contador – Padre, nesse meio tempo que a igreja vai estar sendo construída, aonde iram ser as missas de domingo e também onde vai funcionar a secretaria paroquial?

Pe Jecione – Veja bem é um ponto importante esta questão, pois avaliamos, olhamos para a estrutura da cidade e não vimos nenhum ponto, ou um local tão próximo aqui da Igreja Matriz, sendo assim levando em consideração esses fatores a nossa Matriz funcionará de forma provisória na Capela de Santa Luzia que também é dentro aqui da cidade apenas um pouco mais afastada, mas a matriz funcionará do lá, não sei por quanto tempo pois não tem como precisar o tempo que levará esta construção. A Secretaria Paroquial irá funcionar um pouco mais próximo,  aqui no centro no espaço da vereadora Clésia, ela disponibilizou uma sala para que pudéssemos ficar e funcionar a secretaria, próximo ao Conselho Tutelar. Graças a Deus ficou aqui um pouco perto porque tem a procura para devolver o dízimo, para marcar alguma missa, fazer alguma reunião, os atendimentos, então para funcionará aqui mais próximo onde fica a Igreja Matriz.

MAQUETE DIGITAL IGREJA DE SÃO MIGUEL ARCANJO
Maquete digital da nova Igreja Matriz de São Miguel Arcanjo

Contador – Sabemos que um ponto inicial desse trabalho da construção da Matriz nesse ano 2018 foi o Bingo, que foi um sucesso. Eu acho que esse foi o grande destaque dessa campanha, mas e agora?  Como vai ficar a situação desse start? Qual a estratégia da igreja neste momento para dar continuidade nesse projeto.

Pe Jecione – É verdade, o bingo que nós realizamos no início de Maio graças a Deus foi uma benção. Foi um sucesso e foi assim o pontapé inicial na arrecadação para fortalecer o nosso espírito e o nosso animo, a comunidade chegou junto, participou, fez bonito mas como disse é o pontapé inicial, precisamos trabalhar ainda mais. Estamos neste exato momento com a campanha de arrecadação, algumas equipes aqui da igreja, os paroquianos,  o CPP (Conselho Pastoral Paroquial) se reuniram e passaram nas ruas da cidade deixando um envelope, essa campanha se dará durante dois meses, no mês agora de Julho que foi o primeiro mês e no mês seguinte, mês de agosto, também teremos uma outra arrecadação e aí futuramente em setembro vem a festa do nosso Padroeiro São Miguel Arcanjo e também nós vamos fazer lá vamos trabalhar nessa perspectiva de construção da Igreja de São Miguel Arcanjo. Temos o final do ano e possivelmente iremos realizar um outro Festival de Prêmios, ainda estamos vendo a possibilidade. Algumas pessoas já se colocaram à disposição e com a graça de Deus possivelmente vamos fechar o ano realizando mais um Festival de Prêmios em prol da construção da nova igreja matriz de São Miguel.

Contador – Existe um debate antigo sobre a questão histórica cultural da igreja de São Miguel Arcanjo para fundação do município, na história da cidade. Aqui dentro da Igreja, na imagem do Padroeiro, que é considerado patrimônio cultural do nosso município. A Matriz passou por uma série de mudanças que foram tantas que a descaracterizaram, como o senhor encara essa perspectiva de algumas pessoas, que ainda veem essa mudança como uma perda?

Pe Jecione – Eu encaro da forma mais tranquila possível, porque eu cheguei aqui procurei as informações, me passaram esta realidade de que a população, os fiéis, os paroquianos anseiam por uma nova matriz. Eu, graças a Deus, se tivesse aqui uma igreja totalmente primitiva, com uma igreja que apresentasse algum traço do seu tempo, da sua época, eu seria o primeiro a tentar restaurar, deixar como era, mas fazendo o estudo ouvindo as pessoas, ouvindo os mais velhos cheguei à conclusão, e claro, não sozinho, mas chegamos a conclusão de que o original aqui da igreja como você falou é justamente a imagem do nosso padroeiro e o lado esquerdo da nossa Igreja Matriz;  tirando esses dois aspectos, a imagem e uma parede lateral todo o restante já foi modificado por padres que passaram […]. Algumas pessoas se posicionam “contra”, dizem que vai apagar um pouco da história da cidade, da memória da igreja, mas na verdade, não. Não vamos fazer isso e também a intenção não é essa, a intenção é justamente ao contrário de fazer com que os fiéis os católicos os paroquianos aqui desta Paróquia tenham um Templo maior, um templo que possa comportar um número maior do fiéis, mais aconchegante e bonito, novo, para melhor acomodação os fiéis. Com relação as opiniões, eu vejo que a grande maioria pensa e está comigo, pois muitos desejam, incentivam e querem este trabalho, então eu vejo que a grande maioria dos fiéis pensam sim em uma novidade Matriz. Nós precisamos, a cidade precisa, a cidade é uma cidade turística e precisamos também fazer com que a igreja possa se adequar à realidade que ora se apresenta na cidade de São Miguel do Gostoso.

PE JECIONE
Padre Jecione

O Contador parabeniza o Pe. Jecione Melo, pelo seu aniversário natalício na última segunda (30) e pelo Dia do Padre.

Serviço:

Missa Dominical às 8h e as 19h na Capela de Santa Luzia, próximo ao condomínio Shambala.

Secretaria Paroquial – (84) 99459-2073

GOSTOSENSE APRESENTA TRABALHO EM CONGRESSO MUNDIAL DE INTELIGÊNCIA COMPUTACIONAL NO RJ

Valmiro Ribeiro é ex-“Contador” e viajou ao Rio de Janeiro para apresentar um trabalho no Congresso Mundial de Inteligência Computacional (WCCI).

RICARDO ANDRÉ
SÃO MIGUEL DO GOSTOSO

São Miguel do Gostoso já rendeu inúmeros estudos científicos ao longo dos anos e seus “filhos” também vem mostrando que podem voar alto. Foi na cola de uma dessas andanças dos gostosenses que o Contador viajou até o Rio de Janeiro em uma conferência internacional sobre sistema de redes e tecnologia.

O Contador conversou com Valmiro “Zuno” Ribeiro sobre esse evento, sua participação e as tendências de tecnologias que parecem coisa de ficção cientifica.

Contador – Conta para gente que evento foi esse.

Zuno – Eu fui para o Congresso Mundial de Inteligência Computacional (WCCI), que tinha outros três eventos dentro dele. A Conferência Adjunta de Redes Neurais, Simpósio de Lógica Fuzzy e o terceiro evento de Algoritmos Genéticos.

Contador – Qual sua Formação? E porque você foi para esse evento representando a UFRN?

Zuno – Eu sou formado em bacharel em Ciências da Computação pela UFRN, atualmente fazendo mestrado em sistemas de computação também pela UFRN. Tive um artigo aprovado e como era necessário apresentar, e eu fui o primeiro autor, fui indicado pelo DIMAp/UFRN, além disso, na ausência da minha orientadora fui convidado para conduzir a sessão técnica que eu estava participando.

Contador – Que trabalho foi esse que você foi apresentar?

Zuno – Apresentei um artigo sobre redes neurais para identificar usuários do jogo League of Legends (LoL) usando biometria. Biometria não é só a digital é qualquer característica que sirva para identificá-lo.

Contador – Pelo que a gente viu da sua pesquisa você não usa os recursos convencionais como digital e retina para identificar o usuário. Como é isso? E porque utilizar um jogo relativamente popular?

Zuno – Quando eu pego uma assinatura duas vezes se espera que elas sejam similares, no contexto de jogo isso torna as coisas bem mais difíceis. Eu estou usando a forma com que a pessoa digita, por exemplo, quanto tempo ela leva para digitar o “Q”, quanto tempo entre uma tecla e outra, e também como a pessoa usa o mouse, cadência de cliques, a velocidade e aceleração de movimento nas oito direções.

photo5071055392783575000

Valmiro Ribeiro representando o DIMAp/UFRN

Contador – Nesse evento que outros trabalhos chamaram a sua tu?

Zuno – Houve duas palestras gerais no primeiro dia. A de um chines falando sobre ciborgues e basicamente mostro que você pode utilizar equipamento eletrônicos para ampliar as capacidade de um individuo, como no exemplo de um elo onde você conseguia mandar informações direto para o celebro de um rato e tinha um cara com um capacete mandando informações para o rato atravessar um labirinto sem errar. Outra coisa interessante foi a palestra do brasileiro Miguel Nicolelis, conhecido pelo trabalho com exoesqueletos, e mostrou os avanços na pesquisa dele desde a Copa de 2014, quando ele fez um paralítico chutar uma bola, ele mostrou que através de chips alguns estímulos desenvolvidos na pesquisa do exoesqueleto podem ser utilizados no tratamento do mal de parkinson, e elas começam a recuperar os movimentos.

photo5051223643287300075.jpg

photo5051223643287300073
Microchip implantado na cabeça do rato permite comunicação com o ser humano.

Contador – Se a gente desconsiderar que vocês são cientistas e estão lá trabalhando, parece mais um evento de ficção cientifica. Que orientação você daria para esse pessoal que ainda ta pensando se vai encarar este ramo na vida?

Zuno – Primeiro, não tem como escapar da matemática (risos). Mas a matemática que será utilizada de fato não complicada por existem diversos programas para ajudar nos cálculos, no trabalho braçal. Sempre vai ser uma questão de aprender conceitos e aplicar esses conceitos, os computadores farão o trabalho pesado. Você não precisa conduzir sua pesquisa somente na área de exatas, em letras você pode esta atuando em informática, em biologia podemos entrar na neurociências que não possuem um plano de fundo grande na matemática. Mas recomendo a todos que queiram entrar no mercado que estudem programação, pois é a nova linguagem e invistam no “Inglês” pois as pesquisas não giram em torno do Brasil e permite que você possa se comunicar com outros pesquisadores e ler textos influentes na maioria escritos em Inglês.

Nós continuamos de olho. Até qualquer hora!

PARTICIPAÇÃO INTENSA DO INÍCIO AO FIM: 1º DIA DE DEBATE

 

POR IASLAN NASCIMENTO,  AIRIS VITAL E CINTHIA MATOS

Após o primeiro dia da mostra, hora de encontrar os diretores e conversar um pouco sobre tudo que rolou ontem.

WhatsApp Image 2017-11-18 at 19.07.47 (1)

O grande ó, curta gostosense mostrou a que veio, falando a linguagem dos jovens. Abordando o mundo dos games com uma leve crítica ao consumismo como bem definido, pelo diretor Rubens dos Anjos. O jovem diretor ainda tímido com todo os holofotes virados para ele, foi convicto ao dizer que o filme remete a sua infância, quando assistia desenhos japoneses.

WhatsApp Image 2017-11-19 at 03.37.37

Dácia Ibiapina trouxe para nós um documentário sobre Dedé Rodrigues que produz mesmo com poucos recursos produz de forma livre os seus filmes, entre os mais famosos estão a trilogia “ Cangaceiros fora de tempo”. Entre as várias perguntas respondidas pela diretora foi a pergunta: “onde fica as documentaristas no universo do cinema?”, sua resposta foi “um dos nossos grandes papeis é construir, administrar as relações pessoais”. Relatou ainda sobre suas expectativas sobre o projeto da Mostra de Cinema: “As minhas expectativas sobre o projeto é que ele possa continuar que não seja interrompido, sem perder o compromisso com a formação de novos cineastas. Mantendo o desejo de fazer filme em qualquer lugar, que é difícil mais não impossível […] Esses jovens aqui de Gostoso, será uma diferença no cinema brasileiro.”

WhatsApp Image 2017-11-18 at 19.07.47

Carlos Firmino diretor de fotografia veio representando o curta Borá. O roteiro do filme foi feito a partir do relato do prefeito da pacata cidade de Borá, no interior paulista. Como muito dos populares não se dispuseram a gravar, eles tiveram a brilhante ideia de filmar os espaços da cidade, passaram pela escola, delegacia, prefeitura, casas populares entre outros lugares. Em entrevista com Carlos ele apresenta a cidade de Borá como personagem principal e conta que é a história da micro cidade integrada ao macro (nesse caso, o grande progresso da tecnologia influenciando diretamente na vida pacata da nova segunda menor cidade do Brasil), através da tecnologia digital e os abusos que se criaria com essas dimensões. Enfatiza que foi uma experiência incrível o filme passar nesse cenário de Gostoso, em ambiente muito agradável, gostoso e um público de pessoas locais, do povo do cinema, de quem está de férias, que traz informações completamente diferentes por esse mix e entono.

WhatsApp Image 2017-11-18 at 19.07.48 (1)

O grande filme de ontem, também foi o mais requisitado para questionamentos e parabenizações. Gabriel e a montanha, veio de festivais como Cannes e outros pelos Brasil, mas João (Ator, que interpreta Gabriel) e Bruno (distribuidor) falaram como foi gostoso, exibir seus filmes sob o céu estrelado, relataram sobre a receptividade do povo gostosense com relação ao filme. João falou de todo o preparo que teve para viver o protagonista, do treinamento físico, teve todo o estudo sobre a vida do Gabriel. O filme teve o apoio do time do Flamengo, time de coração do Gabriel, que infelizmente faleceu usando a camisa do clube. O clube carioca liberou os direitos de imagem e da promoção para sócios torcedores. Além disso, foi possível ver o quanto todos os envolvidos ficaram emocionados aos relatos dos fatos da produção do filme, até obter a sua finalização.

WhatsApp Image 2017-11-18 at 19.07.48O primeiro dia de debate da 4ª Mostra de Cinema de Gostoso foi marcado por uma participação intensa do início ao fim. Um papo que se não tivesse hora para acabar ainda estava acontecendo.

O contador está de olho nos acontecimentos da mostra de cinema. Até a próxima!

 

JOGADOR ADALBERTO AGRADECE MENSAGENS DOS GOSTOSENSES: “A CIDADE INTEIRA TAMBÉM TORCE POR MIM”

Jogador que é natural de São Miguel do Gostoso comemorou acesso à Série B com o Fortaleza no último sábado (23).

POR AILTON RODRIGUES
FORTALEZA/CE

21687845_1100185646782683_2352896680983900554_n

Depois de muito sofrimento e pressão da torcida nas últimas temporadas o Fortaleza finalmente conseguiu o acesso para a série B do Campeonato Brasileiro, o feito aconteceu no último sábado (23) em Juiz de Fora onde mesmo perdendo para o Tupi por 1 a 0, a vaga ficou com o Leão por ter vencido a primeira partida por 2 a 0.

O Contador foi até a capital do Ceará para conversar com o zagueiro do Fortaleza, Adalberto, que é natural de São Miguel do Gostoso e ele trocou umas palavrinhas com a gente, onde primeiramente agradeceu as mensagens de carinho e incentivo que vieram dos seus conterrâneos:

 “Recebi inúmeras mensagens do pessoal de Gostoso, graças a Deus. Fico muito feliz por isso por que sei que tem muita gente torcendo por mim e não é só da minha família, mas a cidade inteira também torce por mim”, declarou o jogador.

Sobre o acesso para a Série B, Adalberto disse:

“É um sentimento maravilhoso, todos que assistiram viram que não foi fácil, mas deu certo. Eu fui o jogador que mais jogou a Série C, foram 4 temporadas pelo Fortaleza. Esse acesso foi um sonho que sempre acreditei e agora realizei. Tirei um peso das minhas costas”.

Questionado sobre esse “peso nas costas”, Adalberto nos explicou:

“Sempre teve essa pressão por parte da torcida. Eu cheguei aqui na temporada de 2013 e passei mais dois anos, saí e voltei para a temporada de 2017, ou seja foram 8 anos nesse sofrimento. A pressão era por causa da grandeza do Fortaleza para o futebol do estado do Ceará e do Brasil”.

O zagueiro também falou sobre a emoção de ver centenas de torcedores recepcionando eles na chegada a Fortaleza. Inclusive ele registrou esses momentos na sua rede social, confira abaixo:

  • Jantar de comemoração dos jogadores e comissão técnica:

  • Recepção dos torcedores na chegada ao CE:

Agora o objetivo do Leão é o título da Série C, o clube enfrenta o Sampaio Corrêa – MA nas semifinais do Brasileirão.

Nós parabenizamos o triunfo do Adalberto e continuaremos de olho. Até qualquer hora!

SENSEI DE CRISTIANO NUNES PRESTIGIA OPEN E O ELOGIA: ‘UM DOS MELHORES ATLETAS QUE FORMEI’

Sensei Elias Moreira veio assistir ao Open e prestigiou trabalho de um dos seus pupilos mais talentosos, de acordo com ele.

POR AILTON RODRIGUES
SÃO MIGUEL DO GOSTOSO/RN

OpenGostosense2017 (4)
Cristiano Nunes e seu sensei Elias Moreira.

Uma surpresa foi reservada para o presidente da AGOKS, Cristiano Nunes, durante o 3º Open Gostosense de Karatê que aconteceu neste último sábado (09). Dentre os visitantes que vieram prestigiar o evento, um dos antigos professores de Cristiano também vieram lhe visitar e claro que nós acompanhamos este encontro.

O sensei Elias Moreira formou o atual vice-presidente da FNK da faixa branca até a faixa preta e demonstrou estar orgulhoso com o trabalho social desempenhado pelo seu pupilo.

“Para mim é uma grande honra estar nesta etapa do estadual com Cristiano aqui e eu já sabia disso. Eu como professor dele peguei muito no seu pé para que ele chegasse a esse patamar imenso que ele teve em colocar São Miguel do Gostoso no mapa do karatê. Estou satisfeito em ver a capacidade que ele atingiu, meu aluno da faixa branca até a faixa preta”, declarou Elias.

Em outro trecho da entrevista que o sensei Elias deu ao Contador, contou um pouco da trajetória de Cristiano dando ênfase que via potencial no até então, menino:

“Cristiano começou a treinar karatê comigo aos 9 anos, as dificuldades para ele foram maiores do que para muitos da minha primeira leva de alunos. Nunca deixei ele abandonar o karatê, até porque eu nunca ganhei dinheiro com karatê. Eu via nele um potencial, ele foi um dos melhores atletas que eu formei.

É maravilhoso [o projeto AGOKS] porque não é só inclusão social, mas gera uma influência positiva no município. Cristiano foi um grande atleta que começou com muitas dificuldades e teve meu apoio. O karatê é para o resto da vida, é educacional, é inclusão social, é um estilo de vida”, disse.

(Esq. para dir.) Presidente da FNK, Evilásio Jocas, sensei Elias Moreira, Cristiano Nunes e Fábio, outro ex-aluno do sensei Elias

Para encerrar nosso bate papo, ele também declarou o que achou como essencial para que o karatê potiguar começasse a ser visto nacionalmente e tivesse o grau de expansão que tem hoje:

“Os meios de comunicação foram muito importantes para fazer a expansão do karatê. Nós formamos cidadãos para a vida toda que vão influenciar a comunidade que eles moram. Nós nunca tivemos apoio de orgaos publicos que poderiam valorizar e investir aquilo que está se formando. A solução é que pudéssemos fazer mais projetos sociais.

Esse crescimento e divulgação do karatê é a conscientização da mídia em relação ao esporte. Se formarmos mais atletas com certeza podemos livrar muitas crianças de um futuro não agradável de criminalidade”, enfatizou.

O Contador continua de olho em tudo que agita São Miguel do Gostoso. Até qualquer hora!

O JEITO CERTO DE DISCIPLINAR

Nem rigidez nem permissividade. Segundo especialista, a solução é o equilíbrio.

POR NOVA ESCOLA

nazarena-de-point-loma
Foto: Mariana Pekin

A Nova Escola ouviu a Fernanda Lee que é Mestre em Psicologia Escolar pela Universidade Nazarena de Point Loma, nos Estados Unidos, além disso, ministra cursos sobre disciplina positiva para pais e professores no Brasil e nos EUA.

Nesse bate-papo ela fala sobre a disciplina em sala de aula. Veja:

Um mundo sem punições é um mundo em que as ações não têm consequências?

FERNANDA Existe uma diferença entre punição e consequência lógica. E elas são sempre confundidas. Quando um estudante risca a mesa, é comum deixá-lo sem recreio. O que isso tem a ver com o que ele fez? Nada. Trata-se apenas de uma punição. A consequência lógica deve atender a três princípios: ser relacionada (seria justo que ele limpasse a própria mesa), razoável (limpar a mesa de todos os colegas não faria sentido) e, se possível, antecipada (o aluno pensa no que fazer para resistir à vontade de riscar a mesa).

O que molda essa mentalidade?

É o conceito de disciplina positiva, criado pela pesquisadora e psicóloga americana Jane Nelsen. Normalmente, disciplinamos as crianças de maneira rígida ou permissiva. Quando os professores são muito rígidos, acabam sendo autoritários e o aluno sente que teve sua dignidade roubada. Quando são permissivos, deixam que tudo aconteça para não afetar a autoestima da turma. Nelsen propõe que o docente seja firme, mas também gentil para manter a dignidade da criança.

Por que agir assim, se no passado a rigidez parecia funcionar?

A mudança de gerações transformou as relações de poder tanto entre adultos (no trabalho e na família) como entre adultos, crianças e jovens. A garotada hoje quer direito a igualdade, quer ser ouvida. O professor tende a acreditar que, no momento que ele deixa o aluno decidir, está perdendo poder. Isso é um equívoco. O adulto ainda é o capitão do barco, mas, ao se mostrar disposto a ouvir e considerar também os estudantes, deixa que todos ajudem a remar.

E se o aluno não estiver disposto a cooperar?

As crianças observam os adultos a todo o momento e, às vezes, os desafiam. Se o docente usa uma bronca para exigir bom comportamento, o aluno pode recuar por se sentir acuado e com medo. A alternativa é validar o sentimento da criança. O professor diz: “Eu entendo que você quer brincar, mas sua turma quer estudar agora. O que podemos fazer para todo mundo se sentir bem?”. Com isso, o aluno pensa: “Poxa, ele me viu. Me escutou”. Tudo o que a criança sente é válido, ainda que nem tudo o que ela faça seja.

Como agir quando as famílias são permissivas ou rígidas demais?

A escola não deve ser dependente da família para adotar as práticas da disciplina positiva. As crianças são capazes de perceber a diferença entre o ambiente familiar e o escolar. Um exemplo interessante são crianças que têm dois pares de avós e na casa de um é liberado comer doce, mas na do outro não. Elas não confundem as regras, sabem como agir em ambos ambientes. Ainda assim, é essencial informar as famílias sobre a postura adotada. Vale fazer uma reunião, explicar a proposta e se dispor a dar mais detalhes.

ORIGINAL: https://novaescola.org.br/conteudo/4880/o-jeito-certo-de-disciplinar?utm_source=tag_novaescola&utm_medium=facebook&utm_campaign=mat%C3%A9ria&utm_content=link

ARCEBISPO DOM JAIME CEDE ENTREVISTA AO CONTADOR E DIZ QUE POSTURA DOS PADRES DEVE MUDAR

Em entrevista exclusiva ao O Contador de Causos, o Arcebispo Metropolitano de Natal/RN, fala o que pensa sobre mídias sociais, Campanha da Fraternidade 2017 e o papel social da Igreja Católica.

POR AÍRIS VITAL, AITON RODRIGUES E RICARDO ANDRÉ
SÃO MIGUEL DO GOSTOSO/RN

dom-jaime-vieira-rocha-wr-8

Em uma escaldante manhã de fevereiro em Natal os “Contadores” Aíris Vital e Ricardo André desembarcaram na Catedral Metropolitana de Natal com o objetivo entrevistar o “chefe da casa”. Entre diversas reuniões com conselheiros e comissões Dom Jaime doou duas horas de seu tempo para falar de evangelização, mídias sociais, Campanha da Fraternidade 2017 e o papel social da igreja católica.

Com um tom de amistosidade e preocupação pelos temas tão presentes na sociedade atual, Dom Jaime respondeu todas as nossas perguntas reforçando que a igreja não deveria ser omissa em assuntos sociais, mas que não recrimina isso e que os jovens são importantíssimos para mudar a realidade ao qual estamos vivendo.

Dom Jaime nasceu na cidade de Tangará, na região Trairi do estado do Rio Grande do Norte, próximo dos seus 70 anos. Em fevereiro de 1961, com exatamente 14 anos, ingressou no Seminário de São Pedro, em Natal, cursou Sociologia e Política na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e Teologia, na Faculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção, em São Paulo. No ano de 2012 tomou posse como o 9º Bispo e 6º Arcebispo Metropolitano, na Catedral Metropolitana de Nossa Senhora da Apresentação, em Natal.

SOBRE O BATE-PAPO

99169g-fotoloservatoreromano3
Dom Jaime e o Papa Francisco.

Na entrevista, que abrangeu vários temas, o arcebispo se disse preocupado com o número crescente de conversões de fieis para as religiões protestantes, sendo necessária assim uma mudança na postura nos sacerdotes:

“Às vezes você encontra uma rua imensa na periferia e encontra uma igreja católica e 14 igrejas evangélicas. Então o crescimento é muito rápido. Ou nós estaremos mais próximo ao povo, ou vamos perder cada vez mais fiéis”.

Sobre as redes sociais, Jaime também foi otimista e declarou que é um meio importante de evangelização, elogiou o pároco gostosense, João Maria, que constantemente publica mensagens de auto estima para que os fiéis tenham um bom dia:

“Eu louvo e congratulo ao Padre João Maria dos Anjos em ele usar com sabedoria as redes sociais para evangelizar (…) eu tento seguir alguma coisa, usando o Twitter, mas é um modo importantíssimo de evangelizar. Hoje todo mundo está com o celular”

Na temática dos problemas sociais, o arcebispo se mostrou preocupado com as crises política, econômica e moral do país:

“A sociedade está cada vez mais vingativa, intolerante, violenta, e conseguinte, está preconceituosa. A ponto de não perdoar e fazer justiça com as próprias mãos.  E nessa crise moral entra também, lamentavelmente, entra a corrupção, nós estamos vendo aí, onde o Brasil chegou, nesta perspectiva agora é quase um problema cultural”.

Provavelmente a parte mais contundente da nossa conversa foi quando Dom Jaime criticou a postura dos sacerdotes em meio aos assuntos sociais, onde ele diz que a igreja ficou medrosa quando voltou para si:

“A igreja talvez ficou mais voltada para si e talvez, até um pouco, restrita. Voltada para si mesmo ou medrosa (…) Nós estamos em uma fase que precisamos que os sacerdotes e pastores do povo de Deus ajudem o povo a encontrar caminhos, a se sentirem corresponsáveis pelo presente, pelo futuro, sobre tudo do jovem”.

Concluindo nosso encontro ele parabenizou o Contador pelas iniciativas nas mais diversas áreas:

“Parabéns ao blog que me entrevista, continuem atentos a arte, a cultura, tradições, também a formação a cidadania. Levando os jovens a uma consciência crítica da realidade para transformar”.

E deixou uma mensagem para os gostosenses:

“É uma cidade guardada por um arcanjo, nunca percam a fé. Nunca desanimem diante dos desafios, mas agradeçam a Deus. Eu digo sempre, uma cidade belíssima, contato com a natureza, pôr do sol, os coqueiros, o farol de Touros. Agradeçam a Deus, por vocês viverem em uma região como esta. Tão abençoada, tão privilegiada, como obra da criação”.

Claro que tivemos muito mais bate-papo e você pode conferir a íntegra dessa entrevista no link abaixo, lá o bispo Dom Jaime explicou porque os padres não estão omitindo tantas opiniões nas realidades dos municípios e o que ele espera da sociedade para que tenhamos um futuro melhor:

Nós continuamos de olho. Até qualquer hora!

CULTURA

Olá! Contadores!

No decorrer desse semana tivemos uma grande repercussão nos jornais impressos e mídias em geral sobre a decisão do presidente em exercício, Michel Temer, de transferir as atribuições do Ministério da Cultura (MinC) para a pasta da Educação, que passa a se chamar Ministério da Educação e Cultura (MEC), diante disso, o Contador vem esclarecer algumas  questões:

 cultura

Ministro anuncia Marcelo Calero para a Secretaria de Cultura e diz que área terá ganho real em orçamento para 2017.

 

Ao apresentar o novo secretário nacional de Cultura, Marcelo Calero, o ministro Educação e Cultura, Mendonça Filho, reafirmou o compromisso com a política cultural e com o protagonismo do setor na definição de políticas públicas do MEC. “Mesmo tendo o Ministério da Cultura, o orçamento do setor vem caindo nos últimos anos e chegou a 25% de 2015 para 2016”, disse o ministro, em entrevista coletiva no Palácio do Planalto. “Vamos recuperar a defasagem do orçamento e promover um crescimento real em 2017.”

Marcelo Calero afirmou que assume com grandes desafios e que vai trabalhar com dois principais vetores: a gestão e o diálogo. “Vamos quitar os débitos imediatos, no valor de R$ 236 milhões, recuperar as perdas no orçamento e ampliá-lo no próximo ano”, afirmou. Ele ressaltou que vai restaurar a dignidade dos que fazem a cultura do país. “Não vamos buscar o diálogo pelo diálogo, mas buscar resultados concretos, aprimorar a gestão com o diálogo com os fazedores da cultura”, disse.

O novo secretário nasceu no Rio de Janeiro há 33 anos.  Formou-se em direito pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Atuou por cinco anos no setor privado até assumir, em 2005, o primeiro cargo público, na Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Em 2006, passou em concurso para a Petrobras. Diplomata de carreira, Calero atuou no Departamento de Energia do Ministério das Relações Exteriores e na Embaixada do Brasil no México.

Em 2013, foi cedido à prefeitura do Rio de Janeiro. Trabalhou na Assessoria Internacional e foi convidado pelo prefeito Eduardo Paes para comandar as comemorações de 450 anos da cidade. Em janeiro de 2015, assumiu a Secretaria Municipal de Cultura e fortaleceu os investimentos em programas de requalificação dos equipamentos culturais e de democratização do acesso ao financiamento público para a cultura.

Entre as principais medidas, Calero idealizou o Passaporte Cultural Rio, que dá acesso gratuito ou com descontos a peças de teatro, exposições e shows para celebrar a cultura carioca durante os períodos olímpico e paraolímpico. O diálogo com a classe artística foi uma das marcas da gestão de Calero à frente da secretaria.

Fonte: Assessoria de Comunicação Social

Ouça:
http://centraldemidia.mec.gov.br/index.php?option=com_hwdmediashare&task=get.embed&id=11108&width=580&height=28

EDUCAÇÃO SUPERIOR

Olá! Contadores!

O contador vem esclarecer algumas polêmicas sobre o Ensino Superior Gratuito:

Universidade pública continua gratuita, garante o ministro.

download

Diante da repercussão sobre a proposta de emenda constitucional, em tramitação no Congresso Nacional, para regulamentar a prática de cobrança em cursos de extensão, especialização e pós-graduação latu sensu e mestrado profissional em universidades públicas, o Ministério da Educação e Cultura esclarece que a proposta não muda em nada a gratuidade nas universidades públicas. “As universidades públicas continuam gratuitas; qualquer informação diferente é falsa”, garantiu o ministro Mendonça Filho.

O MEC reconhece que a cobrança em cursos de extensão, especialização e pós-graduação latu sensu e mestrado profissional é prática em algumas instituições públicas, como a Universidade de São Paulo (USP), a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Assegura, porém, que as universidades públicas continuarão públicas em seus cursos de graduação e na pós-graduação acadêmica. Para cursos de extensão, pós-graduação lato sensu e mestrado profissional, as instituições, segundo a proposta, teriam autonomia para decidir pela cobrança ou não.

O Conselho Nacional de Educação (CNE) já tratou da não obrigação da gratuidade nessa modalidade de ensino específica, no Parecer CNE/CES nº 364/2002:
I. “O ensino de graduação e pós-graduação stricto sensu ministrado pelas universidades públicas deve ser gratuito, em expresso cumprimento ao dispositivo constitucional.
II. Os cursos de especialização e aperfeiçoamento, ou seja, de pós-graduação lato sensu, não se configuram como atividade de ensino regular e, por conseguinte, tem-se por correta a cobrança efetuada pelas universidades públicas pelos instrumentos que, no exercício de sua autonomia constitucional definirem.”

Fonte: Assessoria de Comunicação Social

NOVO MINISTRO

Mendonça Filho assume com a promessa de manter políticas que tenham impacto direto na população.

Ao se apresentar aos servidores do MEC, ao lado da nova secretária-executiva, Maria Helena Guimarães, Mendonça Filho reiterou o compromisso com as ações da área da educação: “Teremos a responsabilidade de fazer com que todos os grandes e importantes projetos sejam preservados, mantidos e aprimorados” (foto: Mariana Leal/MEC)

“Nenhum dos importantes projetos, das importantes missões, nenhum deles será descontinuado”, afirmou nesta sexta-feira, 13, o novo ministro da Educação e Cultura, Mendonça Filho, ao se apresentar aos servidores e colaboradores. Ele citou, nominalmente, o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e o Programa Universidade para Todos (ProUni) como políticas que têm impacto direto na população e devem ser mantidos.

“Nós teremos a responsabilidade de fazer com que todos os grandes e importantes projetos do Ministério da Educação sejam preservados, mantidos e aprimorados”, disse o ministro, que confirmou o nome da professora paulista Maria Helena Guimarães como secretária-executiva.

Mendonça Filho também falou dos desafios apresentados pelo Plano Nacional de Educação (PNE), pela Base Nacional Comum Curricular (BNC) e da educação básica. “O PNE deve ser sempre o objetivo central do ministério, como grande condutor da política educacional brasileira. A discussão ampla, aberta e democrática da Base Nacional Comum Curricular é algo fundamental para que possamos integrar o Brasil do ponto de vista educacional: o ensino básico como grande prioridade.”

Para o ministro, assumir o ministério é uma missão institucional em um momento sensível da política brasileira. “Sem preconceitos, com absoluta responsabilidade, eu assumo o Ministério da Educação conclamando a todos para que possamos ter um clima de harmonia, de respeito mútuo, de respeito às divergências e de construção de uma boa equipe técnica”, disse.

Carreira — Mendonça Filho assinou o termo de posse como novo titular do agora denominado Ministério da Educação e Cultura na quinta-feira, 12, em cerimônia realizada no Palácio do Planalto. Aos 49 anos, com experiência nos poderes Legislativo e Executivo, o novo ministro tem o desafio de tocar uma das pastas mais importantes do país.

Nascido em 12 de julho de 1966, em Recife, José de Mendonça Bezerra Filho começou a carreira política em 1986, ao ser eleito deputado estadual, em Pernambuco. Quatro anos depois, foi reeleito. Em 1991, licenciou-se para assumir a Secretaria de Agricultura do estado. Como deputado federal, estava no terceiro mandato (1995-1999, 2011-2015 e 2015-2019) antes de ser convidado pelo presidente interino da República, Michel Temer, para assumir o comando do MEC.

Casado, pais de três filhos, Mendonça Filho é graduado em administração de empresas pela Faculdade de Ciências Administrativas da Universidade de Pernambuco (UPE), fez curso de gestão pública pela Kennedy School, escola de governo da Universidade de Harvard (EUA). Começou a vida pública aos 20 anos. Foi o deputado estadual mais novo eleito no país. Elegeu-se governador de Pernambuco em 2006. Antes, foi vice-governador em 1999–2002 e 2002–2006, secretário de estado (1991–1993) e deputado estadual por dois mandatos (1987–1990 e 1991–1994). Na Câmara dos Deputados, na área de educação, apresentou projeto para ampliação do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) a alunos de autarquias municipais e para estabelecer os 6 anos como idade máxima para alfabetização das crianças na rede pública.

Assessoria de Comunicação Social

Ouça:
http://centraldemidia.mec.gov.br/index.php?option=com_hwdmediashare&task=get.embed&id=11100&width=580&height=28

Assista:

Assista à íntegra do pronunciamento do ministro: