‘AUTO DE SANTIAGO’ CHAMA ATENÇÃO POR BELEZA E DÁ FÔLEGO AO INCENTIVO A CULTURA

Apresentação contou com mais de 35 pessoas envolvidas na produção, atuação e recebeu mais de mil espectadores nas duas noites. 

POR AILTON RODRIGUES

67377704_2047249352042470_8991259750637240320_o
Elenco do Auto de Santiago (foto: Ariclenes Silva)

O “Auto de Santiago: Discípulo da Liberdade” foi encenado na última quinta (25) e sexta (26) na Praia da Xêpa em São Miguel do Gostoso, levando mais de mil pessoas nas duas noites.

Realizado pelo Coletivo de Direitos Humanos, Ecologia, Cultura e Cidadania (CDHEC) e a Guajirú Produções, o evento foi um marco para a ONG pela inovação na criação de um espetáculo independente construído absolutamente do zero. Com texto, produção e atuações exclusivas de jovens gostosenses.

O espetáculo foi baseado na história do discípulo Tiago e na experiência dos peregrinos que realizam o Caminho de Santiago na Espanha, descrito no livro O Diário de Um Mago, do escritor Paulo Coelho, Legenda Áurea de Tiago Voragine (1260), entre outros testemunhos. Os Caminhos de Santiago são os percursos dos peregrinos que afluem a Santiago de Compostela desde o século IX para venerar as relíquias do apóstolo Santiago Maior, cujo suposto sepulcro se encontra na catedral de Santiago de Compostela.

A maquiagem e o figurino foram trabalhados com influência da cultura pop contemporânea. Como exemplo, os três demônios (Ira, Medo e Vaidade), destaques da peça, foram desenvolvidos pelo professor Kibson Rodrigo que já tem experiência em montagens de cosplayers e usou deste atributo para dar veracidade a caracterização dos personagens. Como em um casamento perfeito, a trilha sonora de Iaslan Nascimento usou a mesma lógica, sendo um mosaico de sucessos como The Hidden World (Como Treinar o Seu Dragão 3 – 2019), The Winds Of Winter (Game Of Thrones – 2016), A Good Man (Doctor Who – 2017), Restriction And Pledge (Hunter x Hunter – 2011), dentre outros.

67519824_10205712136760322_7309075155630686208_o
Cena do demônio com as crianças destaques do espetáculo (foto: Ariclenes Silva).

“Unir a cultura popular e a cultura pop é um desafio necessário. A  equipe conseguiu construir uma Nossa Senhora do Pilar linda e um São Tiago que atendeu a expectativa dos devotos, ao mesmo tempo em que construíram personagens imaginários que surpreenderam o público”, declarou Ricardo André, produtor do Auto de Santiago.

A direção foi de Jhony Ribeiro que com sua equipe de elenco e produção mantiveram a sequência de bons trabalhos, lembrando que haviam terminado há pouco tempo o ciclo da 6ª Via Sacra, trabalho esse que concentrou um grande número de atores.

Alguns destes mesmos protagonistas foram utilizados para o Auto de Santiago, todos foram muto bem, mas destacaram-se desta vez Djair Cardoso (Jesus) pela continuidade do seu desempenho com este difícil personagem, além dele, Lucas Ribeiro (chefe dos soldados) pelo dinamismo da atuação e Ana Luiza (Maria / Nossa Senhora do Pilar) por sua entrega na caracterização de uma personagem tão emblemática na história bíblica. Não podemos esquecer, é claro, dos atores mirins, em especial Maria Júlia e João Manoel que roubaram a cena no último ato.

67665206_10205712062358462_2280407581526589440_o
Djair Cardoso manteve o alto nível na interpretação de Jesus no segundo espetáculo consecutivo (foto: Ariclenes Silva)

Na primeira noite, as 600 cadeiras montadas na frente do palco ficaram lotadas, o pré evento teve uma missa com procissão que conduziu os fiéis até o palco montado nas areias da praia. Na segunda noite, houve um público pouco menor o que podemos colocar na conta das chuvas que estavam caindo. Além do luto oficial pelo senhor José Menezes, fato lembrado no início do espetáculo. Houve também a presença dos padres Jecione Melo (São Miguel do Gostoso), Jorge Alves (vigário de Ceará Mirim), Edson Galvão e João Maria (Paróquia de Santa Luzia, Natal) que elogiaram aos realizadores do evento.

A Prefeitura Municipal de São Miguel do Gostoso, uma das apoiadoras do evento, organizou a 2ª edição da feira de artesanatos denominada Arte Gostosura, atividade que havia sido iniciada nos festejos do São João 2019. Este tipo de ação também já foi bem sucedida em outros eventos como a Mostra de Cinema de Gostoso, especialmente nas duas últimas edições.

O principal fato é que a cidade recebeu mais uma obra que incentiva a cultura e fomenta o turismo religioso, movimento esse que já foi iniciado com a Paixão de Cristo, o Auto de São Miguel Arcanjo e o Auto de Natal de Gostoso. Mostrando assim que há fôlego e ainda há espaço para expansão da cultura em Gostoso, faltam incentivos.

Parabéns a todos e continuaremos de olho.

Autor: Ricardo André

Professor de Matemática, produtor cultural e tesoureiro do Espaço TEAR (CDHEC)