VIA SACRA É ENCENADA EM GOSTOSO ACOMPANHADA COM CORTEJO DE CENTENAS DE PESSOAS

Espetáculo durou cerca de 100 minutos e foi acompanhada por multidão que se encantou com a história da Via Sacra.

POR AILTON RODRIGUES
SÃO MIGUEL DO GOSTOSO/RN

A 5ª edição da Via Sacra foi encenada na noite desta sexta-feira (30) em São Miguel do Gostoso, o trajeto de quase um quilômetro foi percorrido por centenas de pessoas que acompanhavam o lindo espetáculo que durou cerca de 100 minutos.

Com saída do Espaço TEAR e chegada na Igreja Matriz, a Via Sacra reuniu cerca de 60 atores na encenação das 14 estações que contam a história da crucificação e ressurreição de Jesus. A chuva desta vez não veio e o público também acompanhou respeitando os espaços demarcados pela produção, que foi conduzida pela direção de Jhonny Ribeiro.

OH0H8192

Destaques especiais para as atuações de Fernando Miranda (Jesus) e Ana Luiza (Maria) que emocionaram o público com tamanha paixão e entrosamento nas cenas. A jovem atriz ainda teve um pequeno mal estar durante a encenação, mas logo foi socorrida e conseguiu terminar o espetáculo bem.

A realização da Via Sacra 2018 foi do Coletivo de Direitos Humanos, Ecologia, Cultura e Cidadania (CDHEC), Espaço Tear e Paróquia de São Miguel Arcanjo.

OPINIÃO: UM INCÔMODO QUE MARCA

A Via Sacra por si só já é visceral. Um enredo que envolve a trama de traição, morte, julgamento e uma reviravolta que culmina com a ressurreição pode ser contada de muitas maneiras, mas poucas conseguem prender os espectadores como a de Gostoso, aliás a encenação desta noite foi além disso: ela incomodou!

Ver os jovens e talentosos gostosenses vivendo cada uma das estações no percurso daquela rua cheia de paralelepípedos, em consonância com uma trilha sonora que apesar de arrastada e melancólica cria uma intimidade com os personagens vívidos ali chega a fazer você mastigar aqueles momentos por um tempinho. Não há como não se emocionar e talvez isso justifique a forte adesão das pessoas ao acompanhar o cortejo. Interessante falar também que muitas pessoas que percorriam este trajeto, fizeram uma corrente para evitar uma invasão ao cenário, ou seja uma atitude nobre e elogiável.

OH0H8768

As atuações firmes de alguns atores empurram a obra para um patamar além do esperado. O que falar do Jesus interpretado por Fernando Miranda? O primeiro ato impecável com gestuais que percorrem todo um espaço, roubando a atenção de uma plateia inteira e olha que estamos falando de teatro de rua! Além disso, o trajeto doloroso e sofrido são bem desenhados pelo ator, cada reação e queda foram meticulosamente penetrantes na nossa alma, realmente aquela cruz aparentava estar pesada.

Ana Luiza, já vem em uma ascensão desde suas últimas atuações nos Autos que acompanhamos nos anos anteriores aqui mesmo no Contador. Ela, nesta Via Sacra, foi emotiva, foi forte, foi uma Maria imponente que sofreu de uma forma tão comovente que nos fazia querer sair e lhe dar um abraço.

Posso citar aqui outros atores como Renato Júnior (Pilatos) que mostrou empoderamento e muita firmeza no seu personagem, Lucas Ribeiro e Djair Cardoso foram os responsáveis por chicotear o filho de Deus de maneira muito verídica, as expressões deles arrancaram muitas reações do público. Para não ser injusto, gostaria de destacar Jhennifer Lima que se esforçou para alavancar os gritos furiosos da população que insistia na crucificação, em alguns momentos sua voz chegava a superar o carro de som! Todavia não houveram más interpretações, o “problema” é que estes citados se sobressaíram das suas zonas de conforto.

Único ponto negativo foi a falta de educação de alguns motoristas turistas e nativos que simplesmente não respeitavam o bloqueio para o trânsito no trecho percorrido pelo espetáculo. Uma falta de bom senso e caráter que chega a ser repudiável.

Que venha o próximo show!

Nós continuamos de olho. Até qualquer hora!

Autor: Ailton Rodrigues

Técnico em Informática (IFRN), que adora esportes e jornalismo, estando sempre disponível para bons papos. Coordenador de Comunicação do clube de futebol TEC (Tabua Esporte Clube), membro do Conselho do Coletivo de Direitos Humanos, Ecologia, Cultura e Cidadania (CDHEC), comunicador da Mostra de Cinema de Gostoso. Atualmente aluno de Licenciatura em Pedagogia (UFRN).