LONGAS DA MOSTRA COMPETITIVA TRAZEM HISTÓRIAS FORTES E JÁ PREMIADAS POR FESTIVAIS

Confira as curiosidades e sinopses dos longas metragens que concorrem a Mostra Competitiva em São Miguel do Gostoso.

POR AILTON RODRIGUES
NATAL/RN

Mostra competitiva capa
Arábia, Café Com Canela e Gabriel e a Montanha já rodaram os festivais do Brasil (Foto: Reprodução).

A Mostra Competitiva da 4ª edição da Mostra de Cinema de Gostoso, que acontece de 17 a 21 de novembro, promete ser uma das mais disputadas. Os quatro longas metragens que concorrem neste ano já foram reconhecidos por grandes festivais nacionais e trazem histórias marcantes que prometem deixar os espectadores indecisos na hora de escolher.

O Contador resolveu trazer para você as sinopses das obras e falar um pouco sobre estes grandes filmes que abrilhantarão a Praia do Maceió na Mostra Competitiva que já tem o prazer de ter como palco um mega telão a beira mar. Veja:

ARÁBIA (2017)

 

Direção: Affonso Uchôa e João Dumans / 96 min / Classificação: 16 anos.

arábia
Cena de Arábia (Foto: Reprodução).

A história de Arábia se passa no estado de Minas Gerais entre as cidades de Contagem e Ouro Preto e traz grandes lições sobre o abismo social brasileiro tratando a vida de um trabalhador braçal chamado Cristiano (Aristides de Sousa) que narra a história.

O interessante é que essa dobradinha dos diretores Affonso Uchôa e João Dumans não vem de agora, eles já trabalharam juntos no filme A Vizinhança do Tigre, onde Dumans era o roteirista. Com Arábia eles já rodaram alguns festivais como o Festival de Roterdã e o Festival de Brasília onde ganhou os prêmios de melhor filme, montagem, trilha sonora e ator com Aristides de Sousa.

Veja o trailer de Arábia:

CAFÉ COM CANELA (2017)

Direção: Ary Rosa e Glenda Nicácio / 102 min / Classificação: Livre.

café com canela
Cena de Café Com Canela (Foto: Reprodução).

A trama de Café Com Canela mostra como plano de fundo a cidade de Cachoeira localizada no Recôncavo Baiano e trás Margarida que vive isolada da sociedade após perder o filho. Ela se separa do marido Paulo e perde o contato com os amigos e pessoas próximas. Determinado dia, Violeta bate a sua porta. Trata-se de uma ex-aluna de Margarida, que assume a missão de devolver um pouco de luz àquela pessoa que havia sido tão importante para ela na juventude.

Esta primeira obra dos diretores, foi premiada no Festival de Brasília com o prêmio de melhor roteiro (escrito pelo próprio Ary Rosa) e melhor atriz com Valdinéia Soriano.

“Café Com Canela tem esse cuidado de trazer a representatividade feminina e negra para um primeiro plano e trazer subjetividade para esses sujeitos”, disse Glenda Nicácio.

Veja o trailer de Café Com Canela:

ESCOLAS EM LUTA (2017)

Direção: Eduardo Consonni, Rodrigo T. Marques e Tiago Tambelli / 77 min / Classificação: Livre

ESCOLAS_EM_LUTA_3-1024x576
Cena do documentário Escolas Em Luta (Foto: Reprodução).

No estado mais rico e um dos mais conservadores do Brasil, o modus operandi da educação pública sofre um revés quando estudantes secundaristas reagem ao decreto oficial que determina o fechamento de 94 escolas e a realocação dos alunos. A resposta estudantil surpreende.

Eduardo Consonni foi integrante é cofundador e um dos diretores da produtora Complô e, desde 2005, realiza documentários e desenvolve metodologias de ensino utilizando o audiovisual, com foco na investigação do cotidiano como fonte da poética documental.

Rodrigo T. Marques é montador e trabalha como documentarista e educador na área do audiovisual. É cofundador e um dos diretores da produtora Complô.

Tiago Tambelli é pesquisador documentarista. Atua como produtor, diretor, roteirista e diretor de fotografia e trabalhou com os diretores Rogério Sganzerla, Walter Carvalho, Isa Grinspum, Roberto Moreira, Susanna Lira, Jeferson De, Sérgio Machado, Evaldo Mocarzel, Martín Duplaquet e entre outros, em filmes documentário e ficção.

Trailer de Escolas em Luta:

GABRIEL E A MONTANHA (2017)

Direção: Felipe Barbosa / 131 min / Classificação: 14 anos.

gabriel e a montanha
Cena de Gabriel e a Montanha (Foto: Reprodução).

A trama conta a história real de Gabriel Buchmann (interpretado por João Pedro Zappa) que tinha um grande sonho: conhecer a África. Entretanto, mais do que visitar seus pontos turísticos ele desejava conhecer como era o estilo de vida do africano, sem se passar por turista. Desta forma, decide encerrar sua viagem ao mundo justamente no continente, onde se envolve com vários habitantes locais e recebe a visita da namorada, Cristina (Caroline Abras), que mora no Brasil. Prestes a retornar, seu grande objetivo se torna alcançar o topo do monte Mulanje, localizado no Malawi.

O filme do Felipe Barbosa já viajou no Festival de São Paulo, Festival do Rio e ganhou dois prêmios em nada mais, nada menos do que no Festival de Cannes. Além de ser muito bem criticado pela imprensa.

“Gabriel e a Montanha não tem sequer um plano rodado no Brasil. E, no entanto, é difícil imaginar um filme mais inteiramente brasileiro”, disse o crítico Inácio Araújo da Folha.

Veja o trailer de Gabriel e a Montanha:

 O Contador vai ficar de olho na Mostra de Cinema, acompanhe a nossa cobertura especial! Até qualquer hora!

 

Fontes Consultadas:

Autor: Ailton Rodrigues

Técnico em Informática (IFRN), que adora esportes e jornalismo, estando sempre disponível para bons papos. Coordenador de Comunicação do clube de futebol TEC (Tabua Esporte Clube), membro do Conselho do Coletivo de Direitos Humanos, Ecologia, Cultura e Cidadania (CDHEC), comunicador da Mostra de Cinema de Gostoso. Atualmente aluno de Licenciatura em Pedagogia (UFRN).