THOR 3: MARVEL ANUNCIA ELENCO DO FILME

POR 42 BITS

1-41

O Marvel Studios anunciou o elenco de Thor: Ragnarok a terceira parte da franquia do Deus do Trovão. O próximo filme terá o retorno de Chris Hemsworth para o papel titular pela quinta vez, mas, desta vez, ele terá uma leva de vilões para lutar.

1-40

Quem será esse vilão? Será a Deusa Asgardiana da Morte, Hela, e ela vai ser vivida por Cate Blanchett (O Senhor dos Anéis). Juntos a ela estão Jeff Goldblum (Jurassic Park) como o Grão-Mestre irmão do Colecionador, Tessa Thompson (Creed) como a heroína clássica Valquíria (possível novo interesse amoroso de Thor) e Karl Urban (Star Trek Beyond) como Skurge também conhecido como O Executor. O companheiro Vingador de Hemworth e três vezes indicado ao Oscar Mark Ruffalo também foi confirmado para reprisar seu papel como Bruce Banner / Hulk.

Rostos que regressam dos filmes anteriores incluem Tom Hiddleston como Loki, Idris Elba como Heimdall, e Sir Anthony Hopkins como Odin. De acordo com o THR, Jaimie Alexander não vai reprisar seu papel como Lady Sif, devido a conflitos de agenda com a sua série de TV Blindspot, apesar de que isso possa ainda sofrer alterações. Nenhuma palavra ainda sobre a Guerreiros Três, interpretados por Zachary Levi, Tadanobu Asano, e Ray Stevenson.

Taika Waititi (O que fazemos nas sombras; caçar para a Wilderpeople) vai dirigir o projeto com um roteiro de Craig Kyle, Christopher Yost, e Stephany Folsom. Thor: Ragnarok chegará aos cinemas em 03 de Novembro de 2017.

QG DO ENEM OFERECE AULA AO VIVO E GRATUITA DE ATUALIDADES PARA O ENEM

Resultado de imagem para aula de atualidades enem

 

Olá,Estudantes

Acompanhar os principais assuntos dos noticiários enquanto se prepara para o ENEM e ainda explorar como esses assuntos podem ser cobrados na prova não é tarefa simples. Entender oprocesso de impeachment e omarco civil da internet, também não é tarefa fácil.

Para facilitar a vida dos candidatos ao ENEM 2016, o Canal do Ensino irá transmitir uma aula ao vivo e gratuita sobre esses assuntos. A aula acontece na segunda feira, dia 23 de maio às 20h.

A aula de Atualidades vai apresentar os temas mais importantes do noticiário, com uma linguagem acessível, ideal também para aqueles que não estão acostumados a acompanhar os jornais e revistas regularmente.

Orlando Stiebler, professor de Atualidades do QG do Enem, conta que “nesta aula o aluno terá a oportunidade de entender melhor esses eventos e conferir como eles podem ser cobrados nas questões do ENEM ou de qualquer outro vestibular. Vale ressaltar que o ENEM também costuma abordar temas de grande repercussão na mídia.”

Para você já entrar no ritmo da aula, confira mais informações sobre os temas que serão tratados:

O direito à internet no Brasil: Marco Civil e Internet Limitada

O Marco Civil está sendo um dos maiores alvos no debate de direito à Internet no Brasil. Este projeto de lei, que recentemente foi regulamentado, tem por objetivo regularizar o uso da Internet, estabelecendo regras e conceitos básicos da rede.

Outro assunto que virou polêmica foi o fato das operadoras de banda larga anunciarem que querem limitar a internet fixa dos brasileiros, ou seja, quem atingir o pacote de dados teria que pagar mais para continuar conectado.

Qual seria o impacto dessas políticas na rotina do brasileiro? De que forma isso influencia no direito à Internet no Brasil? Existe democracia digital?  Estes e outros assuntos serão abordados na aula de Atualidades.

Impeachment e Participação Política no Brasil

Diante deste tenso cenário político que estamos vivenciando no nosso país, é muito importante entender o que realmente está se passando e o que agravou para que chegássemos a este atual estado. Existe um assunto que se relaciona a esta atual situação e pode ser um possível tema de redação do Enem: Participação política no Brasil.

A participação política designa uma variedade de atividades, como votar, se manifestar, se filiar a um partido político, entre outros. Entender este conceito é essencial para entender o que é cidadania e quais são os direitos políticos de um cidadão em sociedade.

Bons estudos!

Fonte: Canal do Ensino

POLÍTICA EDUCACIONAL

MEC justifica ação contra lei que impede opinião em Alagoas

be28adfff47893c4519c1307dc6b8866_M

O Ministério da Educação encaminhou à Advocacia-Geral da União (AGU) nesta terça-feira, 10, argumentos que justificam a ação direta de inconstitucionalidade (Adin) contra a lei que institui o programa Escola Livre, promulgada pela Assembleia Legislativa de Alagoas. A norma proíbe que professores da rede pública do estado opinem sobre diversos temas e determina que mantenham a “neutralidade” política, ideológica e religiosa em sala de aula.

O MEC acompanha o desdobramento de processos semelhantes que estão ocorrendo em outros estados. Em nota técnica destinada ao advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, esclarece que tal lei contraria os princípios legais, políticos e pedagógicos que orientam a política educacional brasileira. A medida, de acordo com o MEC, contradiz o princípio constitucional do pluralismo de ideias e concepções pedagógicas, uma vez que tal pluralidade efetiva-se somente mediante o reconhecimento da diversidade do pensamento, dos diferentes saberes e práticas.

O ministro Aloizio Mercadante vê com preocupação a legislação aprovada em Alagoas. Para ele, não se deve impedir o docente de ter opinião. “O que temos de buscar é uma formação que assegure aos professores a pluralidade das ideias e visões de mundo a partir do princípio da liberdade”, esclarece.

No pedido de providências judiciais para evitar a violação ao texto constitucional, ressalta-se que o cerceamento do exercício docente restringe o papel do professor e estabelece censura, além de prejudicar o livre debate no ambiente escolar. “Da mesma forma, esse cerceamento pedagógico impede o cumprimento do princípio constitucional que assegura aos estudantes liberdade de aprender em um sistema educacional inclusivo”, pontua o texto.

Para Mercadante, iniciativas como as autodenominadas notificações extrajudiciais e o programa Escola Livre, da Assembleia Legislativa de Alagoas, estão em franco desacordo com os princípios educacionais do Brasil que sinalizam a obrigatoriedade de se buscar erradicar todas as formas de preconceito e discriminação. “Um professor, ao abordar o preconceito e trabalhar o desenvolvimento de uma cultura de paz e o respeito e tolerância em sala de aula, cumpre os objetivos fundamentais da Constituição Federal, que pretende garantir um Brasil sem discriminação”, diz. “Não há dúvidas de que os professores brasileiros possuem a formação necessária para essa tarefa.”

Fonte: Assessoria de Comunicação Social (MEC)

Confira a nota do MEC enviada à Advocacia-Geral da União

 

EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO (ENEM)

Número de inscritos supera 8 milhões na tarde do último dia; taxa deve ser paga até dia 25

 

O número de candidatos ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deste ano atingiu o total de 8.222.491, até as 17h45 desta sexta-feira, 20, horas antes do encerramento do prazo de inscrição (23h59). O número se aproximou muito do total de inscritos do ano passado, que foi de 8.478.096 inscritos. Na próxima semana, o Ministério da Educação e Cultura apresentará os dados consolidados do exame.

Embora com prazo até as 23h59, a inscrição só estará confirmada após o pagamento da taxa de R$ 68,00, que deve ser feito até às 21h59 (de Brasília), da próxima quarta-feira, 25. Concluintes do ensino médio em escolas públicas estão isentos, assim como aqueles que se declararem carentes.

Para dar mais comodidade e opções aos não isentos da taxa de R$ 68, o pagamento, este ano, pode ser feito em qualquer agência bancária, casa lotérica ou agência dos Correios, por meio de Guia de Recolhimento da União (GRU). Aqueles que obtiveram isenção no Enem de 2015, não compareceram aos dois dias de provas e pretendem pedir nova isenção, devem justificar a ausência, conforme previsto em edital. Haverá campo específico para o esclarecimento no próprio sistema de inscrição.

Como previsto na edição do ano passado, os isentos que não comparecerem nos dois dias de provas perderão o benefício na próxima edição. No momento da inscrição, os candidatos precisam informar um número de telefone, fixo ou celular, válido. Também é necessário cadastrar um endereço eletrônico (e-mail), que não pode ser usado por outro participante. O sistema de inscrição determina ainda a criação de pergunta e resposta de segurança para o acesso. É importante também que o número de CPF e a data de nascimento informados durante a inscrição estejam de acordo com os dados na base da Receita Federal.

Tecnologia — A edição do exame deste ano trará, pela primeira vez, o reconhecimento individual, com a impressão da digital na ficha de identificação do participante por meio de selo gráfico, autoadesivo. Todos os detalhes estão no edital do Enem de 2016, publicado no Diário Oficial da União de 15 de abril. O novo procedimento de segurança soma-se aos demais – envelope com lacre e detector de metais.

Um aplicativo para celulares, desenvolvido pelo Ministério da Educação e Cultura, conterá todas as informações necessárias aos participantes ao longo das etapas do exame, além da possibilidade de acompanhamento da inscrição. Disponível para smartphones, o aplicativo também servirá como instrumento de diálogo com os participantes e será usado pelo MEC para o envio, aos inscritos, de informações como cronograma do Enem, mural de avisos, dicas e resultados, além de espaço para contato.

Especiais – Pessoas com deficiência ou necessidades específicas contarão com atendimento especializado, de acordo com pedido a ser feito pelo próprio interessado no sistema de inscrições. Para tanto, é necessário apresentar documento comprobatório, legível. Nele, deve constar o nome completo do participante; o diagnóstico com a descrição da condição que motivou o pedido de atendimento; a assinatura e a identificação do médico ou profissional especializado, com o número do registro no Conselho Regional de Medicina (CRM) ou no conselho de classe.

Nome – Travestis e transexuais que pretendem ser identificados pelo nome social devem fazer a inscrição normalmente, no período estabelecido no edital – até a sexta-feira, 20. Entretanto, para usar o nome social, precisam encaminhar cópia de documento de identificação, foto recente e formulário, disponível on-line, preenchido, entre os dias 1º e 8 de junho próximos, pelo sistema, na página do exame na internet.

Provas – Nos dois dias de exame – 5 e 6 de novembro –, os portões nos locais de provas serão abertos às 12h e fechados às 13h (horário de Brasília). As provas terão início às 13h30. O tempo extra de meia hora será dedicado a procedimentos de segurança, como revista eletrônica, e para permitir a todos os presentes entrar em sala e guardar os pertences.

O período total de duração das provas permanece em quatro horas e meia no primeiro dia (sábado) e cinco horas e meia no segundo dia (domingo).

Oportunidades – A nota do Enem é usada como critério de acesso à educação superior por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e do Programa Universidade para Todos (ProUni). A participação na prova também é requisito para receber o benefício do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), participar do programa Ciência sem Fronteiras ou ingressar em vagas gratuitas dos cursos técnicos oferecidos pelo Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec). Além disso, estudantes maiores de 18 anos podem obter a certificação do ensino médio por meio do Enem.

As inscrições, mais informações e o edital do exame estão disponíveis na página do Enem de 2016 na internet. Em caso de dúvidas sobre o exame, os candidatos podem ligar para o telefone 0800-616161.

Fonte: Assessoria de Comunicação Social, com informações do Inep

RECURSOS PARA A EDUCAÇÃO

Ministro libera mais de R$ 200 milhões para as universidades e institutos federais

Em sua primeira semana à frente do Ministério da Educação e Cultura, o ministro Mendonça Filho liberou recursos financeiros no total de R$ 211 milhões para as universidades federais e os institutos federais de educação, ciência e tecnologia.