POR TRÁS DA CÂMERA

#DebateNaMostra: Autores convidados para o terceiro debate fazem sucesso pela sutileza na hora de lidar com as dificuldades nacionais que o cinema encara, além disso o retrato da vida de cada um também chama atenção.

Cinema ao ar livre deixa noites agitadas em Gostoso (Foto: Pedro Corso de Albuquerque)
Cinema ao ar livre deixa noites agitadas em Gostoso (Foto: Pedro Corso de Albuquerque)

Sabe aquele momento em que você não entende um artigo de algum regulamento, ou pede para que a prestadora de serviço explique porque a conta veio tão cara? É exatamente este mesmo sentimento que as pessoas que vão ao Centro de Cultura participar dos debates têm, pois elas podem esmiuçar com os diretores o que não entenderam.

Neste domingo (16) os diretores Adirley Queirós (“Branco Sai, Preto Fica”), Kennel Rógis (“Sophia”) e Rodrigo Aragão (“Noite do Chupacabras”) foram bombardeado por perguntas dos espectadores que viram suas obras na Praia do Maceió.

Logo no começo cada diretor pôde explanar um pouco da sua experiência com cinema, por exemplo, Rodrigo disse com absoluta naturalidade que não é formado em cinema, mas que é autodidata. Adirley revelou que começou a encarar o cinema aos 28 anos e sua profissão antes das telonas era os gramados como jogador de futebol. Já o simpático Kennel Rógis encantou todos com seu carisma paraibano, em conjunto com o curta “Sophia” de sutileza ímpar.

Outros temas foram abordados como por exemplo a dificuldade de fazer e distribuir filmes no Brasil onde faltam incentivos, mas sobram problemas e ideias boas que se perdem.

No fim os diretores rasgaram elogios a São Miguel do Gostoso pela Mostra e disseram que pretendem voltar.

Nós estamos esperando por eles, não é mesmo? Continue conosco no Contador de Causos.

HAJA ESTÔMAGO

TERCEIRO DIA: Mostra de Cinema tem o tão esperado filme de terror “A Noite do Chupacabras”. Na prévia, grandes obras premiadas causaram comoção e alegria.

Cinema ao ar livre deixa noites agitadas em Gostoso (Foto: Pedro Corso de Albuquerque
Cinema ao ar livre deixa noites agitadas em Gostoso (Foto: Pedro Corso de Albuquerque

Parece que a Mostra de Cinema de Gostoso, apesar de todas as novidades, tem “ingredientes” que nunca podem sair da “receita” de sucesso do evento. Mesmo que um desses “ingredientes” venha junto com muito sangue, partes de corpo mutiladas e vômito. Esse é o caso dos filmes do cineasta Rodrigo Aragão, que pelo segundo ano seguido virou marca registrada do evento.

Na noite da sexta-feira (15), o filme mais esperado dessa primeira metade da Mostra foi o longa “Noite do Chupacabras” que desta vez foi colocado na categoria Sessão Especial e continuou sendo exibido na Praia do Maceió. O atraso mais uma vez foi visto, porém não atrapalhou tanto como no segundo dia, desta vez as sessões terminaram as duas da manhã.

Rodrigo aragão apresentando o seu filme (foto: Pedro Corso de Albuquerque)
Rodrigo aragão apresentando o seu filme (foto: Pedro Corso de Albuquerque)

O capixaba consegue criar seus filmes sem incentivos fiscais, com uma verba que não passa de 200 mil reais, que é relativamente barato em comparação a tantas outras obras, e sem atores conhecidos nacionalmente. Mas independentemente disso ele consegue arrancar o grito e o sorriso dos espectadores nessa mescla que só ele sabe fazer com o “terror-cômico”.

Porém a noite começou bem antes, a prévia do filme de terror teve várias obras já consagradas pelo país, como o longa “Branco Sai, Preto Fica” que contando a história de três homens, onde dois deles são marcados por um acidente que muda suas vidas e o outro vem do futuro investigar o acontecido, consagrou Adirley Queirós que faturou nada menos que 11 prêmios no Festival de Brasília deste ano, por este filme.

Ao curtas “A Chamada” e “Sophia” se tornaram grandes quando o assunto foi envolver os espectadores com histórias simples e singelas.

O outro longa da noite foi “O Último Cine Drive-In” que emocionou muitas pessoas com a história de um filho tentando conquistar o sonho de levar sua mãe, em estado terminal de câncer, para assistir no drive-in de Brasília, o último do país.

Já percebeu que não dá para piscar nessa Mostra de Cinema, né? Então fique com a gente no Contador de Causos que vamos contar absolutamente tudo para você.

Até a próxima!