Arquivo da tag: Educação Superior

#CURTINHA: ALUNA DO OLÍMPIA TEIXEIRA É APROVADA EM DIREITO

Aluna da Escola Estadual Olímpia Teixeira em São Miguel do Gostoso é aprovada no curso de direito da UERN.

POR RICARDO ANDRÉ
SÃO MIGUEL DO GOSTOSO/RN

whatsapp image 2019-01-28 at 19.24.35
Alicia Oliveira, concluinte 2018 da E. E. Olímpia Teixeira

Hoje (28) saiu o tão esperado resultado do SISU para as universidades públicas, com algumas horas de atraso para dar aquele clima maior ainda de tensão. E uma ótima noticia veio para a aluna Alicia Oliveira da Silva, da Escola Estadual Olímpia Teixeira em São Miguel do Gostoso, que conseguiu aprovação para o curso de Direito na UERN (Universidade Estadual do Rio Grande do Norte). Orgulho para familiares, amigos e professores.

O ano foi produtivo para Alicia, ao longo do ano foi destaque em atividades extracurriculares como o concurso de Redação Jovem Senador, ficando em 5º lugar no estado e no concurso estadual de redação “O Brasil nasceu aqui” logrou o 3º lugar. O curso universitário não é um sonho impossível basta estudo e dedicação.

Parabéns Alicia, nós continuamos de olho.

EM NOTA, SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROCURA JUSTIFICAR PROBLEMAS COM TRANSPORTE ESCOLAR

Secretário afirma que problema terá uma solução, mas ainda não há prazos.

POR AILTON RODRIGUES
NATAL/RN

39105861_1732376520194903_8778359432955297792_n
Secretário de Educação e Cultura, Nivaldo Batista (Foto: Facebook / Município de São Miguel do Gostoso).

O Secretário de Educação e Cultura de São Miguel do Gostoso, Nivaldo Batista, divulgou nesta última quinta-feira (23) uma nota de esclarecimento por meio das redes sociais, ao qual justifica os problemas que o transporte escolar do município vem sofrendo nos últimos dias.

Ainda nesta quinta, por exemplo, o transporte universitário não foi disponibilizado para os alunos devido a problemas técnicos do veículo e segue sem previsão de normalização. Na nota, o Secretário destaca que a Secretaria de Transportes foi extinta e que por isso as demandas desta pasta estão sob sua gestão também, mas garantiu que encontrará uma resolução para o caso, todavia não foram disponibilizados prazos.

O Contador mostrou aqui que a extinção da Secretaria de Transporte se deu em janeiro deste ano quando a Lei Municipal nº 311/2018 foi aprovada na Câmara dos Vereadores por 5 votos a 4. No seu lugar foi criada a Secretaria de Meio Ambiente, Planejamento Urbano e  a Secretaria de Tributos.

Veja a nota na íntegra:

Nota de Esclarecimento

A Secretaria de Educação e Cultura, diante dos problemas ocorridos nos transportes escolares do município nos últimos dias, Comunica aos pais e alunos que os transtornos causados pela falta de ônibus nos fez tomar medidas urgentes com o objetivo de regularizar o serviço.

Esclarecendo que, outrora, estava no controle da Secretaria de Transporte e que fora extinta. E diante desta situação de não mais existência, a Secretaria tomou o controle e está totalmente a frente das demandas neste setor. Ainda informar que, lamentamos os fatos ocorridos e de maneira nenhuma é a postura da administração atual deixar sem solução. Acrescentamos que, todo os processos do setor público ocorrem de forma burocrática e sistemática. Assim situações como estas acontecidas podem levar algum tempo. Esclarecemos que qualquer situação que envolva o Transporte Escolar, procurem a Secretaria de Educação e Cultura.

Atenciosamente,

Nivaldo Batista de Oliveira.
Secretário de Educação e Cultura.

Nós continuamos de olho, até qualquer hora!

GOSTOSENSE APRESENTA TRABALHO EM CONGRESSO MUNDIAL DE INTELIGÊNCIA COMPUTACIONAL NO RJ

Valmiro Ribeiro é ex-“Contador” e viajou ao Rio de Janeiro para apresentar um trabalho no Congresso Mundial de Inteligência Computacional (WCCI).

RICARDO ANDRÉ
SÃO MIGUEL DO GOSTOSO

São Miguel do Gostoso já rendeu inúmeros estudos científicos ao longo dos anos e seus “filhos” também vem mostrando que podem voar alto. Foi na cola de uma dessas andanças dos gostosenses que o Contador viajou até o Rio de Janeiro em uma conferência internacional sobre sistema de redes e tecnologia.

O Contador conversou com Valmiro “Zuno” Ribeiro sobre esse evento, sua participação e as tendências de tecnologias que parecem coisa de ficção cientifica.

Contador – Conta para gente que evento foi esse.

Zuno – Eu fui para o Congresso Mundial de Inteligência Computacional (WCCI), que tinha outros três eventos dentro dele. A Conferência Adjunta de Redes Neurais, Simpósio de Lógica Fuzzy e o terceiro evento de Algoritmos Genéticos.

Contador – Qual sua Formação? E porque você foi para esse evento representando a UFRN?

Zuno – Eu sou formado em bacharel em Ciências da Computação pela UFRN, atualmente fazendo mestrado em sistemas de computação também pela UFRN. Tive um artigo aprovado e como era necessário apresentar, e eu fui o primeiro autor, fui indicado pelo DIMAp/UFRN, além disso, na ausência da minha orientadora fui convidado para conduzir a sessão técnica que eu estava participando.

Contador – Que trabalho foi esse que você foi apresentar?

Zuno – Apresentei um artigo sobre redes neurais para identificar usuários do jogo League of Legends (LoL) usando biometria. Biometria não é só a digital é qualquer característica que sirva para identificá-lo.

Contador – Pelo que a gente viu da sua pesquisa você não usa os recursos convencionais como digital e retina para identificar o usuário. Como é isso? E porque utilizar um jogo relativamente popular?

Zuno – Quando eu pego uma assinatura duas vezes se espera que elas sejam similares, no contexto de jogo isso torna as coisas bem mais difíceis. Eu estou usando a forma com que a pessoa digita, por exemplo, quanto tempo ela leva para digitar o “Q”, quanto tempo entre uma tecla e outra, e também como a pessoa usa o mouse, cadência de cliques, a velocidade e aceleração de movimento nas oito direções.

photo5071055392783575000

Valmiro Ribeiro representando o DIMAp/UFRN

Contador – Nesse evento que outros trabalhos chamaram a sua tu?

Zuno – Houve duas palestras gerais no primeiro dia. A de um chines falando sobre ciborgues e basicamente mostro que você pode utilizar equipamento eletrônicos para ampliar as capacidade de um individuo, como no exemplo de um elo onde você conseguia mandar informações direto para o celebro de um rato e tinha um cara com um capacete mandando informações para o rato atravessar um labirinto sem errar. Outra coisa interessante foi a palestra do brasileiro Miguel Nicolelis, conhecido pelo trabalho com exoesqueletos, e mostrou os avanços na pesquisa dele desde a Copa de 2014, quando ele fez um paralítico chutar uma bola, ele mostrou que através de chips alguns estímulos desenvolvidos na pesquisa do exoesqueleto podem ser utilizados no tratamento do mal de parkinson, e elas começam a recuperar os movimentos.

photo5051223643287300075.jpg

photo5051223643287300073
Microchip implantado na cabeça do rato permite comunicação com o ser humano.

Contador – Se a gente desconsiderar que vocês são cientistas e estão lá trabalhando, parece mais um evento de ficção cientifica. Que orientação você daria para esse pessoal que ainda ta pensando se vai encarar este ramo na vida?

Zuno – Primeiro, não tem como escapar da matemática (risos). Mas a matemática que será utilizada de fato não complicada por existem diversos programas para ajudar nos cálculos, no trabalho braçal. Sempre vai ser uma questão de aprender conceitos e aplicar esses conceitos, os computadores farão o trabalho pesado. Você não precisa conduzir sua pesquisa somente na área de exatas, em letras você pode esta atuando em informática, em biologia podemos entrar na neurociências que não possuem um plano de fundo grande na matemática. Mas recomendo a todos que queiram entrar no mercado que estudem programação, pois é a nova linguagem e invistam no “Inglês” pois as pesquisas não giram em torno do Brasil e permite que você possa se comunicar com outros pesquisadores e ler textos influentes na maioria escritos em Inglês.

Nós continuamos de olho. Até qualquer hora!

VOCÊ NO CONTADOR: TRANSPORTE QUE LEVA ALUNOS AO IFRN TEM PARA-BRISA QUEBRADO

Alunos mandaram imagens ao Contador como forma de cobrar mais atenção, Secretário de Administração disse que município não tem obrigação com IFRN e universitários, mas que conserto será realizado.

POR AILTON RODRIGUES
SÃO MIGUEL DO GOSTOSO/RN

busão if 02
Vidro quebrado prejudica visibilidade.

Alunos de São Miguel do Gostoso que cursam o ensino médio no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do RN (IFRN) enviaram para o Contador algumas imagens que mostram o para-brisa do ônibus ao qual estão usando diariamente quebrado e por causa disso com riscos de falta de visibilidade.

Um dos alunos, que pediu para não se identificar, relata que está preocupado com a situação, pois considera perigoso e já ouviu alguns motoristas comentando que não estão dispostos a dirigir o ônibus nessas condições, pois alegam que há a possibilidade até de perder pontos na carteira.

Nós relatamos o caso ao Secretário de Administração, Manoel Patrício, e ele afirmou que a solução será providenciada: “Teremos que comprar outro vidro, mas o problema será reparado.”

Patrício ainda declarou que o município não tem obrigação com o transporte do IFRN e dos universitários, mas com o fundamental e por isso que até alguns setores ficam desguarnecidos, porém procura garantir esses serviços.

Sobre este último tópico tratado, O Contador de Causos investigou e teve acesso a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) 2016 e o projeto desta lei para 2017, nelas há uma rubrica das ações que já prevê gastos com Ensino Médio e com Ensino Superior. Confira o trecho:

13479449_1044424305627487_1739624638_n
Trecho do projeto do LDO para 2017, rubrica 2022 e 2023 garante gastos com Ensino Médio e Superior.

Nós continuamos de olho em SMG. Até qualquer hora!

EDUCAÇÃO SUPERIOR

download

MEC vai revogar portarias por deficiência de critérios técnicos

O ministro da Educação, Mendonça Filho, vai revogar duas portarias publicadas no final de abril último. A Portaria Normativa nº 7, que instituiu o Cadastro Nacional de Concluintes (CNC) dos cursos de graduação, e a Portaria Normativa nº 8, que criou indicadores de qualidade para a educação superior. Com isso, voltam a valer os anteriores.

A decisão do MEC está embasada em pareceres técnicos firmados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep). De acordo com a presidente do instituto, Maria Inês Fini, ambas as propostas foram apresentadas sem nenhum planejamento prévio. “Sem a necessária adequação de estrutura técnica do Inep e sem comprovada justificativa ou necessidade”, disse.

O Inep é o órgão responsável pela discussão e elaboração de novos indicadores educacionais da educação básica e da superior. “Além disso, qualquer mudança de indicadores precisa estar pactuada com a sociedade, principalmente com os usuários diretos desses pretensos indicadores, a comunidade acadêmica”, explicou Maria Inês.

Hoje, existe o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes), integrado pelo conceito Enade [Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes], conceito preliminar de curso (CPC), e pelo índice geral de cursos (IGC). A produção de indicadores capazes de representar características, atributos e valores de atividades desenvolvidas nas instituições de educação superior é complexa. Portanto, requer o atendimento a requisitos mínimos, como comparabilidade, continuidade, operacionalidade e objetividade. “O Inep não é contra o aperfeiçoamento dos indicadores já existentes ou a implantação de novas formas de expressar o que se realiza no âmbito das instituições de educação superior”, esclareceu Maria Inês. “Mas, como disse, é preciso um conhecimento claro das variáveis; um banco de dados ampliado precisa ser estruturado anteriormente à implantação de um novo sistema de avaliação de qualidade da educação superior.”

Banco — No caso do Cadastro Nacional dos Concluintes, a portaria prevê a criação de um banco de diplomas dos cursos de graduação com acesso público irrestrito, sem atentar para a necessidade da adoção de um complexo processo metodológico para a sua implantação. Além disso, deixa uma lacuna nas responsabilidades atribuídas às instituições de educação superior quanto à atualização do cadastro e à identificação da veracidade e da autenticidade das informações junto ao CNC. Ou seja, da forma como foi proposto, o CNC não garantiria o controle necessário para enfrentar o problema das fraudes na conclusão dos cursos de graduação, como a venda de diplomas.

As portarias normativas do MEC nº 7/2016 e nº 8/2016, a serem revogadas, foram publicadas no Diário Oficial da União de 28 de abril último.

Assessoria de Comunicação Social (MEC)