OPINIÃO: ELEIÇÕES DE CONSELHO TUTELAR EM GOSTOSO DESTORCERAM O QUE É DEMOCRACIA, VEJA ELEITOS

Votação aconteceu neste último domingo (06) e levaram apenas cerca de 40% dos eleitores para as urnas.

POR AILTON RODRIGUES
SÃO MIGUEL DO GOSTOSO/RN

2019-1.png

As eleições para escolha dos Conselheiros Tutelares em São Miguel do Gostoso aconteceram neste último domingo (06) e foram eleitos 05 nomes para ocuparem os cargos pelos próximos quatro anos, são eles:

  • 1º Marcos Luiz Barbosa – 304 votos.
  • 2º Alaíde Menezes – 276 votos.
  • 3º Eva Carolina – 265 votos.
  • 4º Cinthia Monayra – 259 votos.
  • 5º Maria Auxiliadora – 253 votos.

Até aí tudo bem, nós acompanhamos o andamento da eleição que contou com 2.324 votos (cerca de 40% do eleitorado gostosense) e aí que chegou o grande problema do processo. Infelizmente as eleições para cargos que não tem tanto destaque no âmbito político (ou pelo menos não deveria) tiveram status de partidarismo. Eram 15 candidatos e muitos deles tinham padrinhos relacionados ao cenário político municipal, além dos santinhos que foram distribuídos na campanha e etc.

Chegou a haver discussão nos arredores da sessão eleitoral por causa dessas divergências partidárias. Uma lástima.

Devo lembrar aos caros leitores do Contador que o Conselheiro Tutelar tem o papel de atender crianças e adolescentes diante de situações de violação de direitos, além de aconselhar os pais ou responsáveis dos mesmos. A partir do atendimento o profissional aplica medidas de proteção. Tudo isso regido pelo artigo 136 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

A grande pergunta é: o que apadrinhamento político tem haver com isso? Dinheiro deve reger a eleição além das ideias e propostas dos candidatos? Aparentemente há uma certeza: a democracia é destorcida quando temos que colocar tantos elementos como esses na balança. Competência fica em segundo plano.

Se já tivemos tudo isso agora. Imaginem no ano que vem…

Todavia, parabenizamos os eleitos. Há nomes fortes e interessantes que foram escolhidos pela população, esperamos que realizem um bom trabalho e revolucionem o cargo de conselheiro tutelar… Deixem pelo menos o legado de instruir a população que em sua maioria mal sabe quais as atribuições dessa função e sua importância.

Nós continuamos de olho. Até qualquer hora!

Autor: Ailton Rodrigues

Técnico em Informática (IFRN), que adora esportes e jornalismo, estando sempre disponível para bons papos. Coordenador de Comunicação do clube de futebol TEC (Tabua Esporte Clube), membro do Conselho do Coletivo de Direitos Humanos, Ecologia, Cultura e Cidadania (CDHEC), comunicador da Mostra de Cinema de Gostoso. Formado em Pedagogia (UFRN).