O CONTADOR VIU: TRÊS ANÚNCIOS PARA UM CRIME

Filme pode ser considerado como tenso, mas ao mesmo tempo é daquelas obras que você não consegue desgrudar da tela.

POR AILTON RODRIGUES
NATAL/RN

legiao_rtjacscgda6zlq1u7wshxfoimfv_n4ehbonzpe2v9k
Os anúncios de Mildred repercutem na pequena cidade de Ebbing.

Um dos filmes mais ganhadores das premiações pré-Oscar é Três Anúncios Para um Crime (Three Billboards Outside Ebbing, Missouri), e ao assistir o filme fica até fácil entender o motivo. Com direção e roteiro de Martin McDonagh a trama é carregada de atuações incríveis com atores que, provavelmente, estão no auge das suas carreiras.

Para situar você ao enredo, na cidade de Ebbing, Missouri, um crime não solucionado faz com que Mildred Hayes (Frances McDormand) busque chamar atenção da justiça de um jeito, digamos, inusitado: colocando anúncios com frases para chamar atenção das autoridades. Poderia até passar despercebido, afinal a estrada aonde estão os anúncios é quase inutilizada, mas este é o ponto inicial para uma série de reviravoltas com todos os personagens.

O filme nos leva a um mergulho interior ao ficar indagando o que está certo e errado no comportamento dos personagens, em especial o de Mildred que apesar de protagonista não faz o perfil de mocinha, pelo contrário, é até temida por parte daquela população. Posso destacar nesse parágrafo que Frances McDormand carrega o filme nas costas e, com muito mérito, pode ser que leve o Oscar de Melhor Atriz.

Por outro lado, os personagens secundários, estão longe de ser meros participantes da história, eles nos mostram como o ato de Mildred influencia de maneiras diversas cada um daquela cidade. O xerife Willoughby (Woody Harrelson), de acordo com Mildred, é um dos “culpados” por não ter resolvido o caso, mas a população o adora e sabe que ele está a beira da morte por estar enfrentando um câncer. Mesmo sendo ele uma das pessoas com mais facilidade de nutrir raiva por Mildred, ele não faz isso e sabe que ela no fundo tem o direito de ter uma resposta para a sua perda.

legiao_lwik2o1bwnnzu5_mvxz6ittka37eqgusf8rqydjxcl
O Xerife e Mildred: não há como julgá-los por suas atitudes.

Willoughby ainda tem como ser professor do policial Dixon (Sam Rockwell) que mesmo sendo um idiota, se achando superior por ostentar um distintivo, nos surpreende com ações inesperadas, além de ser em alguns momentos um alívio cômico. Rockwell e Harrelson, por sua vez, estão maravilhosos nos seus papeis.

Todavia a palavra que pode classificar o filme é AMADURECIMENTO. Mildred para poder seguir adiante busca extravasar sua raiva na publicação dos anúncios. Dixon para buscar uma redenção, tenta deixar sua raiva e impulsividade de lado. O Xerife na tentativa de ter meses de paz antes da sua inevitável partida, tenta resolver tudo o que pode… Enfim, como amadurecer diante dos desafios e problemas?

Pode se preparar para “mastigar” este filme por alguns dias depois de assisti-lo. A fotografia simples, mas interessante nos coloca dentro dos conflitos de maneira leve, deixando só uma dúvida nos envolvendo durante todo o tempo: como posso julgar essa pessoa?

Definitivamente é um filme incrível. Vale a pena assistir!

legiao_ixbzja9dl10sc3_xmpqah4frwilwk8hvs7du2crnoe

TRÊS ANÚNCIOS PARA UM CRIME (2017)

  • Duração: 115 min
  • Gênero: Drama, policial.
  • Classificação: 16 anos.
  • Estreia no Brasil: 15 de fevereiro de 2018.

Autor: Ailton Rodrigues

Técnico em Informática (IFRN), que adora esportes e jornalismo, estando sempre disponível para bons papos. Coordenador de Comunicação do clube de futebol TEC (Tabua Esporte Clube), membro do Conselho do Coletivo de Direitos Humanos, Ecologia, Cultura e Cidadania (CDHEC), comunicador da Mostra de Cinema de Gostoso. Atualmente aluno de Licenciatura em Pedagogia (UFRN).