FOI OUTRO NÍVEL: LANÇAMENTO DA REVISTA GUAJIRÚ E PRÊMIO CDHEC AGITAM NOITE DE SÃO MIGUEL DO GOSTOSO

Com apresentações culturais e “estilo Oscar” na premiação, evento lotou o Centro de Cultura com direito a presença do Presidente da Fundação José Augusto.

POR AILTON RODRIGUES
CENTRO DE CULTURA, S.M. DO GOSTOSO.

Nesta quarta-feira (04) aconteceu no Centro de Cultura o lançamento da 4ª edição da Revista Guajirú e a 2ª edição do Prêmio CDHEC de Responsabilidade Socioambiental idealizadas pelo próprio CDHEC (Coletivo de Direitos Humanos, Ecologia, Cultura e Cidadania) e Espaço TEAR.

Os eventos conseguiram atingir um expressivo público de 150 pessoas (número estimado) para um auditório que suportava apenas 90 pessoas sentadas. Entre todos destaca-se a presença do presidente da Fundação José Augusto, Rodrigo Bico; a prefeita municipal, Maria de Fátima, o presidente da Câmara Beto de de Agotinho, o vereador Zé de Luzenário, a Secretária de Educação Izabel de Matos, o Pe. Fabio dos Santos, um dos fundadores do CDHEC, além de várias ONGs e representantes de pousadas e restaurantes.

Hall de entrada do Centro de Cultura. (Foto: Valmiro Zuno)
Hall de entrada do Centro de Cultura. (Foto: Valmiro Zuno)

Aliás já virou marca registrada do Coletivo promover uma maratona de atrações em uma noite e dessa vez não foi diferente. Teve desde debates até coquetel, confiram um resumo de tudo o que aconteceu ontem:

DEBATE

Amantes de cultura foram privilegiados no pré-evento, às 18 horas, por uma palestra que discutia exatamente a importância e a situação deste ramo no estado do Rio Grande do Norte e seus municípios. Com mediação de Rodrigo Bico, além de outros importantes nomes, como Teotônio Roque, Membro da Comissão Nacional de Pontos de Cultura, representantes dos municípios de Macaíba, Parazinho, Pedra Grande, Natal e Parnamirim. O debate que serviria de introdução ao evento principal acabou se tornando um dos pontos altos da noite.

Rodrigo Bico, Presidente da Fundação José Augusto (Foto: Heldene Santos)
Rodrigo Bico, Presidente da Fundação José Augusto (Foto: Heldene Santos)

PRÊMIO CDHEC (INDICADOS E VENCEDORES)

O Prêmio CDHEC foi o próximo item no agitado cronograma que a organização do evento tinha estipulado, dentro dele havia cerca de cinco atrações dos mais diversos ramos culturais, mas nesse tópico vamos ver quem foram os indicados e quem ganhou os prêmios.

A premiação tinha quatro categorias (Direitos Humanos, Ecologia, Cultura e Cidadania) além de uma homenagem. Nesta segunda edição foram feitas indicações a cada categoria e descobrimos os vencedores na hora, como em um estilo Oscar, Grammy e todos esses grandes eventos de premiação ao qual conhecemos.

Na categoria Direitos Humanos os indicados foram Otoniel Baracho (CMDCA), João Roberto (AeGostoso) e o PNAIC (Pacto Nacional Pela Alfabetização na Idade Certa). O encarregado a anunciar o vencedor foi o Padre Fábio dos Santos, que foi um dos idealizadores desta premiação, e entregou o troféu ao PNAIC pelas atividades desenvolvidas durante o ano de 2014 no suporte, planejamento e acompanhamento pedagógico de professores alfabetizadores (1º ao 3º ano do ensino fundamental) do Município de São Miguel do Gostoso.

Pela categoria Ecologia foram indicadas: AMJUS, ASCDEG e a Voltália. Quem anunciou o prêmio foi Ailton Rodrigues, colaborador do blog Contador de Causos e aluno da oficina de jornalismo, pela segunda vez o prêmio ficou com a AMJUS pela consolidação e ampliação das ações de defesa das tartarugas marinhas em nossa orla.

A categoria Cultura tinha como indicados Gustavo Titoto, Copel e Serveng. Na entrega do troféu o anunciante foi Rodrigo Bico que o entregou para Gustavo Titoto pela construção do Centro de Cultura, bem como a compra e instalação de todos seus equipamentos.

Na última categoria que é Cidadania os indicados eram ASCDEG e Cristiano Nunes (Associação de Karatê Shotokan). Desta vez quem enunciou o vencedor foi a prefeita Fafá e entregou o prêmio a Cristiano Nunes pela expansão do Karatê Shotokan, a implementação do esporte nas escolas municipais, a criação da Associação Gostosence de Karatê Shotokan e os resultados inéditos em competições estaduais para São Miguel do Gostoso/RN.

Cristiano Nunes, ganhador do Prêmio CDHEC - Cidadania. (Foto: Edmilza Karla)
Cristiano Nunes, ganhador do Prêmio CDHEC – Cidadania. (Foto: Edmilza Karla)

O prêmio especial de homenagem foi para Elizabete Marinho pelas suas “valiosas e silenciosas contribuições do CDHEC/Espaço Tear, que possibilitam o funcionamento da ONG”, segundo Pe. Fabio dos Santos que fez a homenagem.

PRÊMIO CDHEC (ATRAÇÕES)

As atrações da noite foram expressivas e causou variados sentimentos no público presente, foi da música à encenação e do sorriso às lágrimas.

A primeira apresentação foi o vídeo comemorativo dos 10 anos do CDHEC, data comemorada ano passado, que mostrou de forma sucinta os variados projetos deste coletivo neste pequeno espaço de tempo. Tivemos na sequência o grupo de música instrumental Só Melodia que interpretou ao som de violão, flauta e tambor grandes sucessos como Asa Branca.

A terceira apresentação foi a exibição do curta-metragem “O Contador de Causos” produzida pelo grupo Nós do Audiovisual (HECO Produções/CDHEC). Este filme já havia sido um sucesso na primeira Mostra de Cinema (2013) contando a história de Gostoso.

Os anunciantes dos indicados da categoria Cultura acabaram se tornando um show a parte. Fernando Miranda e Suanes Silva interpretaram Mateus e Catirina, figuras folclóricas de ligação ao Boi de Reis, e proporcionaram diversão a todos. Tivemos também a apresentação do grupo de dança Dançarte que interpretou duas canções ao qual mostraram grande interação ao público envolvendo-os na coreografia.

E a última atração da noite que parecia ser aparentemente leve e sem pretensões causou grande comoção a todos. Uma declamação de poemas feita por Cinthia Matos e Auxiliadora Ribeiro, que já eram mestras de cerimônia, foi o clímax do Prêmio CDHEC. Cinthia declamou um poema de autoria própria ressaltando as características de Gostoso, enquanto Auxiliadora interpretou de forma especial o poema “Aquela Dose de Amor” autoria de Antônio Francisco que mostrava uma mensagem sobre os contrastes da personalidade humana.

Quem quiser conferir o poema declamado por Auxiliadora Ribeiro é só clicar aqui.

Ufa! Realmente foi um grande cardápio, mais ainda havia mais emoções para a noite.

LANÇAMENTO DA REVISTA GUAJIRÚ

Capa da Revista Guajirú nº 04. (Foto: Alessandro Amaral)
Capa da Revista Guajirú nº 04. (Foto: Alessandro Amaral)

A quarta edição da Revista Guajirú foi o ponto que encerrou a noite comemorativa. O discurso do professor da oficina de jornalismo, Alessandro Amaral, marcou o final de um ciclo de aproximadamente um ano de preparação do exemplar de 40 páginas.

Ao fundo o som de uma banda de forró pé-de-serra no comando de Dedé de Malária, coquetel e a distribuição gratuita das revistas selou o evento de mais de quatro horas de duração.

O Contador de Causos está de olho em todos os eventos que mexem com a nossa cidade, até a próxima!