Todos os posts de Airis Vital

Fascinada por expressões culturais, filmes e livros de todos os tipos, simplesmente ama absorver conhecimento. Cursa Tecnologia, Análise e Desenvolvimento de Sistemas na Universidade Feral do Rio Grande do Norte – UFRN; Técnica em Cooperativismo pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte – IFRN; Membro da ONG, Coletivo de Direitos Humanos Ecologia, Cultura e Cidadania – CDHEC; e Sócia da empresa "Entretenimento Cultural Café com Leite" pela Incubadora Tecnológica Energia e negócios - ITEN do IFRN campus João Câmara.

O CONTADOR LEU: PEQUENAS ATITUDES, GRANDES MUDANÇAS DE CAROLINE L. ARNOLD

por Airis Vital

Por favor… leia o título de novo. Fez? Quem bom… vai que você tenha lido ‘pequenas empresas e grandes negócios’ (risos). Pois é… não sei se foi assim com você, mais eu precisei internalizar que esse livro não era sobre o programa da televisão. Brincadeiras à parte, vamos ao porquê esse livro é uma boa indicação.

Esse livro despertou muitos momentos de reflexão em mim e consequentemente provocou novos hábitos. O subtítulo dele descreve “microrresoluções para transformar sua vida” e sem dúvida aconteceu com a minha, muitas mudanças aconteceram nesse novo cenário de pandemia do coronavírus e muitas decisões precisaram ser tomadas para que fosse possível viver um dia a pós o outro.

O conteúdo do livro descreve nada mais e nada menos que a resolução deve criar hábitos que se tornem parte do piloto automático. E você deve está se questionando “como se eu nunca tive tomado uma decisão, e desistido depois!?” é nesse momento que te suprindo com mais dois tópicos interessantes que esse livro aborda.

Primeiro… nossas resoluções e decisões vão ao fracasso, pois precisamos de força de vontade e objetivo para ter sucesso. Quem nunca começou o início do ano dizendo: – Esse ano eu vou entrar e forma. Quem nunca?! Mais o processo é continuo e isso é a chave. A força de vontade está diretamente ligada a… + ATITUDE + HÁBITOS + ROTINA. O objetivo está conectado a… + FELICIDADE + EM FORMA + SEGURO FINANCEIRAMENTE.

Segundo… aconselha-se que não tomem resolução que não consiga manter. + SOLUÇÕES e menos pretextos. Qualquer mudança numa rotina já estabelecida exige foco. Vou te dá um exemplo, durante esses 6 meses de pandemia, me peguei diversas vezes saindo de casa sem a máscara. A Caroline é bem clara, as pequenas mudanças trazem grandes benefícios se elas são especificas para a ação. Por exemplo, usar o fio dental, depois de jantar.

 E aí… que tal uma leitura que te ajude a encontrar bons hábitos para sua rotina e te fazer refletir, sobre o que está deixando você improdutivo. Compartilha conosco o que tem sido um desafio para você. Até a próxima.

O contador indica! 🙂

Livro: Pequenas Atitudes, Grandes Mudanças Editora: Sextante Ano de publicação: 2015 ISBN: 9978-85-431-0244-3 Páginas: 183

CONTOS: NORDESTE CABRA DA PESTE

POR PEDRO BATISTA 

Nordeste, meu sertão.

Cabra da peste é teu meu coração.

De lutas, sofrimento, determinação,

De estórias que agora vou assim contar.

O que na história livro se pode pesquisar,

mas que só o sertanejo pode bem descrever

dos que aqui nesse chão nasceram e vieram a lutar

por uma nação que prefere nem junto te ter.

Nordeste, rico na colônia da exploração,

Só dava de comer às bocas dos barão.

Pois quem mais do ouro branco era zeloso

Recebia de prêmio a escravidão longe de seu povo.

Quando levaram a receita de bolo

Pra plantar em novas terras o doce tesouro

Houve a corrida pelo ouro de fato

Abandona Nordeste, desbrava o mato.

Eis que vem a separação

Sou Brasi, e colônia não quero mais ser não.

Queria ser conferência do Equador

Tanto lutei, mas padeci revoltoso ao Pedro imperador.

Mas meu povo inté que se acostumou.

Meu povo de fé, sertanejo de labuta se criou

Mas a república aqui chegou

Mais pobreza, impostos e menos valor o caba da peste ganhou

Surgiu conselheiro, Antônio Vicente, que Canudos fundou

E de reduto monarquista, fanáticos que a elite o rotulou

Pela fé, resistiu não mais querendo ter que bancar

privilégios dos grandes, como fora na colônia, chega já!

Mas as feras foram até lá

Coronéis sem seus jagunços

Mamata ameaçada

República maldita criada pra elite

E para o povo, nada!

E tiraram Belo Monte do mapa a sangue

Lutaram contra espingardas, como numa santa cruzada.

À matadeira exterminam o levante

De povo que defendia sua terra a fogo tomada

Mais tarde acaba o regime da espada

Nada muda, ainda brincam de massacrar.

Só os coroné não se podem derrotar

Eram café com leite, eram eleição fraudada.

E pra pelejas de próprio feitio.

Criam novo povo inglório

Jagunçada agora era cangaço

Que deixou de ser pau mandado

Pra ser lutador cabra macho

Virgulino, Corisco, Maria Deia e Dadá.

Cruéis, heróis, cobras criadas,

Pela desigualdade abarretada

Não reconhecem o poder do cabra macho

Que muito fez pela nação que nem nos vê mais como Brasi

Só como capacho

E vai Lampião varrendo sertão

À bala, à faca, chamando atenção.

Só foi parado por Bezerra em traição

Fim do herói do Nordeste inimigo da nação.

É seca, fome, mas tem fé nos nossos home

Padinho Ciço, São Francisco, Nossa Senhora mãe de Deus,

Senhor nosso Jesus Cristo, para sempre seja louvado tão bom senhor.

Vem cá nos resgatar da miséria trazendo amor.

Cabra macho, Nordeste.

Ainda luta por sua gente

Que morde serpente e bebe água de pedra

Come a terra, vive sem mordomia.

E enquanto você lia

Mais Nordeste se cria

Mais Brasil se faz

Nordeste, cabra da peste, meu berço de paz.

O CONTADOR LEU: TURMA DA MÔNICA EM LEMBRANÇAS DE VITOR CAFAGGI E LU CAFAGGI

por Aíris Vital

Porque certos laços são irrompíveis. Porque algumas lições são inesquecíveis. E porque determinadas lembranças são eternas.

– Mauricio de Sousa

Tive que citar as palavras do Mauricio sobre essa trilogia que chega ao fim. E ressaltar a característica singular dos irmãos Cafaggi pois estão gravado em minha memória e na qual já sou fã. Estou estasiada com seus traço, seus diálogos, sua harmonia são similares as aventuras do Mauricio de Sousa, o que nós fazem sentir em casa na leitura e permitindo um conexão dentro de nós que torna-se acessível para todas as idades.

A narrativa de Turma da Mônica em Lembranças, descreve o quanto quereremos ser aceitos e detestamos a sensação de sermos rejeitados. Na escola fazemos de tudo para sermos aceitos pelos colegas. E quando rejeitado, fazermos loucuras e sofremos quando mesmo assim não conseguimos. As edições Laços e Lições, possuem uma característica de tensão e tristeza, respectivamente, em Lembranças sentimos a diversão como tema.

Caso você se identifique comigo, quanto amante de traços em quadrinhos, acompanhe o esses dois irmãos, pelo Instagram: @lcafaggi e @vitorcafaggi. Não deixe de acompanhar esses sensacionais artistas e suas demais obras.

O contador indica! 🙂

Livro: Turma da Mônica Lembranças Editora: Panini Ano de publicação: 2017 ISBN: 978-85-426-0883-0 Páginas: 98

O CONTADOR LEU: TURMA DA MÔNICA EM LIÇÕES DE VITOR CAFAGGI E LU CAFAGGI

por Airis Vital

Essa edição é sobre l.i.ç.õ.e.s palavra que é aplicada em todo o nosso ciclo da vida. Sim, pequenas coisas que acontecem e nos fazem evoluir. Estamos em processo constante de aprendizado e quem nunca ouviu algo do tipo “são lições que vida nos dá”, mesmo em uma leitura leve como essas edições, nos fazem refletir muitíssimo.

Você verá que em a Turma da Mônica em Lições, precisa lidar com as responsabilidades domésticas em paralelo as escolares. Os irmãos Vitor e Lu ainda explora os papeis dos pais em dá lições para os filhos quando esses não executam suas responsabilidades. Até porque quem nunca reclamou em ter que fazer algumas delas em vez de se divertir? Ou que ficou sem vê os amigos como forma de castigo?

Eu estou cada vez mais apaixonada pelos traços desses irmãos, mesmo sendo fã incondicional do Mauricio de Sousa, hahahaha. Em vários momentos os desenhos transmitem tantas emoções que nem precisam ser expandida em diálogos. Teve tantos momentos da turma que meu coração apertou tanto, que parei pra beber água de tanta empatia a turminha. Depois que terminei  a leitura eu precisei de fato pesar em tudo que vivi durante o colegial, mesmo sendo uma leitura infanto-juvenil gosto dessas pausas.

maxresdefault

As lições descritas nessa HQ nos fazem lembrar os conselhos de nossos pais. Que são mais do que úteis, quando eles não estão por perto. Por exemplo, ter que acordar sozinho para ir para escola (e depois trabalhar), fazer o próprio café da manhã, os bons hábitos que ajuda a manter a limpeza ou a casa em ordem. Que se pudéssemos curtiríamos mais quando eramos criança sem pular as etapas…. esses tipos de pensamentos nostálgicos invadem nossa mente.

Ah… antes que eu esqueça. Vou dá um leve spoiler. Nele eu conheço a história de quando Magali conhece seu namorado.

O contador indica! 🙂

Livro: Turma da Mônica – Lições Editora: Panini Ano de publicação: 2015 ISBN: 9978-85-426-0237-1 Páginas: 82

O CONTADOR LEU: MÔNICA LAÇOS DE VITOR CAFAGGI E LU CAFAGGI

por Aíris Vital

Muitas saudades desse espaço onde exponho impressões sobre minhas leituras. Desde de dezembro de 2019 eu comprei todas as HQs sobre a coleção de Laços – influenciada claramente por Mônica Força, ou seja, faz tempo que li tudo mais não registrei nadinha por aqui. Então nos próximos dias vou compartilhar  um pouquinho delas.

capa

Essa foi a  adaptação dos quadrinhos que chegaram ao cinemas da Turma da Mônica, os diretores do filme foram fieis a obra dos irmãos Cafaggi, Vitor e Lu. Se você ainda não assistiu, faz isso e prepare o coração para o suspense da trama. Laços é pura nostalgia. Mais não estou aqui para falar do filme e sim de como me senti lendo a HQ.

ilustração

Laços me relembrou emoções de quando ganhei meu primeiro gatinho e cachorro dos meus pais. Dos momentos que eles fugiam de casa e eu ficava desesperada a procura deles, quando era despertada por eles em cima da minha cama, quando eles me acordavam… Revivi aventuras com meus colegas da escola e do meu primeiro amor.

Então o que você está esperando?! Decida o que você vai fazer primeiro, lê a HQ ou assisti o filme, boa aventura!

O contador indica! 🙂

Livro: Mônica Laços Editora: Panini Ano de publicação: 2014 ISBN: 978-85-6548-457-2 Páginas: 82

SÃO MIGUEL DO GOSTOSO SERÁ PALCO DO ESPETÁCULO “AUTO DE SANTIAGO: DISCÍPULO DA LIBERDADE

Peça teatral será apresentada dias 25 e 26 de julho na Praia da Xêpa

POR G7 COMUNICAÇÃO

São Miguel do Gostoso, no litoral norte do Rio Grande do Norte, além de belas praias e uma variada gastronomia reserva um fantástico repertório de espetáculos ao ar livre, tradicionais da cidade. O próximo será o Auto de Santiago: Discípulo da Liberdade, que acontece nos dias 25 e 26 de julho na Praia da Xêpa, a partir das 20h.

Oficinas 3 - por Rubens dos Anjos
Reunião de formação de elenco

O espetáculo é baseado na história do discípulo e na experiência dos peregrinos que realizam o Caminho de Santiago na Espanha, descrito no livro O Diário de Um Mago, do escritor Paulo Coelho, Legenda Áurea de Tiago Voragine (1260) entre outros testemunhos. Os Caminhos de Santiago são os percursos dos peregrinos que afluem a Santiago de Compostela desde o século IX para venerar as relíquias do apóstolo Santiago Maior, cujo suposto sepulcro se encontra na catedral de Santiago de Compostela.

“É uma peça única, criada e produzida por jovens de São Miguel do Gostoso, que pretende mostrar a missão evangelizadora de libertação de São Tiago” – Ricardo André, produtor.

O evento tem a realização do Coletivo de Direitos Humanos, Ecologia, Cultura e Cidadania (CDHEC) e da Guajirú Produções e é financiado por meio de doações em conta corrente especifica: BANCO DO BRASIL (001) – Conta Corrente: 27.021-0 – Ag. 3525-4.

SERVIÇO:
Auto de Santiago: Discípulo da Liberdade
Local: Praia da Xêpa – São Miguel do Gostoso/RN
Data: 25 e 26 de Julho
Horário: 20h

O CONTADOR LEU: MÔNICA FORÇA de Bianca Pinheiro

por Airis Vital

Essa HQ foi lançada alguns anos. Mais vim ter acesso a ela no final do ano passado. Em uma dessas noites que você deseja uma leitura rápida para distração (por que você está com tantos livros acumulados que já não sabe qual lê primeiro), pegue-o da estante e logo comecei a pelo seu prefácio, escrito pelo Maurício de Souza.

IMG_20190222_215044241

Lá estava eu, imersa em emoções, ganhando empatia e repeito por Bianca Pinheiro. Não sei você, mais amo conhecer os autores das obras que tocam nas pluralidades de formas. Ela foi uma desses achados para guardar e acompanhar com muita admiração.

IMG_20190222_214628021

Sem sobra de dúvida a leveza e o jeito da abordagem tematizada na narrativa, me fez visitar não só minha infância mais olhar com maior perspectiva ao meu redor, crianças e adolescentes em sua maturidade e em seus humores oscilantes.

O contador indica! 🙂

Livro: Mônica Força Editora: Panini Ano de publicação: 2016 ISBN: 8542604466 Páginas: 84

O QUE ROLOU NO SÁBADO (24) DA 5ª MOSTRA DE CINEMA DE GOSTOSO

Por AIRIS VITAL

Os filmes desta edição estão mostrando temas que nem sempre são debatidos, despertando reflexão sobre a filosofia de vida que seguimos. A perspectiva singular dos diretores, apresentam forte maestria em seus roteiros e indicam a importância de compreende-los. 

O “Medo é uma Moita” dirigido pela equipe do Nós do Audiovisual foi carregado de suspense, ao apresentar um dos mistérios que a cidade de São Miguel do Gostoso esconde, onde seus últimos segundos tiraram gritos e risos assustados dos presentes.

MedoEumaMoita

Imagem: Cartaz de divulgação do filme

Na mostra competitiva, os 19mim do “Mesmo com Tanta Agonia”, dirigido por Alice Andrade Drummond, induziu a concentração de como terminaria mais um dia de trabalho da Maria. Uma mãe que anseia a volta para casa para comemorar o aniversário da filha, colide com uma tragédia um homem se lançou nos trilhos do metrô e a companhia responsável autoriza que passem por cima do corpo para não interferir nas linhas previstas e não causar mais transtornos. Mesmo tendo empatia com os familiares da vítima, ela segue sem fazer nenhuma menção sobre o ocorrido e comemora o aniversário da filha com suas amigas que mostra o cenário do universo das redes sociais em busca de likes em seus stories. Em meio ao embalo dos tumultos de emoções, dentre eles, ansiedade, tristeza e alegria, a vida seguirá normalmente sem que, se tenha dado uma pausa para maturar o que aconteceu, o que reflete muito o cotidiano de muitas mulheres e famílias atuais.

mesmo-com-tanta-agonia
Imagem: Cartaz de divulgação do filme

O segundo curta da noite “P´s” é uma adaptação de uma obra teatral que é inspirada no livro de “Eu, Pierre Rivière, que degolei minha mãe, minha irmã e meu irmão”, de Michel Foucault, para o áudio visual por Lourival Andrade, protagonizada pelo caicoense, Alexandre Muniz, considerado o Melhor Ator do Festival Internacional de Teatro em Blumenau em 2016. Desperta o interesse do telespectador para ser juiz dos atos causados na trama, logo quando quebra a quarta barreira do cinema, causando desconforto, provocando ao telespectador a listar causas, consequências e desculpas para justificar ou condenar as confissões do protagonista.

p-s.jpg
Imagem: Cartaz de divulgação do filme

O longa-metragem do dia foi o “Meu Nome é Daniel”, um documentário criado a partir dos arquivos pessoais de Daniel Gonçalves que é o protagonista e diretor.  Com a meta de encontrar respostas sobre o diagnóstico de sua condição física, com muito humor, apresenta suas limitações e conquistas desde da sua infância, que impressiona ao mostrar a naturalidade que lida com suas limitações, desafios e conquistas.

meuNomeEdaniel

Imagem: Trailer do Youtube

E para entender melhor o que a noite transmitiu para os telespectadores,  Laércio Medeiros, deixou sua opinião sobre as atrações:

E para entender melhor o que a noite transmitiu para os telespectadores,  Laércio Medeiros deixou sua opinião sobre as atrações:“Impressiona a mudança drástica de cenas. Baseada em fatos reais na qual o trem passa sobre um corpo nos trilhos para a festa de crianças numa limusine transitando pelas ruas da cidade”.

– Mesmo com tanta Agonia

“Filme atemporal forte que que coloca em discussão alguns valores culturais das sociedades”.

– P´s

“Filme ocorre numa narrativa e disprenteciosa. Impressiona como filmagens em super 8, VHS, atuais conseguem conversar. A narrativa em primeira pessoa transmite o ar de uma conversa entre pessoas conhecidas. Ao mesmo tempo que é visceral quando se desprende do coitadíssimo e vai além, quando nos convida a questões de minorias”.

– Meu Nome é Daniel

O CONTADOR LEU: JACK, O ESTRIPADOR – RASTRO DE SANGUE, DE KERRI MANISCALCO

POR AIRIS VITAL

Antes de compartilhar minha opinião sobre esse livro, preciso deixar 5 dicas sobre ele:

  • É baseado em fatos reais;
  • Uma história idealizada para instigar jovens leitores;
  • Possui uma narrativa descritiva simples e envolvente, similar as obras de;
  • Suspense e mistério são lançados em cenários vitorianos;
  • A evolução de uma protagonista feminina no século XIX.

rastro_de_sangue_jack_the_ripper_London1888_1

Fonte: Darkside books

Se você ainda não se convenceu se deve lê ou não…  lá vai minha minhas impressões dessa leitura que transportou meus pensamentos para os anos de 1888. A protagonista da narrativa é Audrey Rose Wadsworth,  que possui uma vida em meio a vestidos, chá da tarde, uma família superando a morte da mãe e buscando conquistar espaço em uma investigação, autorizada apenas para homens.

Ao lidar com as problemáticas familiares e sociais, Audrey alimenta sua paixão por medicina forense inspirada por seu tio/professor que têm um laboratório. Entre suas aulas ela conhece Thomas Cresswell, que será seu parceiro na investigação para encontrar o assassino de mulheres que são mortas brutalmente, aterrorizando cruelmente as ruas de Londres. Sensibilizada em conhecer a história destas e vinga-las, ela não mede esforços para  obter seu espaço na medicina, superando seus medos e enfrentando a repulsa da sociedade e familiar, por não aceitarem sua escolha em costurar cadáveres no lugar de bordar lenços.

A darkside como sempre transforma o livro em uma obra com um conjunto incrivel de ilustrações, onde consegue perfeitamente remeter as cenas descritas por Kerri, e para me deixar mais apaixonada ela ainda criou uma  trilha sonora especial.

O contador, Indica! Boa Leitura.

Livro: JACK O ESTRIPADOR,  Rastro de Sangue. Editora: Darkside Books. Ano de Publicação: 2018. Edição: 1ª Edição. ISBN: 8594541007 Páginas: 354.

CAMPUS PARTY NATAL: REVELA NATAL COMO POLO TECNOLÓGICO

Por Iaslan Nascimento e Airis Vital

Alguns dias depois do fim da campus, estamos aqui para contar um pouco da experiência vivida mediante a essa game de palestras workshops e afins. Sem dúvidas Natal merecia um evento como esse, muitos assim como nós estão cansados de se deslocar para Recife , João Pessoa, São Paulo e outras cidades para vivenciar eventos como esse, finalmente nosso ano chegou. E foi fantástico. Como sempre acontece na campus você entra de um jeito e sai completamente mudado, com novas ideias, novas amizades que futuramente se tornam network pessoal para voos maiores e coisas desse tipo. Novamente saímos cheios de vontade de empreender, de fazer projetos virarem realidade e claro ficar ricos.

WhatsApp Image 2018-04-11 at 20.03.08Graduandos em Análise e Desenvolvimento de Sistemas da EAJ/UFRN

Um encontro que reuniu curiosos e amantes da tecnologia, profissionais, pesquisadores, especialistas, e tantos outros que contribuem para o desenvolvimento das novas e atuais aplicações tecnológicas. Em 5 dias de duração, com 250 horas de conteúdo, 20 GB de internet, dividido em três áreas (privado, público em geral, e competição para drones) a Campus Party Natal contou com simulações de marte, palestras e workshops com temas espaciais, lançamento de foguete ao vivo e a 1ª corrida de ciborgues. Os ambientes mais explorados foram: Espaço de drones, com competições; startup e makers; Desafios, como Hackathon; a campus future. Apresentado aos campuseiros um novo olhar para o mercado de trabalho expandindo as perspectivas, através da realidade virtual, robôs, etc, mostrando e provando que de fato, para que o desenvolvimento aconteça, as ideias precisam ser exploradas e aplicar a tecnologia.

Mas a campus não é só para os nerds, é para quem anseia o novo, quem gosta de estar por dentro das novas tendências e como elas surgem. Na campus o conhecimento não para e definitivamente não parou. Com uma temática um pouco mais voltada para as cidades inteligentes e a engenharia aeroespacial, passando por foco em robótica e empreendedorismo, a campus mostrou novas tendências que estão aos poucos integrando nossa capital. E a prefeitura de natal está apoiando tais mudanças (já não era sem tempo) com a ideia de transformar Natal em um polo tecnológico, a campus já entrou no calendário de Natal e vai acontecer nos meses de Abril.