Todos os posts de Iaslan Nascimento

MAGIC THE GATHERING: CAPÍTULO 1 – DRAGÕES E PRÉ-HISTÓRIA

POR IASLAN NASCIMENTO

Esta é uma linha do tempo da história de Magic: The Gathering. É um documento não oficial, mas todas as informações sobre ele foram retiradas de fontes canônicas oficiais. Todas as histórias que podem ser datadas, ou não podem ser datadas, mas podem ser colocadas em algum ponto da linha do tempo por causa de sua conexão com outras histórias, foram incorporadas ao máximo possível. Observe que este cronograma não é totalmente preciso e alguns eventos têm uma data estimada ou um intervalo de datas em que poderiam ter ocorrido.

As datas nesta linha do tempo estão em A.R .: Reckoning Argiviano( é o calendário principal usado em Dominária. Ele define o ano 0 como o ano em que Urza e Mishra nasceram. Só entrou em uso muitos anos depois da época dos Irmãos, e foi usado informalmente por vários milhares de anos antes de se tentar esclarecer fatos históricos.), com o ano 1 começando com o nascimento de Urza. Outros cálculos conhecidos são Penregon Founded, começando com a fundação da cidade Penregon em ~ 912 AR, e o Reckoning dos Sábios de Minorad, começando com a reunião dos referidos sábios em 3000 AR. Um ano Dominarian tem 420 dias e é dividido em doze meses de 35 dias. 

A maioria das datas pré-revisadas foram fornecidas no cálculo do Minorad, mas a maioria delas não pode ser verdadeira na continuidade pós-revisionista. O cálculo de minorias é apenas incorporado na linha do tempo e traduzido para A.R. se ainda pode ser verdadeiro na continuidade atual.

Pré história 

-100.000

Os Equilorianos começam sua busca pela iluminação. Equilor era um dos planos mais antigos e distantes do Multiverso. De acordo com Urza (mais a frente conheceremos sua história) , era o plano mais antigo, da “extremidade do tempo”. Tudo naquele plano parece “sem cultivo” e “gasto”. Não se sabe muito sobre este plano, já que o único relato dele foi a visita de Urza. 

O plano era habitado por seres poderosos, que eram aparentemente humanos. Não se sabe se eles eram planeswalkers ou apenas uma civilização que desenvolveu magia poderosa. Eles alegaram que Urza os encontrou apenas porque eles permitiram que ele fizesse isso. Supostamente, sua magia poderia esconder o plano. Eles também tiveram muitas percepções sobre outros planos do Multiverso. As pessoas de lá também parecem ter superado seu desejo de grandeza e até o próprio tédio. Os Equilorianos supostamente começaram sua busca pela iluminação em -100.000 AR. As montanhas em Equilor são mais planas do que a maioria das montanhas e parecem ter sido achatadas apenas com o tempo. Uma névoa que nunca se levanta, conhecida como Névoa Eon, existe no plano, além de um local notável que é Bloodhill Bastion, uma cidade em uma colina que aparentemente foi criada com tecido vivo. Criaturas semelhantes a esfinges o estão guardando.

Névoa de Eon

Carta que representa Bloodhill Bastion

A história do Mito

-20.000 – -15.000

O UR-Dragon  gera os primeiros dragões em Dominária. Eles se tornam coletivamente conhecidos como Dragões Anciões.  O Ur-Dragon, Progenitor do Fogo, é um dragão Avatar enorme e extremamente poderoso. Uma entidade desde o alvorecer dos tempos, é a essência primordial de todos os dragões do Multiverso. Com suas asas, que se estendem por todas as eternidades, ela agita o tecido do cosmos. Sua respiração sopra sobre os mortais, roubando a essência da vida. Com garras que rastelam o éter, ele rompe os laços antigos. Graças aos seus olhos, o Ur-Dragon percebe as verdades mais profundas escondidas nos poços do tempo. Seu rugido berrante convoca sua ninhada, ecoando pelo sangue de toda a espécie de dragão, pois o Ur-Dragão é o progenitor do qual os dragões do Multiverso se originaram. 

Ur Dragon

O Ur-Dragon é descrito como uma sombra enorme, escura e assustadora. É um ser que vive entre e entre, em um lugar e em nenhum lugar: é aparentemente cego. Em sua viagem pelos planos, ele cria tempestades com o bater de suas asas: dessas tempestades nascem outros dragões. Seus “filhos” incluem os gêmeos Elder Dragons Ugin e Nicol Bolas, bem como seus irmãos e primos. 

Como dito, o espírito do Ur-Dragão sente através de todos os dragões, concedendo-lhes poder físico, magia poderosa e inteligência incomparável. Entre os dragões, o Rebento do Ur-Dragão sente esse vínculo visceral mais próximo do que a maioria, e ele acredita em si mesmo para ser o sangue de seu poderoso ancestral.  No entanto, ele não está sozinho em seu poder. Os Dragões Primitivos de Dominária, na verdade, cada um carrega uma das características do Ur-Dragão.

Os Dragões Anciões eram dragões ancestrais de Dominária. Dizia-se que seu vasto poder rivalizava com o dos planeswalkers. Um dos contos cronologicamente mais antigo da tradição mágica que temos é sobre a Guerra do Dragão Ancião, um conflito que abalou o plano de Dominária e matou a maioria de sua espécie. Os vencedores da guerra se tornaram os ancestrais de todos os dragões e drakes, enquanto os perdedores foram despojados de suas asas, membros e a maior parte de seu poder e se tornaram os Vormes Ancestrais da Terra, que geraram todas as outras espécies de verme.  Viashino também são descendentes deles, embora não se saiba como.

Os Dragões Anciões diferiam dos outros dragões por estarem conscientes no momento em que eclodiram, sabendo instintivamente seu nome. Sua hierarquia interna derivou originalmente do tempo que custou para eclodir. Segundo Nicol Bolas, eles têm vários corações.

Nicol Bolas

Como os outros Dragões Anciões, Nicol Bolas era a cria do Ur-Dragão, nascido de uma Pedra-ovo das asas do Ur-Dragão, que caiu do céu como um meteoro. Nascido simplesmente como Nicol, ele emergiu de sua gema de ovo junto com seu irmão Ugin. Enquanto todos os outros ovos de Dragão Ancião geraram apenas um dragão, Nicol e Ugin acordaram juntos, nomearam-se juntos e tocaram o solo de Dominária no mesmo instante.  Ambos tinham apenas metade do tamanho de seus outros irmãos. Quando eles testemunharam sua irmã recém-nascida Merrevia Sal sendo morta por humanos e seus cães, Nicol expressou indignação, mas Ugin o convenceu a não ajudá-la – para preservar suas próprias vidas, buscar mais conhecimento e encontrar seus irmãos. Inspirado pelo sol – que ele descreveu como brilhante e destemido – e por seu sucesso em matar um dos cães, Bolas adquiriu a noção de que este multiverso é um lugar de “caçadores e perseguidos”. Originalmente, Bolas era visto como o menor dos Dragões Anciões, zombeteiramente chamado de Last Fallen, tendo compartilhado seu nome com Ugin e sendo menor e mais fraco do que seus irmãos.

Ao contrário dos dragões normais, o Bolas é de pele dourada fica em duas pernas, usando sua longa cauda para se equilibrar. Seu rosto é achatado e largo, com uma boca e características humanas. Seus chifres se curvam para cima, emoldurando uma orbe pairando entre eles, e suas enormes asas se espalham atrás dele. Quando Bolas respira fogo, é tingido de preto com a magia da morte. Seu vôo é deselegante.

Em um ponto, Bolas era o planinauta mais poderoso do Multiverso. Junto com seu gêmeo Ugin, eles são possivelmente os seres vivos mais velhos. Dizia-se que ele já estava velho antes mesmo de Dominária nascer. Ele gerou raças inteiras, povoou planos inteiros e então os perseguiu até a extinção para sua diversão. A marca registrada de Bolas é seu toque, uma habilidade inata que causa um efeito de estilhaçar a mente com a menor carícia.

Ugin é um dragão de grande estatura, com asas emplumadas e escamas de um azul cintilante. Ele é o irmão gêmeo de Nicol Bolas e irmão de Arcades Sabboth, Chromium Rhuell, Merrevia Sal e Palladia-Mors. Ao contrário de seu irmão gêmeo, Ugin não tem interesse no poder por si mesmo, preferindo, em vez disso, a busca pelo conhecimento na esperança de desvendar os segredos da criação. Em sua busca por conhecimento, Ugin aprendeu a transcender as cores do mana e agora está centrado no mana incolor, embora mantenha a capacidade de usar todas as 5 cores.

Como seu irmão gêmeo, Ugin é um dos planeswalkers mais poderosos que existem. Suas capacidades vão desde a transmutação de energia em matéria até a manipulação do tempo e do destino, e em várias ocasiões, ele provou ser capaz de retornar dos mortos. Sua respiração é uma chama invisível conhecida como fogo fantasma, que pode incinerar quase tudo no multiverso. 

Quando Chromium apontou que os gêmeos compartilhavam seus nomes, um para cada, Nicol escolheu o segundo nome de Bolas para se sentir igual a seus irmãos maiores. Depois que Palladia-Mors zombou de seu tamanho e suas técnicas de caça, os gêmeos passaram anos aperfeiçoando várias técnicas de caça em conjunto.  Após este tempo, eles conheceram e viveram com Arcades Sabboth, que fixou residência como dragonlord em um assentamento humano. Aqui Nicol aprendeu sobre a natureza dos humanos e como eles podem ser facilmente manipulados para atingir seus próprios objetivos. Tendo aprendido o suficiente, ele levou Ugin em busca de vingança pelo assassinato de sua irmã. Depois de enganar os caçadores de dragões em uma briga entre várias facções, ele assumiu como líder supremo. Depois disso, ele tentou usar seu irmão para seus próprios fins, e Ugin percebeu que Balls nunca tinha realmente se importado com ele. Este choque mental fez com que a centelha do planinauta de Ugin se acendesse. 

Ugin

Guerra dos Dragões 

Início da guerra

A guerra começou quando sete descendentes de Vaevictis Asmadi invadiram as terras de Nicol Bolas. Depois de derrotá-los com seu exército, usando táticas anteriormente empregadas por seus súditos caçadores de dragões, Bolas foi confrontado por Vaevictis e seus três irmãos Rubra, Ravus e Lividus. Embora Rubra tenha sido morto por uma flecha envenenada, o exército de Bolas sofreu uma derrota devastadora e teve que recuar nas montanhas. Lá, eles foram novamente confrontados por Ravus e Lividus. Agora, os feiticeiros do exército de Bolas conseguiram matar Ravus. O próprio Balls dominou a mente de Lividus e o virou contra Vaevictis. Isso foi o suficiente para escapar.

 Vaevictis Asmadi

As manipulações de bolas

Após esses eventos, Bolas mudou de tática. Manipulando os muitos clãs de dragão, ele os colocou um contra o outro. Palladia-Mors foi facilmente influenciado para entrar na briga. Os dragões de um clã atacaram as fortalezas de um clã primo nas montanhas. Em meio aos picos cobertos de neve, os dragões lutaram em batalhas trovejantes, garra com garra, fogo com fogo. Carne carbonizada choveu dos céus. Ossos quebrados na base dos penhascos. Aqueles cuja fome nunca poderia ser saciada abriram caminho através dos moribundos, banqueteando-se com a carne sangrenta de sua própria espécie.

Palladia – Mors

Envolvimento de humanos

Os dragões voltaram sua gaze sobre os campos e rebanhos dos assentamentos humanóides. Alguns desejavam meramente devorar os humanóides como eles haviam caçado e devorado rebanhos selvagens. Outros desejavam gerenciá-los como gado, pronto para o abate quando sua fome aumentasse. Alguns desejavam ensinar e guiar os humanóides, mas seus esforços freqüentemente eram recebidos com ingratidão e incompreensão. Até mesmo o esperto Chromium Rhuell passou a se esconder enquanto fingia ser algo que não era, para não ser desprezado pelos humanos que afirmava que o amava ou comido pelos dragões que desprezavam sua filantropia mesquinha.

Chromium Rhuell

A propagação da guerra

Os dragões cruzaram os mares poderosos para encontrar novas terras nas quais alimentassem sua fome de carne e poder. Quando mesmo aquelas costas distantes se tornaram muito lotadas, os dragões lutaram entre si com dentes e garras, com fogo e gelo. Sob os padrões do dragão, eles formaram orgulhosos bandos de guerra entre os humanóides que os adoravam ou temiam. Feiticeiros que buscavam um poder semelhante ao de um dragão através do domínio de seus dons mágicos vieram rastejando para oferecer seus serviços, pois em todo o mundo nenhuma criatura é tão poderosa quanto um dragão, nem no início dos dias e nunca durante todo o período interminável eternidade. Até mesmo o sábio Arcades Sabboth jogou sua força na grande guerra enquanto ouvia os sussurros de Bolas que passavam por sua mente.

Assim, a guerra começou enquanto Bolas assistia de uma distância segura, confiante de que seria o vencedor final.

O último confronto

A guerra durou muitas gerações humanas e, no final, Balls governou metade de Dominária. O último confronto da guerra ocorreu em Jamuraa, entre as tropas do próprio Nicol Bolas e Arcades Sabboth. Apenas a intervenção inesperada de Ugin evitou a derrota final de Sabboth. A guerra terminou ali e então, porque na raiva e na inveja de Ugin, Bolas o “planeswalker” se acenderam e ele partiu. 

Arcades Sabboth

Consequências 

Apenas sete Dragões Anciões parecem ter realmente sobrevivido à guerra. Eles são os irmãos Chromium Rhuell, Arcades Sabboth, Palladia-Mors, Nicol Bolas, Ugin (os dois últimos são na verdade gêmeos), seus primos Vaevictis Asmadi, e Piru, amante de Chromium. No entanto, apenas as cinco Lendas do Dragão Ancião foram lembradas como sobreviventes, porque depois que Piru foi morto por Dakkon Blackblade no passado, apenas uma vaga lembrança dela permaneceu. Atualmente, Nicol Bolas e Ugin são os únicos Dragões Anciões conhecidos que ainda vivem. 

Um oitavo Dragão Ancião, Merrevia Sal foi morto no passado, logo após seu “nascimento”. Outros foram Rubra, Ravus e Lividus.

Por volta dessa época, os Dragões Anciões, que governaram Dominária por muito tempo, estavam envolvidos na Guerra dos Dragões Anciões. Os vencedores dessa guerra foram Nicol Bolas (que ascendeu), seus irmãos Ugin, Arcades Sabboth, Palladia-Mors e Chromium e seus primo Vaevictis Asmadi. Aqueles que perderam a guerra foram derrubados no chão, despojados de seu título, para nunca mais voar, tornando-se Wurms. 

CONTOS DE MAGIC: THE GATHERING (MTG)

Oi, Eu sou o Iaslan Nascimento do Contador de Causos e do Nerd atrasado e esse é o meu novo projeto!

Muitos de vocês não devem conhecer o Magic the gathering, mas esse Card game é um dos jogos mais famosos do mundo, além de ser o primeiro Trading Card Game (TCG) ( que significa basicamente que é um card game que você pode jogar, trocar e colecionar) .

A minha ideia é publicar em forma de capítulos a lore (pra quem não sabe lore de jogos são as histórias do mundo, as mitologias e informações que normalmente ficam em background da história que vem sendo jogada).

Uma das coisas que mais me motiva é a minha curiosidade sobre a lore do jogo Magic the Gathering. O magic é o card game mais jogado no mundo e um dos jogos que possuem um game de histórias incríveis, mas que infelizmente são difíceis de se encontrar e às vezes você não consegue nem uma consistência na linha do tempo.  Não estou dizendo que vou conseguir, principalmente porque são mais de 25 anos de jogo vocês não teriam nenhuma paciência de acompanhar, entretanto eu gostaria de contar muito essa história, principalmente porque eu adoraria poder ler, Mas como já dito acima, não seria legal se eu contasse do zero, pois seria muito tempo e muitos episódios , então eu decidi por um formato um pouco diferente. Vou abordar a origem de 5 dos principais personagens do jogo e fazer um resumo da história até mais ou menos meados de 2015 que a partir daí farei história por história, isso não é um projeto simples, vai levar bastante tempo para que eu chegar na história de 2020 isso pq eu quero lançar estar lançando capítulos semanais

Mas para começar a dar um gostinho do que você vão encontrar nas histórias eu vou trazer alguns conceitos importantes.

Se você não está familiarizado com a história ou cenário de Magic: the Gathering, estes são alguns conceitos que você precisa saber antes de prosseguir:

Plano – Basicamente, um mundo. Pense em cada plano como um planeta, embora não necessariamente redondo, e estão mais em dimensões diferentes do que separados pelo espaço. A maioria dos habitantes do Multiverso não está ciente da existência de outros planos.

Multiverso –  é um termo usado para descrever o conjunto hipotético de universos possíveis, incluindo o universo em que vivemos. Juntos, esses universos compreendem tudo o que existe: a totalidade do espaço, do tempo, da matéria, da energia e das leis e constantes físicas que os descrevem.

Planeswalker – Alguém com a habilidade inata de viajar entre planos. Os planeswalkers são o ponto central da história. Os planeswalkers são considerados “um em um milhão”. A capacidade de andar pelos planos é conhecida como a “centelha” do planinauta, que normalmente é ativada / acesa por meio de traumas intensos. Com apenas algumas raras exceções, apenas os seres vivos de origem biológica têm uma centelha (sem construções, mortos-vivos, anjos ou demônios)

Dentro do Magic, as cartas existem em cinco cores distintas: Branco, Azul, Preto, Vermelho e Verde. Existem ainda cartas incolores (artefatos e terrenos), assim como multicoloridas que são as cartas que têm mais de uma identidade de cor. Como explicarei mais abaixo essas cores possuem diversos significados tanto dentro do jogo quanto na lore, um dos principais significados das cores refletem na personalidade e no modo de agir dos personagens. 

Branco

A mana Branca retira o seu poder das planícies, cuja teoria segue rigidamente. Representa a ordem, a justiça, proteção, a cura, a luz e a lei. No jogo, a cor branca apresenta-se como o equilíbrio, por possuir muitos recursos, muitos deles encontrados nas outras cores. Tem como sua grande fraqueza a quase completa falta de compras de cartas efetiva, o que a pode enfraquecer sem uma boa combinação com outras cores. Pode-se encontrar grandes criaturas e cartas com efeitos de controle, por exemplo, sendo a cor onde as mais poderosas remoções de campo se localiza. No entanto, esta é a cor típica onde também encontra-se cartas de proteção, prevenção e também ganho de vida.

Azul

A mana Azul retira o seu poder das ilhas e representa o controle dos elementos da água e do vento, o conhecimento, a ilusão e a astúcia. É também a magia do embuste, da enganação e da trapaça. A mana azul é conhecida como ‘a cor de controle’.

A sua mecânica de controle passa pela permissão e manipulação, ou seja, pela capacidade de permitir ou não as jogadas do adversário. Azul é ainda a cor com mais capacidade de comprar cartas, retornar permanentes em jogo para a mão do seu dono, “millar” (enviar cartas diretamente do baralho para o cemitério) o adversário e tomar controle de permanentes do oponente.

Seu ponto fraco é a dificuldade para lidar com permanentes que já foram jogadas, não tendo forma de as destruir diretamente, podendo no entanto retorná-las a mão do seu dono, que é a sua única forma de remoção de campo efetiva.

As cartas dessa cor também são conhecidas pela capacidade que possuem de tomar o controle da partida, chegando ao ponto de fazer pressões psicológicas ao oponente. Normalmente, baralhos azuis conseguem apenas chegar ao seu objetivo muitos turnos após o início do jogo, por isso é uma cor de paciência e estratégia

Preta

A mana Preta retira o seu poder dos pântanos, representa as trevas, a cobiça, a morte, a ambição desmedida e a busca pelo poder a qualquer preço. A cor preta tem a maior seleção de cartas dedicadas à destruição de criaturas do jogo. É também a cor típica de descarte e a capacidade de reutilizar criaturas no cemitério.

O jogador preto não olha os meios para atingir os seus fins, pelo que muitas das suas cartas mais poderosas exigem um sacrifício de vida ou de criaturas por parte do próprio. É uma cor autodestrutiva que procura apenas destruir o adversário ligeiramente mais depressa que a si mesma. A magia negra é muito poderosa, tendo em um de seus pontos fortes criaturas com a habilidade de “amedrontar”, criaturas tão horrendas, que somente criaturas negras podem confrontar diretamente com elas. Tome muito cuidado ao manipular a magia preta, pois apesar de destruir seus oponentes muito rápido, ela pode destruir igualmente a mão que a manipula.

Vermelho

A mana Vermelha retira o seu poder das montanhas. Representa o fogo, a destruição, a impulsividade, a paixão, a liberdade e o caos. A cor vermelha é a mais rica em dano direto, na destruição de terrenos e artefatos e em criaturas que tem a habilidade de “ímpeto”, e não sofrem o “enjoo de invocação”, podendo atacar no mesmo turno em que são invocadas. O vermelho é a cor mais agressiva por natureza. Procura ganhar através da velocidade do seu ataque. A sua capacidade de se defender é como tal praticamente inexistente. É considerada a magia do mago impetuoso: sem pensar, sem medir, sem tempo de pena. Pode se dizer como se fosse o fogo queimando e consumindo seu oponente rapidamente a cada turno. A magia vermelha é simples: basta apenas gerar mana e mandar dano direto. Um bom exemplo são mágicas vermelhas que usam apenas uma mana para serem conjuradas e em seguida usam “X”, sendo “X” o número de dano que o mago vai causar em seu oponente, ou seja, o mago usa uma mana para conjurar a magia e a quantidade de mana que ele puder, sendo essa quantidade o número de dano direto ao oponente.

Verde

A mana Verde retira o seu poder das florestas. Representa a natureza, a vida, o crescimento e a força bruta. Entre as cartas verdes encontram-se a maioria dos aceleradores de mana, assim como conectores para criar mana de outras cores, criaturas com grande poder e a habilidade de deixar suas criaturas mais fortes. Geralmente, a magia verde é usada por magos, que visa o poder da força que cresce a cada instante. O deck verde é considerado também como o deck dos “esmaga crânios”, criaturas monstruosas e gigantescas, que crescem a cada turno. Com extrema habilidade, o mago verde faz com que suas pequenas criaturas se tornem verdadeiros gigantes, uma magia um pouco lenta no começo, mas que se torna forte a medida em que a batalha se desenvolve. Força bruta é a base desse deck. Na magia verde, a estratégia quase sempre se resume a esmagar seus oponentes como se fossem nada.

A medida que a história for sendo contada podemos ir adicionando um glossário para que vocês possam ir consultando as informações 

Em breve passarei trazendo novidades e mais informações, agora vou voltar para o resumo das histórias. Até a próxima!!!

VAMOS CONVERSAR SOBRE O LANTERNA VERDE

POR IASLAN NASCIMENTO

Decidi nessa quarentena mergulhar de cabeça em um dos personagens mais famosos da DC comics. Sempre gostei do herói, conhecia as histórias por cima, mas só agora estou de fato me aprofundando nas suas histórias e elas são incríveis.

Green_Lantern_Alan_Scott_0003
Alan Scott, primeiro Lanterna Verde

Sobre o herói

O Lanterna Verde foi criado por Martin Nodell e Bill Finger, e teve sua primeira aparição no ano de 1940, na edição da nº 16 da All-American Comics, porém, não como o famoso Hal Jordan e sim como Alan Scott. No ano de 1959 a DC reformulou o titulo, colocando o herói nas mãos de Jonh Broome e Gil Kane, e então na revista Showcase nº22 surge o famoso Hal Jordan. A origem mais famosa do herói ocorre quando Hal encontra uma nave caída com o alienígena Abin Sur, membro da tropa dos lanternas verdes, prestes a morrer, só que antes da morte ele entrega a Hal seu anel e assim seu poder. Não tão recentemente Geoff Jonhs ,começou sua revolução nos personagens da DC pelo herói esmeralda, dando a ele o destaque que tanto merecia, mas a muito não recebia. Foi na fase Jonhs que o Herói teve sua saga mais importante “A Noite Mais Densa”. Essa saga foi um grande marco envolvendo todo o universo da DC.

lanterna-verde-origem-secreta-hq-panini-D_NQ_NP_787297-MLB26975707445_032018-F
Hq de 2009 conta a origem do Lanterna Verde, e já deixa umas pontas soltas para serem concluídas nos próximos arcos.

Sobre o primeiro filme

Em 2011 aproveitando o sucesso recente de “A Noite Mais Densa” A DC junto com a Warner decidiram que era o melhor momento para lançar o herói para as telonas. Boa parte dos fãs também acharam, o primeiro trailer iludiu muito, pois o filme foi um fiasco de bilheteria e critica, sendo considerado por muitos como o pior filme de herói da década. O filme é praticamente todo de computação gráfica (ruim em muitos momentos) e causa uma estranheza enorme ver Ryan Reynolds interagindo com aquelas coisas.

mega_hero_capa

Sobre o universo DC nos cinemas

Em 2013 o Snyderverso teve inicio com O Homem de Aço (Man of Steel) onde se conta a história do Superman, os próximos lançamentos foram: Batman vs Superman, Esquadrão Suicida, Mulher Maravilha e Liga da Justiça, Shazam e Aquaman (esses dois últimos já com a Warner querendo reformular o universo dos seus heróis no cinema).

No filme da Liga da Justiça, quando Temiscera está sendo invadida e tem uma grande guerra contra o lobo da estepe temos um vislumbre de um lanterna lutando e morrendo e vemos seu anel sair para encontrar outro portador. Esse é a unica imagem que tivemos de um Lanterna no cinema depois da aparição de 2011.

Chegou a ser anunciado em algumas comic cons sempre que a Warner mostrava se calendário de lançamentos um filme destinado a tropa dos lanternas verdes o que seria muito interessante, mas essa ideia nunca saiu do papel nem mesmo chegou-se a ter um diretor. O que é uma pena pois com os avanços tecnológicos acredito que esse seria um bom momento para que uma nova versão do herói de fato voltasse as telonas, e a opção de ser um filme da Tropa enche mais meus olhos, pois é lá que se encontra boa parte da mitologia do herói e poderia ser uma boa porta de entrada para vilões intergaláticos.

O herói de fato tem bastante potencial para o cinema, porém eu percebo que o herói nunca foi prioridade nos planos da DC/Warner, que prefere investir seu dinheiro nos famosinhos da sua marca o Superman e Batman, mas talvez seja uma boa hora mudar um pouco a abordagem e dar descanso a esses que já tiveram alguns filmes ao longo dessas duas décadas, dessa forma, talvez tenhamos um fio de esperança para o lanterna e quem sabe até para o Flash que é um dos mais famosos da editora mais não ganha um filme a um bom tempo.

E não pense que o lanterna não traria lucro pra Warner, visto que o herói tem uma fã base maior que Aquaman e Shazam os dois últimos filmes lançados pela companhia. Mas eu tenho fé, tenho fé que o Lanterna e o Flash terão seus filmes, mas eu também tenho paciência, quero um filme deles, mas quero que seja bem feito então espero pacientemente pela hora e o diretor certo, porque de cagada basta o de 2011.

Ordem de leitura dos quadrinhos

Mas já que não veremos esse herói tão cedo nas telonas vou passar aqui uma ordem de leitura pra vocês, todos os matérias estão disponíveis em português e todos foram publicados em capa dura pela Panini, a fase mais aguda do personagem como: A noite mais densa, a ira dos lanternas vermelhos e a guerra do anel talvez te dê mais trabalho de encontrar , mas você com certa facilidade encontrar scans na internet para poder ler as histórias. Abaixo encontra-se a sequencia de leitura:

aiEi4Pj
01 – Origens Secretas

01 – Origens Secretas

51+tQVBVLPL._SX320_BO1,204,203,200_
02 Renascimento

pwdLSxa
03 – Sem medo

xBC1FGs
04 – A vingança dos Lanternas Verdes

K1ukTYT
05 – Hal Jordan: Procurado

dk47O35
06 – Tropa dos lanternas verdes: o lado negro do verde

eGQcFVS
07 – A guerra dos anéis 1

plE3xk4
08 – A guerra dos anéis 2

i4gjOLM
09 – A ira dos lanternas vermelhos

EjKazy0
10 – O agente laranja

GfUFmgZ
11 – a noite mais densa

fzQco6D
12 – O dia mais claro

É isso pessoal espero que tenham gostado do texto, vejo vocês em breve.

1 ANO DE ‘VINGADORES: ULTIMATO’

Por Iaslan Nascimento

 

Há um ano atrás, no dia 25 de Abril de 2019, eu acordava com uma única certeza, hoje eu vou ver um filme incrível e tenho certeza que vou me lembrar dessa experiência pro resto da minha vida.

Foi incrível? Não, foi muito mais que incrível.

Hoje olhando pra trás percebo o quanto foi difícil conceber vingadores ultimato, foram 10 anos,  não foram 2, 4 ou 6 foram 10 anos.  Foram 23 filmes com personagens, histórias e cenários diferentes. Não é como fazer 10 filmes de uma história linear, são tramas diferentes, com tons e dinâmicas diversas, para no fim culminar em um grande evento. Amigos, eu não sei se vocês sabem, mas isso é muito difícil de se fazer, ainda mais no cinema que custa milhões.

Kevin Feige durante esse anos foi bastante criticado ao controlar demais a produção dos filmes do universo da Marvel, entretanto quando vimos cada um dos filmes, tudo ficou explicado, era necessário que todas as histórias anteriores estivessem milimetricamente sincronizadas, cada desenvolvimento de personagem, cada fato, cada obstáculo para que nos dois filmes dos vingadores (guerra infinita e ultimato) tudo fizesse sentido.

Eu e muitos nerds nos emocionamos durante o fim dessa epopeia heroica, choramos? sim. Gritamos? muito. Nos emocionamos, ficamos felizes e muito tristes. Hoje vi um vídeo curtinho com algumas das reações das pessoas durante o filme. Fiquei arrepiado e lembrei com carinho de cada momento.

Não podemos negar Ultimato não é só um filme, é um evento. Tenho certeza que vai ficar marcado na história do cinema, como ficaram nomes como Senhor dos Anéis e Harry Potter.

Avante Vingadores!!!

5 SAGAS PARA MARATONAR NESTA QUARENTENA

Por Iaslan Nascimento

 

Senhor dos Anéis

Uma das sagas mais aclamadas do cinema com 11 Oscars. E uma das sagas mais influentes tanto para o cinema quando para a cultura Pop, pode ser o que você precisa.

Harry Potter

Ainda no mundo da fantasia que tal ver ou rever a história do bruxinho mais azarado do mundo. Uma boa pedia é ver os 8 filmes de Harry Potter, garanto a você que você vai ter muito o que assistir.

Jonh Wick

Se você é um cara que gosta de ação e que assistir uma saga curtinha de apenas 3 filmes. Jonh Wick é o filme pra você. Ação, porra e mais porrada.

Jogos Vorazes

Uma opção de fantasia distópica e muito boa. com 4 filmes bem feitos e com um bom ritmo.

Velozes e Furiosos

Mas se você quiser ver uma saga que começa legal e no fim… Vou recomendar pela pluralidade  da lista.

Bônus

Se você tiver muito, mas muito tempo livre você pode aproveitar para assistir todos os filmes do universo cinematográfico da Marvel, mas só se quiser.

5 ANIMES PARA VER NA QUARENTENA

Por Iaslan Nascimento

Olá meus amigos entediados, hoje vou trazer uma listinha com 5 animes para você ver nessa quarentena.

1º Promissed Neverland

Pra quem gosta de mistério e suspense essa é a série, melhor ainda se você ir assistir sem ver o trailer, se estiver muito curioso leia a sinopse, mas no fim nem leia se surpreenda rsrs

Sinopse “A história acompanha a vida de várias crianças em um orfanato bastante rígido, onde eles passam por diversos testes e exames complexos. Um dia, ao quebrarem uma das principais regras do local, saindo da área do orfanato, algumas crianças do grupo descobrem a horripilante verdade por trás daquele local, onde nada era o que parecia…”

2º Hunter X Hunter

Este está na maioria das listas dos otakus como o melhor ou um dos melhores animes já feito, não estou exagerando pode pesquisar dentro dessa rede de computadores que você vai encontrar muitas dessas opiniões, só peço cuidado e que você consiga escapar dos spoilers. Você jamais se arrependera se der uma chance pra ele, pode acreditar em mim.

Sinopse “A série conta a história de Gon Freecss, um garoto de 12 anos que pretende se tornar um Hunter, um caçador de tesouros, lugares perdidos e criaturas estranhas.

Contudo, ao contrário da maioria dos Hunters que procuram fama e dinheiro, o herói da história tem uma motivação maior para querer ser um caçador – encontrar seu pai – um dos mais famosos hunters do mundo.

Mas não é qualquer um que pode se tornar um Hunter. Para poder praticar essa reconhecida profissão, é necessário ter uma licença especial – e para tirá-la é preciso passar – e sobreviver – a exames com milhares de inscritos. Uma vez aprovado e com sua licença Hunter em mãos, o caçador passa a ter direito a acessar áreas restritas, informações secretas e consegue acumular facilmente uma grande fortuna de acordo com seus feitos ? incluindo ir atrás de Hunters que usam seus poderes para objetivos escusos.”

Kimetsu no yaiba

Se Promissed Neverland foi o queridinho de 2018 e Hunter um dos queridinhos da década, trago agora o queridinho de 2019 e o anime que fez todo mundo pirar. Kimetsu no yaiba não tenho nem palavras para descrever esse anime, realmente foi o melhor de 2019 não tenho dúvidas, é tudo lindo nesse anime, trilha sonora, fotografia, direção, animação, lutas etc, etc e etc.

Sinopse “Depois de ter sua família massacrada por um demônio, Tanjiro, o filho mais velho, sai em busca de uma cura para sua única irmã sobrevivente do massacre que acidentalmente foi transformada em um demônio.”

Haikyuu

Para os amantes de esportes temos o consagra Haikyuu o anime mais incrível de Volei, eu sei, eu sei que ele segue a forma dos animes de esporte. com alguém que sabe pouco sobre o esporte e tal. Mas Haikyuu é mais que isso, a história é envolvente os jogos são incríveis com uma animação impecável.

Sinopse:

Haikyuu conta a história de dois estudantes que entram na mesma escola depois de se enfrentarem anos atrás em um torneio. Um deles é absurdamente talentoso e experiente, mas é arrogante e falha na interação com seus colegas de equipe.

O outro tem vigor, talento e uma agilidade absurda, mas sua falta de técnica, experiência e altura o prejudicam.

5º Dr. Stone

Agora para os amantes de ciência eu trago Dr. Stone, um baita anime empolgante de ciência ele é quase um shounen de porrada.

Sinopse “Durante 5 anos, Taiju Ooki tentou se confessar para o amor de sua vida, Yuzuriha, mas nunca conseguiu. Um dia ele decode reunir toda sua coragem para dizer a ela tudo o que sente… Mas EXATAMENTE nessa hora uma CATÁSTROFE de proporções globais extingue toda a humanidade transformando-a em pedra. Como únicos sobreviventes (até então) cabe a Taiju e seu brilhante amigo, o cientista Senkuu, fazerem a humanidade sair da Idade da Pedra, voltar a Era Moderna e salvar Yuzuriha.”

Boa maratona pra vocês, quem sabe vem mais lista nos próximos dias.

O CONTADOR VIU: PARASITA #ContadorNoOscar

Por Iaslan Nascimento

Sabe aquele filme que vem silencioso e arrebata todo mundo, pois então, esse é o Parasita do Bong Joon-ho.

Parasita para mim e para muitos é o melhor filme do ano. O grande filme, com mais de uma gênero, e transitando entre eles de uma forma tão natural que surpreende. O jeito que o Bong Joon-ho constroi seus personagens, os cenários e as reviravoltas o coloca como um dos favoritos para ganhar como melhor diretor.

Existe uma certeza nesse Oscar, o prêmio de melhor filme estrangeiro parece certo já que já vem ganhando em outros premiações.  Para os outros prêmios da noite ele entra como um dos favoritos e vai dar trabalho para nomes como: Tarantino (Era uma vez em Hollywood) , Sam Mendes (1917) e Scorsese (O Irlandês) (melhor diretor e melhor filme).

 

bongjoonho

Parasita, é um filme com uma boa discussão ao falar sobre o preconceito ( o que pode ser um ponto bastante positivo na avaliação dos jurados.), a fotografia utilizada para mostrar os diferentes níveis sociais é incrível. Esse filme é um estudo da sociedade que pode se aplicar em qualquer lugar, não sendo exclusividade de Coreia do Sul, esse estudo é facilmente visto no Brasil nos EUA ou em qualquer lugar.

 

2038884

Os quesitos técnicos estão alinhados fazendo o filme ter tons de comédia na hora certa, drama e tensão sempre em momentos precisos, um filme divertido no começo, com bastante suspense no meio, e com o drama final.

A melhor coisa para mim foi ver esse filme sem ver trailer e/ou consumir nenhum conteúdo pois essa surpresa de não saber nada ajuda a deixar esse filme melhor.

No meu coração esse filme ganhar,  melhor diretor, melhor filme estrangeiro e melhor filme.

Vaja o trailer se quiser, não aconselho, vá assistir sem ver, vai ser bem melhor!

COMO FUNCIONA A TEMPORADA DE ANIMES?

Por Iaslan Nascimento

Para quem não é habituado com o universo dos animes sempre fica confuso quando se fala em temporada de inverno ou verão, ou por qual razão a cada 3 meses entram uma enxurrada de novos animes no circuito. Se preocupa não o contador te explica.

No Japão os lançamentos de animes tem um tempo definido de estreia e isso está ligado as estações do ano, que aqui são tratadas como temporadas, sendo elas:

  • Inverno: de janeiro a março
  • Primavera: de abril a junho
  • Verão: de julho a setembro
  • Outono: de outubro a dezembro

Essas temporadas também ditam a quantidade de episódios que um anime terá. Se um anime dura uma temporada significa que ele pode ter 12 ou 13 episódios. Também é comum que um anime tenha de 24 à 26 episódios na sequência ocupando duas temporadas ( Exemplo: Fire Force Que estreou no dia 5 de julho de 2019 (temp. de verão) e finalizou em Dezembro de 2019 (temp. de Outono) ). Esse período de exibição continua do anime conta como uma temporada dele, porém ele durou 2 temporadas de exibição.  Nos animes que ocupam duas temporadas do circuito normalmente há uma troca de abertura entre o episódios 12 – 15, para informar a mudança da temporada.

Outro tipo de anime comum é o anime “infinito” Que só têm data de estreia e segue sendo exibido continuamente, sem ter uma pausa entre temporadas, os mais conhecidos nesse estilo são: One piece e Naruto. Por temporada estreiam cerca de 35 novos animes.

Bem vindo ao mundo Otaku!

JÚNIOR GROOVADOR PARTICIPA DE ‘JUMANJI: PRÓXIMA FASE’

Baixista natalense participar de ação promocional do próximo filme de Jumanji que estreia no dia 16 de janeiro.

POR IASLAN NASCIMENTO

No Trailer, o músico potiguar Júnior Groovador recebe uma caixa do Jack Black (Com quem tocou no Rock In Rio 2019) e é teletransportado para Jumanji (Dunas de Natal). O nosso Groovador dá um show de carisma e interpretação. Veja o Vídeo abaixo:

O CONTADOR VIU: STAR WARS: A ASCENSÃO SKYWALKER … [Sem Spoilers]

Por Iaslan Nascimento

Star Wars: A Ascensão Skywalker é a prova de que usar dois diretores em uma mesma trilogia (ou em uma saga) não funciona!

Muitas coisas podem ser ditas sobre o fim da saga Skywalker e fim da nova trilogia, tais como:  “Foi muito previsível”, ” Faltou alguma coisa”, “Não me surpreendeu”, “Quis agradar a internet”, “Não teve coragem de tomar decisões” entre outras coisas que foram repercutidas na internet e em outros veículos.  A verdade é que a ascensão Skywalker é um filme fraco, com cenas bonitas, para alguns até emocionante, mas, não deixa de ser um filme fraco…

1_RCiZ5ndZfnjIUhNQo812Kw

Os esfeitos são lindos, são. A trilha sonora é maravilhosa, é.  Tem cenas de lutas de sabre bonitas, tem, contudo, entretanto toda via… É só.  Infelizmente só.  Eu acredito que o grande problema desse filme foi a troca de diretores, ideias que JJ  Abrams (Despertar da Força e Ascensão Skywalker) iniciou no primeiro filme e Rian Johnson (Os Últimos Jedi) descartou, e como se fosse um toma lá da cá quando JJ voltou fez questão de ignorar o que foi feito por Jonhson e retomar suas ideias iniciais. Bom isso não deu certo.

mh-abrams-johnson-2-1574353404
JJ Abrams (esq) Rian Jonhson (dir)

Personalidades foram alterar do Despertar da Força para Os Últimos Jedi e novamente alteradas para A Ascensão Skywalker… Isso é claro e perceptível para qualquer um. Coisas faladas, ou atitudes tomadas no filme anterior, foram desfeitas, parecendo até mesmo uma birra.

Muitas coisas poderiam ser exploradas nesse filme, porém foram tomadas as decisões mais rasas, covardes e que não vão gerar burburinho negativo nas redes. O fan service faz com que os personagens principais dessa saga não consigam andar com suas próprias pernas. Assim como todo fã de Star Wars, eu também gostaria de ver personagens clássicos, mas preferia que nessa trilogia nós víssemos, eles apenas como easter eggs, ou com pequenas participações, não sendo usados como moleta para o personagens novos, me parece que eles não confiavam nos novos personagens para levar a história pra frente com seus próprios passos, o que pra mim eles estão completamente errados. A Rey, Kylo Finn todos tem um carisma imenso, são personagens que eu gostei de acompanhar e acredito que eles possuem sim força para carregar essas trilogia nas costas, mas infelizmente a disney não… Optar pela nostalgia nem sempre é bom vide Han solo.

Rise-of-Skywalker-International-Poster

O filme teve cenas legais, é possível ver a identidade do JJ e dá pra sentir como ele pretendia encaminhar e finalizar a saga. Infortunadamente o final dessa saga uma coisa difícil de definir… O Despertar da Força (para mim o melhor) é um filme do JJ, um bom começo que utiliza-se dos personagens antigos para criar a ligação com o novo. Os Últimos Jedi apresenta uma Ruptura com o passado e os personagens clássicos para que enfim os personagens novos tenham seu espaço para brilhar. A Ascensão Skywalker tenta com todas as suas forças ignorar as decisões tomadas no filme anterior e restabelecer uma ligação com o primeiro, que no fim, não funciona, pois os personagens tomaram rumos diferentes do espera inicialmente.

O diretor Rian Jonhson disse em uma entrevista sobre o filme tudo que eu queria dizer:

“Acho que abordar qualquer processo criativo a partir disso (deixar os fãs felizes) seria um erro que provavelmente levaria a um resultado exatamente oposto. Se entro em algo, mesmo em algo que acredito querer, se vejo exatamente o que acho que desejo na tela, é como ‘ok, tudo bem.’ Isso pode me fazer sorrir e me deixar neutro sobre a coisa. E não pensarei mais sobre ela depois. E isso não vai me satisfazer. Quero ficar chocado, surpreso, ser pego com a guarda baixa. Quero que as coisas sejam contextualizadas de outras formas, desejo ser desafiado como um fã quando me acomodo no cinema. É isso o que espero toda vez que vou ao cinema para ter a experiência que tive com O Império Contra-Ataca, algo emocionalmente ressonante, que aparentemente se conecta e faz sentido, realmente entendendo o coração da coisa de uma maneira que eu nunca esperava”, disse o cineasta.

Não gostei do rumo de alguns personagens, o modo que algumas coisas foram feitas nesse longa mostra o choque de ideias dos diretores e como vocês já cansaram de ler… Mas o filme possui muitas cenas lindas e emocionantes para o fã. Acredito que para muitos fãs a saga Skywalker começou no episódio IV e acabou no VI, esses três filmes foram só um anexo. E digo mais uma coisa para vocês, para os mais atentos talvez vocês vejam duas cenas muito similares a Vingadores: Ultimato, parece até um control C e control V, tenho certeza que foi a disney que mandou rsrs.

É isso, eu quero que vocês assistam e tirem suas próprias conclusões. Até a próxima!