Todos os posts de Ailton Rodrigues

Técnico em Informática (IFRN), que adora esportes e jornalismo, estando sempre disponível para bons papos. Coordenador de Comunicação do clube de futebol TEC (Tabua Esporte Clube), membro do Conselho do Coletivo de Direitos Humanos, Ecologia, Cultura e Cidadania (CDHEC), comunicador da Mostra de Cinema de Gostoso. Formado em Pedagogia (UFRN).

O CONTADOR ANALISA: QUEM NÓS ESPERÁVAMOS QUE GANHASSEM OS PRÊMIOS DA MOSTRA DE CINEMA DE GOSTOSO?

O Contador de Causos abriu o leque de apostas e explica quem eram as obras consideradas favoritas por nós.

POR AILTON RODRIGUES
SÃO MIGUEL DO GOSTOSO/RN

plataforma das selfies
Plataforma das Selfies foi atração da Mostra

A Mostra de Cinema de Gostoso chegou ao fim nesta última terça-feira (17) e o prêmio Luiz da Câmara Cascudo foi entregue aos eleitos por júri popular, contudo algumas premiações foram consideradas como surpresa para a equipe do Contador.

Analisamos os palpites da equipe do Contador e explicamos o porque, confira:

MELHOR CURTA: ACERTAMOS

PALPITE CONTADOR 2

Sem dúvida “Sêo Inácio” foi um dos favoritos ao prêmio de Melhor Curta, a sabedoria do homem de 77 anos que já assistiu a centenas de filmes cativou os espectadores de São Miguel do Gostoso.

Sêo Inácio
Sêo Inácio

Uma história absolutamente interessante e potiguar.

MELHOR CURTA GOSTOSENSE: SURPRESA TOTAL

PALPITE CONTADOR 1

Nossa equipe não esperava que “À Procura do Sol” levasse o título, eram unânimes as apostas para “O Pai da Noite”, apesar da grande produção de ambos, o curta de terror poderia levar vantagem pelo gênero (o terror meio cômico), além de tratar de uma lenda local.

Pelo jeito o drama é bem visto pelos gostosenses.

MELHOR LONGA NACIONAL: ZEBRA

PALPITE CONTADOR 3

De todas as apostas da equipe do Contador “A Família Dionti” não aparecia entre os favoritos. Apostamos na emoção de “Campo Grande” que tratou de variadas emoções. Mas a poesia de Dionti encantou o público.

MENÇÃO HONROSA: NEM FICAMOS TRISTES

PALPITE CONTADOR 4

Pois é, a Menção ficou com Campo Grande, mas “Aspirantes” foi nosso palpite. A história que envolve o futebol pelo visto não agradou aos boleiros de São Miguel do Gostoso. Apesar disso, o Contador considerou justa a escolha do filme de Sandra Kogut, já que essa categoria premia o longa que mais criou afinidade com o público.

O Contador de Causos está de olho na Mostra! Até qualquer hora!

MARIA DO ROSÁRIO CAETANO SE DESTACA NOS DEBATES DA MOSTRA DE CINEMA DO GOSTOSO

Jornalista além de não perder um debate, faz colocações que não só questionam os cineastas, mas ensina aos leigos.

POR AILTON RODRIGUES
SÃO MIGUEL DO GOSTOSO/RN

Maria do Rosário na Mostra de Gostoso
Maria do Rosário Caetano vira destaque durante debates da Mostra de Cinema de Gostoso.

Ela já é uma figura conhecida por toda a nata do cinema brasileiro e aportou em São Miguel do Gostoso durante esta 3ª Mostra de Cinema de Gostoso, sempre com colocações sucintas e um ponto de vista extraordinário, a jornalista Maria do Rosário Caetano virou uma das figuras cativas dos debates da Mostra.

Ela formou-se em Comunicação Social e Letras (Língua e Literatura Portuguesa) na Universidade de Brasília (UnB). Em 29 anos de exercício jornalístico, trabalhou no Jornal de Brasília, Correio Braziliense, TV Globo/Brasília, e em diversos jornais alternativos.

Atualmente, colabora com o Caderno 2, de O Estado de S. Paulo e com a Revista de Cinema. Em 1997, publicou o livro “Cinema Latino-Americano – Entrevistas e Filmes” (Ed. Estação Liberdade). Organizou o livro “Paulo Freire e a Educação Brasileira” (1982), colaborou com Joaquim Pedro de Andrade e equipe no roteiro-livro “O Imponderável Bento” (Marco Zero/Cinemateca Brasileira/1989), com o livro “Cinema Falado – Cinco Anos de Seminários de Cinema em Porto Alegre” (Secretaria Municipal de Cultura/Porto Alegre/2001) e com o álbum “Trinta Anos de Gramado” (Editado pelo Festival de Gramado – Cinema Brasileiro e Latino/2002).

E isso é apenas um trechinho do seu currículo.

As perguntas sempre muito bem elaboradas, mostram um leque geral dos filmes e ensina aos espectadores dos debates. Questionamentos concretos e bem amarrados, que geraram um meme antes dos debates com a frase “Vamos perguntar antes da Maria do Rosário chegar!”.

Além disso, um dos coordenadores da Mostra, Eugênio Puppo, que está sendo o mediador dos debates já brincou com a jornalista:

“Se eu fosse a Maria do Rosário estaria sendo um mediador melhor, mais articulado”, disse Puppo.

O Contador continua de olho na Mostra de Cinema. Até qualquer hora!

REFERÊNCIAS:

EM MESA TOTALMENTE FEMININA, CAMPO GRANDE DE SANDRA KOGUT É O DESTAQUE DOS FILMES “À FLOR DA PELE”

Filme da diretora carioca é abraçado pelo público e é alvejado de perguntas no último debate dessa Mostra de Cinema de Gostoso.

POR AILTON RODRIGUES
SÃO MIGUEL DO GOSTOSO/RN

01 - debate 17-11
Público do 4º e último debate da Mostra. FOTO: Fernando Miranda

Sensíveis e tocantes, assim foram descritos os filmes exibidos no 4º dia de Mostra de Cinema de Gostoso e para dar um toque todo especial a essas características uma mesa totalmente feminina foi montada para o último debate dessa Mostra nesta terça-feira (17).

Estavam presentes no debate mediado por Eugênio Puppo: Rozângela Modesto (diretora de “À Procura do Sol”), Clara Linhart (assistente de direção e coprodutora de “Casa Grande”), Clara Medeiros (atriz de “A Festa e os Cães”) e Sandra Kogut (diretora de “Campo Grande”).

Vamos ao resumão do Contador:

“99% DE CORAÇÃO”

Rozângela no debate.jpg
Rozângela Modesto dirigiu “À Procura do Sol”. FOTO: Ariclenes Silva.

O último dos curtas gostosenses a ser exibido na Mostra de Cinema foi “À Procura do Sol” dirigido por Rozângela Modesto. Sobre a mudança do título da trama nos últimos dias antes da programação do evento ser divulgada, ela falou que foi um detalhe do roteiro, mas que isso não importava já que o filme foi feito para todos.

Ainda sobre o seu trabalho como atriz no filme, ela declarou:

“Fiquei envolvida com a Sofia, ela é uma parte de mim, há momentos que percebo que ela é uma projeção minha. Meu sobrinho até disse que era eu mesma lá” – Rozângela Modesto.

É TUDO PERCEPTIVO

Clara Monterio de A Festa e os cães.jpg
Clara Monteiro é atriz de “A Festa e Os Cães”.  FOTO: Ariclenes Silva.

Sobre “A Festa e os Cães” a atriz Clara Monteiro declarou que o filme nasceu de uma mudança do diretor Leonardo Mouramateus que saiu de Fortaleza e foi morar em Lisboa. Com isso na ideia de fotografar tudo o que conseguisse a partir da compra de uma câmera fotográfica, o curta nasceu.

Na transição das fotografias para a música, evidenciado nos dez minutos finais, Clara disse que esse ponto é outro detalhe da personalidade do Leonardo.

“O filme leva à suspensão e a paixão do diretor pelo ‘cinema-balada’, por isso é tão concreto e verdadeiro” – Clara Monteiro.

COMENDO PELAS BEIRADAS

Clara Linhart de Casa Grande.jpg
Clara Linhart é coprodutora de “Casa Grande”. FOTO: Ariclenes Silva

“Casa Grande” começou a ser desenvolvido em 2007, foi rodado em 2013, mas só nasceu em 2015. Em meio a toda cronologia a coprodutora Clara Linhart comemorou que o longa está em ascensão, mesmo que de forma lenta, afinal o filme foi lançado no Brasil com 33 cópias e 38 mil espectadores.

“A surpresa de Casa Grande foi a França, demorou a ser vendido por lá (…) Ganhamos quatro prêmio em Toulouse e fizemos 20 mil espectadores. Hoje estamos em Nova York e Madrid. É tardio, mas é bonito porque para isso acontecer tem alguém que quer” – Clara Linhart.

“EU SEI QUE É ANGUSTIANTE”

SAandra Kogut de Campo Grande.jpg
Sandra Kogut é diretora de “Campo Grande”. FOTO: Ariclenes Silva

Sandra Kogut realmente foi uma figura à parte durante o debate, com frases sutis e explicações sensíveis sobre o seu filme “Campo Grande”, ela foi a grande questionada da manhã.

Sobre o final aberto da sua trama ela declarou:

“Eu sei que o filme é angustiante, o protagonismo vai mudando de mãos, mais eu queria que todo mundo entendesse o lado de todo mundo. Para mim o final foi feliz, pois fui pelo lado do amor incondicional dos filhos pelos pais. Achei bacana o filho acreditar e a mãe voltar” – Sandra Kogut.

AS LIÇÕES DO DIFERENCIAL

Sandra ainda deu uma declaração que soou como estranha para a maioria dos espectadores do debate, onde ela afirmou que não forneceu o roteiro do seu filme para os atores.

“Não ler o roteiro não é um dogma, mas um cuidado que tenho. O roteiro existe, mas não quero a dependência dele (…) Por exemplo, a mãe dos meninos não sabia que ela era procurada durante toda a trama. A emoção tem que ser de verdade” –  Sandra Kogut.

Outras citações interessantes foram ditas por Sandra, confira:

“O filme nunca perdeu a escala humana. Ninguém fotografava ou postava alguma coisa, nem tratava criança como criança. Todo mundo vinha todo dia e se ajudava e era sempre assim”.

“Não gosto de improvisação porque ela dilui a emoção da cena”.

“Se tem uma frase que sintetiza o filme é: porto seguro na vida não há. Acredito que tem um lado que você assiste a vida e o outro você vive”.

O Contados continua na cobertura da Mostra de Cinema. Até qualquer hora!

MUDANÇAS, DRAMA, FRATERNIDADE: CONFIRA O PACOTÃO DO 4º DIA DE MOSTRA DE CINEMA

Em noite de histórias tocantes Mostra chega a 4º dia com última apresentação dos curtas gostosenses.

POR AILTON RODRIGUES
FOTOS: FERNANDO MIRANDA
PRAIA DO MACEIÓ, S.M. DO GOSTOSO/RN

05 - público da noite.JPG
Público durante noite da segunda-feira (16)

O trabalho foi feito e apresentado, esse pode até ser o sentimento do Coletivo Nós do Audiovisual de São Miguel do Gostoso, mas para nós ainda queremos ver aonde esses jovens podem chegar. Nesta segunda-feira (16) foi exibido o último dos quatro curtas gostosenses preparados para essa edição da Mostra.

Como você já sabe, o Contador preparou um resumão da noite:

BELO E CARACTERÍSTICO

01 - A procura do sol
Coletivo Nós do Audiovisual apresentou “À Procura do Sol”

O último curta do Coletivo Nós do Audiovisual foi “À Procura do Sol”, dirigido por Rosângela Modesto. A história mostrava uma família típica de vila de pescadores, onde duas meninas viviam em meio a “dois mundos”: enquanto uma tentava estudar a outra se encantava com um turista que a prometia levar para fora da cidade.

O curta se passou na Praia do Tourinho e foi bem aplaudido pelos espectadores.

ATRAPALHOU UM POUCO

Um problema técnico atrasou o início da Mostra Competitiva por uma hora, apesar dos milhões de pedidos de desculpa de Eugênio Puppo, a última obra da noite foi prejudicada pelo baixo número de espectadores, tudo porque o filme só terminou na madrugada desta terça (17).

MUDANÇAS CRONOLÓGICAS

02 - A festa e os cães
Clara Monteiro é atriz de “A Festa e os Cães”

“A Festa e os Cães” de Leonardo Mouramateus, com o perdão da antítese, foi o maior curta desta Mostra com 25 minutos de duração. Na trama a mudança de endereço do personagem é toda contada por meio das suas fotos, ele sai de Fortaleza, vai para Lisboa e apenas uma coisa fica em comum: as festas e os cães que ele encontra.

DEU PRA CHORAR

03 - Campo Grande
Sandra Kogut é diretora de “Campo Grande”

O longa mais emocionante dessa Mostra Competitiva sem dúvida foi “Campo Grande” de Sandra Kogut. De maneira singela vamos nos envolvendo no drama de duas crianças que são abandonadas em meio a um Rio de Janeiro todo cercado por obras da Copa do Mundo e das Olimpiadas.

Mais uma obra com final aberto, mas deixou muitos com olhos marejados.

OS ÚLTIMOS SERÃO OS PRIMEIROS

04 - Casa Grande
Clara Linhart é assistente de direção de “Casa Grande”

Apesar de terminar bem tarde, “Casa Grande” de Felipe Barbosa foi um dos melhores filmes. Na trama que já foi premiada em vários festivais, um adolescente vive um drama de começar a sonhar com a faculdade, mas tendo que conviver com a falência da família.

Outro filme que tratava de mudanças, mas em outra vertente.

VEJA TAMBÉM:

O Contador fica na expectativa do último dia da Mostra de Cinema e conta tudo para você!

FILMES QUE RETRATAM ADOLESCÊNCIA SÃO TEMAS DO DEBATE DA SEGUNDA (16)

Anos 80, ‘Geração das Selfies’ e sexualidade foram os assuntos que rolaram no Debate.

POR AILTON RODRIGUES
FOTOS: ARICLENES SILVA
CENTRO DE CULTURA, S.M. DO GOSTOSO/RN.

_DSC8854.jpg
Público veio ao Centro de Cultura acompanhar debate

O Debate com os Realizadores desta segunda-feira (15) abordou o tema da adolescência em suas diversas vertentes e gerações. Com mesa cheia, diretores e elenco descontraíram os espectadores com abordagens técnicas e específicas das obras exibidas.

_DSC8844.jpg
Mesa do debate desta segunda (16)

Estavam presentes os diretores Pedro Medeiros (José Bezerra), Anita Rocha da Silveira (Mate-me Por Favor), Marcus Curvelo (Feio, Velho e Ruim), Marina Person (Califórnia) e José Priciano (Flôzinha). Além dos atores Bernardo Marinho (Mate-me Por Favor), Clara Gallo (Califórnia) e Caio Herowicz (Califórnia).

O Contador resume aqui os principais pontos do debate de hoje:

A INTENÇÃO ERA ESSA

_DSC8807
José Priciano fala sobre a “Flôzinha”.

O curta gostosense “Flôzinha” foi questionado pelo final abrupto onde deixava para os espectadores pensarem a conclusão da trama, em resposta a indagação Priciano falou que com um tema como esse vários finais poderiam ser escritos e que deixar aberto foi o melhor.

“Tínhamos quatro finais diferentes, mas decidimos optar pelo final aberto, outra coisa foi o pouco tempo que tivemos, por exemplo, gravamos tudo da Flôzinha em dois dias” – José Priciano.

DA TERRA

_DSC8811
Pedro Medeiros dirigiu “José Bezerra”

José Bezerra é um potiguar de Mossoró, o próprio Pedro Medeiros é fotógrafo e admitiu que sempre teve desejo de retratar a fotografia de modo documental. O curta nasceu da parceria entre o Coletivo que surgiu no Vale do Assú e Mossoró.

“A fotografia tem um poder histórico incrível” – Pedro Medeiros.

TUDO EU

_DSC8814
Marcus Curvelo, diretor de “Feio, Velho e Ruim”

A proposta de Marcus Curvelo ao pegar um celular, fotos do seu tempo de criança e um gravador foi gastar o mínimo de dinheiro para produzir “Feio, Velho e Ruim”, o curta trata de relacionamento virtual e solidão, onde o próprio diretor faz as honras de ser ator.

Apesar da simplicidade, até o barulhinho das mensagens do Facebook no final da trama se casaram com o filme.

“Foi incrível! O público e a recepção, enfim o festival está muito bom (…) Quando ouvimos o barulhinho do Face, chega a aquecer o coração, mesmo que não seja quem você está querendo” – Marcus Curvelo.

TOTALMENTE JOVEM

_DSC8820
Anita Rocha da Silveira, diretora de “Mate-me Por Favor” e ator Bernardo Marinho.

O primeiro longa de Anita Rocha da Silveira tratou justamente da adolescência, tendo como o plano de fundo uma série de assassinatos na Barra da Tijuca-RJ, partindo de lembranças da própria diretora.

Outras curiosidades do filme foram explanadas por Anita:

  • Por conter jovens ainda com idade abaixo dos 18 anos, o filme foi todo gravado em férias escolares.
  • Mate-me “namora” com o horror, mas traz um fato marcante na vida de Anita que é o assassinato de Daniela Perez.

Além disso, sobre os trechos que contém poesia de Augusto dos Anjos, ela declarou:

“É difícil encaixar poesia em filme, mas foi uma questão do roteiro. Tem também a citação da música do Claudinho e Bochecha” – Anita Rocha da Silveira.

MÚSICA TRABALHOSA

_DSC8830
Marina Person, diretora de “Califórnia”

“Califórnia” tratou da juventude de Marina Person remetendo aos anos 80, para isso ela resolveu abusar das músicas, incluindo artistas como Paralamas, Titãs e até artistas internacionais como David Bowie e The Cure. O detalhe foi conseguir os direitos autorais.

“Demoramos cerca de dois anos para conseguir toda a liberação dos direitos autorais de música. Foi caro, difícil, mas no fim deu tudo certo” – Marina Person.

_DSC8839
Debate teve duração de duas horas.

O Contador de Causos é a casa da Mostra de Cinema de Gostoso e nós continuamos de olho! Até qualquer hora!

FOTOGRAFIA, SELFIE E BEIJOS: CONFIRA PACOTÃO DO 3º DIA DA MOSTRA DE CINEMA

Com filmes bem leves, mas cheios de significado, Mostra atravessa 30 horas de programação e curta gostosense é destaque.

POR AILTON RODRIGUES
FOTOS: ARICLENES SILVA
PRAIA DO MACEIÓ, S.M.DO GOSTOSO/RN.

_DSC8660.jpg

Foi uma noite bem calma e leve na Mostra de Cinema de Gostoso neste domingo (15), filmes bem descontraídos e com temas bem importantes foram exibidos na Praia do Maceió.

Destaque absoluto da noite foi o terceiro curta gostosense “A Flôzinha” que tratou de outra lenda bem peculiar do município. O Contador fez um resumão dos principais fatos da noite:

QUE SUCESSO!

_DSC8698
Curta gostosense “Flôzinha” foi dirigido por Priciano Barbosa do Coletivo Nós do Audiovisual

O curta gostosense da noite foi o grande destaque, na trama de “A Flôzinha” a lenda local que trata de um ser que não deixa os caçadores pegar os bichos se não levarem oferendas, teve o distrito do Novo Horizonte como plano de fundo.

Na obra, uma senhora da comunidade chamada Dona Liquinha roubou a cena e “pegou” a trama para ela. Além de ser uma das atrizes, ainda canta e narra a história.

O POUCO VIRA MUITO

_DSC8700
Marcus Curvelo do curta “Feio, Velho e Ruim”

Com várias fotos, uma selfie e uma narração engraçada, Marcus Curvelo montou o curta “Feio, Velho e Ruim”, o filme apesar de simples instigou a imaginação de todos que estavam assistindo.

ATRAÇÃO A PARTE

O céu ontem realmente contribuiu com a sessão, foi mais de cinco estrelas cadentes e ainda a queda de um meteorito que iluminou o céu gostosense em um tom esverdeado por dois segundos. Muitos diretores já disseram que a exibição em Gostoso é diferente de tudo o que já viram.

ARTE POTIGUAR

_DSC8707
Pedro Medeiros dirigiu o curta “José Bezerra”.

No documentário “José Bezerra” a arte do fotógrafo potiguar é esmiuçada em uma das sessões dele pelo sertão do estado. Absolutamente tudo no preto e branco a sua sensibilidade mostra de forma única a realidade local e sua evolução.

BEIJO, BEIJO, BEIJO, BEIJO

_DSC8720.jpg
Anita Rocha da Silveira é diretora de “Mate-me Por Favor”

Uma onde de assassinatos leva uma menina a se perguntar se ela realmente está viva, assim foi brevemente resumido “Mate-me Por Favor”, mas outra palavra que descreve com maestria a trama é “beijo”. As cenas longas e em grande quantidade foram muito usadas pela diretora Anita Rocha da Silveira.

VOLTANDO AO PASSADO

_DSC8736.jpg
Marina Person e elenco de “Califórnia”

Em “Califórnia” a descoberta da adolescência e os anos 80 foram a grande tônica, temas como sexualidade e Aids foram enfatizados e fechou a noite com chave de ouro.

O Contador de Causos segue na cola da Mostra, até lá!

VENDEDORES AMBULANTES COMEMORAM POR NÃO SEREM “EXCLUÍDOS” DA PRAIA DURANTE MOSTRA

Depois do ocorrido durante Fest Bossa & Jazz, vendedores ambulantes tiveram seu espaço na Praia do Maceió, além disso, comemoram a boa movimentação e lucros que estão obtendo com o evento.

POR AILTON RODRIGUES
FOTOS: ARICLENES SILVA
PRAIA DO MACEIÓ, S.M. DO GOSTOSO.

Ambulantes estão livres para comercializar na praia.
Ambulantes estão livres para comercializar na praia.

Muito foi especulado se os vendedores ambulantes teriam seu espaço para comercializarem durante a Mostra de Cinema de Gostoso e o resultado não poderia ter sido melhor, além de estarem livres para vender seus produtos na praia, de acordo com eles, estão lucrando muito com o evento.

Cerca de 20 destes comerciantes estão todas as noites participando da Mostra, vendendo comida como pipoca, salgados, cachorro-quente, etc. Além deles, mais 15 barracas foram disponibilizadas pela Rede Xique-Xique com apoio da prefeitura para o artesanato local.

Artesanato também é atração dos vendedores na Praia.
Artesanato também é atração dos vendedores na Praia.
Artesanato também é atração dos vendedores na Praia.
Artesanato também é atração dos vendedores na Praia.

A Mostra de Cinema já levou mais de 1500 espectadores as areias da Praia do Maceió durante dois dias de exibições e segue até o dia 17 de novembro.

PARA QUEM NÃO LEMBRAVA

A situação dos ambulantes foi bem questionada durante a realização do Fest Bossa & Jazz, evento que aconteceu em meados de agosto em São Miguel do Gostoso. Durante a sua realização os vendedores foram proibidos de colocarem suas barracas na praia e tiveram que ficar a uma distância de 300 metros do festival.

Mais de 60% dos leitores do Contador não haviam concordado com a atitude da organização do Bossa & Jazz, além da movimentação nas redes sociais.

O Contador de Causos continua na cobertura da Mostra de Cinema de Gostoso. Até qualquer hora!

LINGUAGENS DIFERENTES DE FAZER CINEMA FOI TEMA PRINCIPAL DO DEBATE DA MOSTRA NESTE DOMINGO (15)

“Command Action” e “Aspirantes” tiveram oportunidade de “explicar” ideias dos filmes que passaram na praia. Rodrigo Aragão vira figura emblemática da Mostra.

POR AILTON RODRIGUES
FOTOS: ARICLENES SILVA
CENTRO DE CULTURA, S.M. DO GOSTOSO.

Maior mesa dos debates nessa Mostra de Cinema.
Maior mesa dos debates nessa Mostra de Cinema.

O segundo dia de Debates com os realizadores, aconteceu neste domingo (15) no Centro de Cultura durante a Mostra de Cinema de Gostoso e o tema principal do debate foi a explicação das obras pelos seus diretores. As questões surgiram em meio à curiosidade de se entender a real mensagem que eles queriam passar ao público.

Na maior “mesa” dessa Mostra, estavam reunidos: Rodrigo Aragão (As Fábulas Negras), Ariclenes Barroso e Luiz Gentili (Aspirantes), Helio Ronyvon (Sêo Inácio), membros do Coletivo Nós do Audiovisual (O Pai da Noite), além de João Paulo Miranda Maria e sua esposa (Command Action).

Confira os principais pontos do debate:

ORGULHO E INSPIRAÇÃO CASEIRA

Rodrigo Aragão falando sobre "As Fábulas Negras".
Rodrigo Aragão falando sobre “As Fábulas Negras”.

Como principal atração da noite, Rodrigo Aragão usou seu espaço para agradecer o prestígio que a população tem por ele nas três edições da Mostra de Cinema. Sobre “As Fábulas Negras”, o diretor falou do orgulho e prazer em trabalhar com José Mojica Marins que dirigiu o episódio do Saci. O criador do Zé do Caixão, não pôde vir a Mostra por problemas de saúde.

“O Fábulas provavelmente foi o último filme do Mojica e foi como se ele estivesse fazendo uma passagem de bastão assim. Estou muito feliz e orgulhoso”, afirmou Rodrigo.

Além disso, uma das revelações feitas pelo capixaba foi que a inspiração de recorrer às lendas do folclore brasileiro nasceu com sua tia de 84 anos. Em uma declaração dela onde afirmava que quando era jovem havia visto o negrinho de uma perna só.

UMA “ESPONJA QUE AGLUTINA”

Esposa de João paulo Miranda Maria falando de "Command Action".
Esposa de João paulo Miranda Maria falando de “Command Action”.

Esse foi o termo usado por João Paulo Miranda Maria de “Command Action”, um dos filmes com linguagem diferente de toda Mostra de Cinema. Com arriscadas na fragmentação e enquadramento o autor foi elogiado no Festival de Cannes.

“Me considero uma esponja que aglutina as coisas. Não considero o que chamamos de erro, é exatamente isso que me interessa”, disse João Paulo.

Na parte sobre a feira, o diretor afirmou que não queria trabalhar a violência de forma explícita e que as cenas não são chocantes, mas deveriam, pois, considerava uma “violência verbal”.

O FOCO ERA O FUTEBOL

Sobre o filme “Aspirantes” o produtor Luiz Gentili e o ator Ariclenes Barroso explicaram toda a essência da obra, inclusive dizendo que o aspecto crepuscular do filme foi uma opção estética do diretor Yves Rosenfeld.

“A gente queria um filme de futebol, a história veio depois”, afirmou Luiz.

Para o ator Ariclenes Barroso, a obra foi um marco na carreira por se tratar do seu primeiro protagonista. Ele trabalha desde os nove anos de idade com as artes da atuação.

SENSIBILIDADE IMPRESSIONANTE

Helio Ronyvon debateu sobre "Sêo Inácio"
Helio Ronyvon debateu sobre “Sêo Inácio”

Helio Ronyvon começou a fazer “Sêo Inácio” desde dezembro de 2010 em um trabalho de faculdade, sem recurso e com um desejo de continuar ele foi minimamente montando o curta que conta a história de Inácio, um senhor de 77 anos que inspira qualquer pessoa com seu exemplo de vida.

“O conhecimento de Inácio vem da sensibilidade do outro, o que importa para ele é a sensibilidade do homem”, declarou Helio.

O diretor já participou da Mostra com o curta “Abraço de Maré”.

MESCLAR PARA AGRADAR

Membros do Coletivo Nós do Audiovisual.
Membros do Coletivo Nós do Audiovisual.

Não foi proposital, mas a comédia acabou entrando no curta gostosense “O Pai da Noite”. Com colaboração de Rodrigo Aragão os jovens montaram a obra usando a Praia da Ponta do Santo Cristo como cenário.

Além de revelar que já há o projeto de um novo curta-metragem com o tema exploração sexual, o Coletivo Nós do Audiovisual também confirmou que a comédia é uma das características de todas as obras que já fizeram até aqui.

Nós estamos de olho na Mostra de Cinema! Até qualquer hora!

GRITOS, FUTEBOL E FIGURAÇA: CONFIRA PACOTÃO DO 2º DIA DA MOSTRA DE CINEMA

Noite do tão esperado filme de terror teve ainda história de adolescentes e um senhor potiguar muito culto.

POR AILTON RODRIGUES
FOTOS: ARICLENES SILVA
SÃO MIGUEL DO GOSTOSO/RN

A simplicidade e a paisagem são únicas da Mostra de Cinema de Gostoso.
A simplicidade e a paisagem são únicas da Mostra de Cinema de Gostoso.

A noite do terror! Mais um dos grandes cargos chefes da Mostra de Cinema aconteceu neste sábado (14), na sessão Especial o terror de Rodrigo Aragão provocou alguns gritos e risadas, antes dele outras obras renomadas deram show.

O Contador faz um resumão para você:

O PAI DO TERROR

Elenco e diretores do curta gostosense "O Pai da Noite".
Elenco e diretores do curta gostosense “O Pai da Noite”.

Rodrigo Aragão participou como orientador no curta gostosense “O Pai da Noite”. Na trama, uma lenda típica do município foi contada com doses de sangue, sustos e humor.

A plateia ovacionou o segundo curta que será reexibido no dia 17.

SENHORZINHO SIMPÁTICO

"Sêo Inácio" foi o primeiro potiguar a entrar na Sessão Competitiva.
“Sêo Inácio” foi o primeiro potiguar a entrar na Mostra Competitiva.

“Sêo Inácio” foi o segundo curta a ser exibido na Praia, contando a história desse senhor que dá um banho em lição de vida e história ao contar suas opiniões e vivências. Dirigido por Hélio Ronyvon, o curta foi o único potiguar até agora a se exibir na Mostra Competitiva.

ENTENDEU?

"Command Action" foi um curta a chegar em Cannes. Agora em Gostoso.
“Command Action” foi um curta a chegar em Cannes. Agora em Gostoso.

A linguagem de “Command Action” foi um pouco estranha para quem não é acostumado, as cenas fragmentadas que retratavam uma história em meio a uma feira livre deixaram muitos espectadores confusos. Mas arrancou algumas gargalhadas.

FELIZES PARA SEMPRE?

Ariclenes Barroso (com o microfone) é ator do filme "Aspirantes", enquanto Luiz Gentili (camisa listrada) é o produtor.
Ariclenes Barroso (com o microfone) é ator do filme “Aspirantes”, enquanto Luiz Gentili (camisa listrada) é o produtor.

O longa da Mostra Competitiva foi o carioca “Aspirantes”, filme que já foi premiado por vários festivais. Na trama os personagens que jogam futebol tentam crescer na vida, mas sofrem uma série de provações.

Até aí tudo bem, o filme foi certinho, mas chegou o final e… O que aconteceu? O jeito é usar a imaginação mesmo.

É DE CASA

Rodrigo Aragão é um dos diretores de "As Fábulas Negras"
Rodrigo Aragão é um dos diretores de “As Fábulas Negras”

O filme de terror deste ano foi “Fábulas Negras”, que apresenta uma série de histórias dirigidas pela nata do terror brasileiro, incluindo o impagável Zé do Caixão! Mas, o representante oficial da obra foi o já conhecido Rodrigo Aragão.

Com muita ternura, Rodrigo apresentou o filme e deixou uma mensagem de incentivo aos moradores de Gostoso. Ele até pode, afinal é um dos pouquíssimos diretores a estar em todas as edições da Mostra de Cinema.

INCOVENIENTES

Infelizmente a polícia que ficou encarregada da segurança exagerou um pouquinho nas rondas e por várias vezes o farol alto quase prejudicou os espectadores. Nem farol baixo era usado, além disso, um bugre também participou do episódio.

O Contador continua de olho na Mostra e conta tudo pra você. Até qualquer hora!

EM PROGRAMA DE RÁDIO, PABLO NÓBREGA COMENTA SUCESSO DO SEU FILME DURANTE A MOSTRA

Com meme repercutido nas ruas e redes sociais, diretor afirma que curta é um convite a ouvir a cidade de cada um.

POR AILTON RODRIGUES
SÃO MIGUEL DO GOSTOSO/RN

A ambulante gritando "Olha a macaxeira!", virou meme na Mostra de Cinema de Gostoso.
A ambulante gritando “Olha a macaxeira!”, virou meme na Mostra de Cinema de Gostoso.

O programa especial da Mostra de Cinema na rádio 87,9 FM teve um convidado especial na tarde deste sábado (14), o diretor Pablo Nóbrega do filme “A Clave dos Pregões” foi o convidado especial e falou do sucesso da obra com os moradores no festival.

Com dez anos de carreira o pernambucano contou a história de alguns vendedores ambulantes que de forma excêntrica faziam propaganda das suas mercadorias por meio de pregões criativos.

“Fiquei impressionado com a integração das pessoas. Achei incrível para mim a melhor projeção do filme (…) Fazemos filme para as pessoas”, declarou Pablo.

A curiosidade é que esse é o primeiro curta do diretor, ele na verdade é acostumado a trabalhar como fotógrafo e finalizador.

“É um convite as pessoas ouvirem suas cidades, fechar os olhos e ouvir o som”, disse.

MEME DA MACAXEIRA

Um verdadeiro sucesso foi o meme feito a partir de um pregão dito por uma das personagens do filme. Quanto a isso Pablo revelou que a achou na rua e que tem um cunho social forte.

A frase “Olha a macaxeira!!” foi lembrada por muitos nas redes sociais e na saída da Sessão na Praia do Maceió.

O Contador continua no calço da Mostra. Continue conosco.