JÁ SÃO 10 ANOS DA CHEGADA DO SINAL DE CELULAR EM GOSTOSO E DISTRITOS AINDA SOFREM

Aniversário do principal avanço tecnológico da cidade foi importante, mas distritos ainda penam.

POR AILTON RODRIGUES

Neste dia 01 de julho os internautas relembraram a marca dos 10 anos da chegada do sinal de telefonia móvel em São Miguel do Gostoso, todavia apesar da abertura da cidade para o resto do mundo, os distritos ainda não tem tanto o que comemorar.

Tudo começou depois da implantação daquelas placas com mensagens irônicas sobre a falta do sinal de telefonia móvel na cidade. Logo a empresa Claro se instalou e assim a sede começou a “receber” seus primeiros celulares que foram apelidados de “lanterninhas” no ano de 2009. Na sequência foi a vez da Vivo aportar por aqui.

Os distritos nessa história sempre se contentaram com “o resto”. Bom, vou explicar. Desde que a primeira empresa chegou por aqui o sinal só atingiu os distritos em locais remotos. O único distrito que tem a maior cobertura é o Reduto porque fica a cerca de 12 quilômetros da sede. Os distritos como Baixinha dos Franças e dos Paulos também têm certa abrangência porque estão mais próximos do município de Parazinho.

Os demais distritos conseguem se comunicar por dois modos: há os que conseguiram desembolsar uma certa quantia de dinheiro para comprar uma antena e instalar um telefone residencial ou aqueles que nos últimos meses aderiram a um plano de internet cabeada.

Ou seja, a internet chegou mais rápido (apesar de todos os problemas) do que o sinal de telefone e não há previsão de melhora na situação.

Deixo o adendo que não estou reclamando do advento tecnológico, mas que nesse aniversário simbólico é impressionante como em uma década não há avanços nos distritos que já são tão esquecidos pelos governos.

Até qualquer hora!

Autor: Ailton Rodrigues

Técnico em Informática (IFRN), que adora esportes e jornalismo, estando sempre disponível para bons papos. Coordenador de Comunicação do clube de futebol TEC (Tabua Esporte Clube), membro do Conselho do Coletivo de Direitos Humanos, Ecologia, Cultura e Cidadania (CDHEC), comunicador da Mostra de Cinema de Gostoso. Atualmente aluno de Licenciatura em Pedagogia (UFRN).