CPRE DIVIDE OPINIÕES E PREFEITURA TENTA SE ISENTAR DAS RECLAMAÇÕES

Permanecia da CPRE/RN em São Miguel do Gostoso, silencia a cidade, cria mal estar político e vice-prefeito cria fake news para culpar a oposição.

POR RICARDO ANDRÉ
SÃO MIGUEL DO GOSTOSO/RN

O tema segurança parece que não sai da pauta em São Miguel do Gostoso. Dessa vez as atenções estão voltadas para a presença ostensiva do Comando de Polícia Rodoviária Estadual (CPRE/RN) que simplesmente parou a cidade nas últimas semanas. Comerciantes locais amargam prejuízos em época de veraneio e já próximo do Carnaval temem prejuízos ainda maiores, além disso nas bases a pressão política é grande contra o governo municipal.

Nessa manhã começou a circular um áudio do vice-prefeito Azenate Câmara, informando que havia sido cortada a alimentação da equipe do CPRE/RN e a agora ela estaria sendo bancada pelo Sr. Geraldo Menezes, ex-vereador e presidente local do PSB, como forma desvincular o apoio dado a PM, pela prefeitura municipal. A seguir o áudio:

Em contato com o destacamento da PM em São Miguel do Gostoso, a informação não foi confirmada. O Contador também em contato com o restaurante citado no áudio, e o proprietário afirmou que a equipe do CPRE/RN fez refeições somente na última terça (05) e os PM’s pagaram a despesa.

49042937_1928878567211363_8351036424958509056_o
Imagem publicada na fanpage da Prefeitura de São Miguel do Gostoso 11/01/2019.

O aumento no efetivo da policia agradou a população porém a presença da CPRE/RN divide opiniões. O monitoramento da policia tem sido mais efetivo na sede e isso contrasta com a situação legal de veículos que na em grande parte não estão com os impostos em dia, e de motoristas sem habilitação e que não seguem as normas básicas de segurança.

Em contra partida a efetividade na sede permanece a onda de assaltos nos distritos, e já se criou até um mote para essa situação: “Se a polícia não toma a moto na sede os bandidos tomam nos distritos”.

Outra coisa que deve ser observada é que o fluxo do transito continua ruim, e o transito está longe de ser organizado, o trecho entre a Unidade de Saúde e a Praia da Xêpa continua impraticável, nem tão pouco está havendo uma reeducação da população. As pessoas simplesmente estão deixando seus veículos em casa.

Nós continuamos de olho.

Autor: Ricardo André

Professor de Matemática, produtor cultural e tesoureiro do Espaço TEAR (CDHEC)